Nova mídia o escambau

Lex-Luthor.jpg

Acompanhando as várias discussões sobre profissionalização dos Blogs, me peguei repetindo o mantra de que o blog é uma nova mídia, com novas regras, etc, etc. Então, como sempre gosto de fazer quando percebo que estou em uma unanimidade, fui descobrir onde estava meu erro.

O Blog pode ser um novo formato de veiculação, mas suas regras não têm nada de novo, são muito bem conhecidas, basta pensar um pouco, e pensar grande.

Estamos falando de uma mídia onde:

  • A audiência determina o sucesso ou o fracasso

  • A monetização é passiva, você ganha de quem anuncia, não de quem consome

  • A concorrência copia suas idéias mais rápido do que você imagina

  • A periodicidade não é fundamental mas quanto mais atualizações melhor

  • Pode haver ou não participação da audiência na formulação do conteúdo

  • Marcas individuais podem se tornar tão ou mais fortes que o veículo

O Blog, minha gente, nada mais é do que a boa e velha televisão, mas você não é o Marcos Mion, você é o Roberto Marinho.

Essas analogias sempre falharam por excesso de humildade, sempre tentaram comparar o blog com um programa de TV, mas um programa depende de uma produtora e de emissoras que o distribuam.

No caso, nós temos em nossas mãos o meio e a mensagem. Da mesma forma que a Globo podia veicular Santa Missa em Seu Lar e Concertos para a Juventude, por serem de agrado de seu Presidente, você pode veicular seu blog, mesmo sem audiência. Não há pressão externa.

A analogia funciona melhor para quem tem vários blogs, mas mesmo com um só, é só imaginar que você é uma emissora com um só programa, como o Discovery na Semana do Tubarão.

É hora de estudar os erros e acertos dos executivos de TV, ao invés de reinventar a roda. As respostas estão todas lá.

Exemplos:

O dilema entre o blog específico e o de generalidades: Na TV, são programas como o Esporte Espetacular vs Gols do Fantástico.

O problema entre o blog muito popular e o elitizado: Na TV, é o Faustão baixando o nível para aumentar a audiência, e espantando os anunciantes.

Essa percepção foi um alento para mim, pois é muito mais fácil conquistar o mundo começando do Roberto Marinho do que do Marcos Mion.


Technorati : , , ,


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Todo valor é válido, o que vale é a intenção e o seu cartão de crédito passar. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Olá Cardoso,

    Algumas coisas fazem sentido, mas outras não (ao menos pra mim!), por exemplo:

    A concorrência copia suas idéias mais rápido do que você imagina

    É verdade que emissoras de TV disputam público (por isso copiam umas as outras), mas Blogs podem formar ecossitemas… blogs que interagem entre si, sem, necessariamente, um caráter de disputa de audiência (…

    E a cópia, as vezes (eu disse as vezes!) vai além e produz uma remixagem do que copiou!

    Um segundo detalhe, ao menos para a TV analógica, há um único sentido na informação (TV para o público). Nos blogs existe uma mão dupla (ou pelo menos deveria haver!)….

    Mas um ponto que você destaca,(e já o fez em outro texto) é que Blogs não devem crescer para virar mídia tradicional.

    Blogs devem crescer para se tornarem mais importantes que as mídias tradiconais!

    Mirar nas estrelas :-)

  • Parabéns, Cardoso.

    Sérgio, "para o alto e avante!"

  • Blogs, hoje, são mais que TV (são não ganham como elas) mas em termos de informação… vai bem mais longe!

  • Pingback: Profissionalização dos blogs por Bruno Alves()