A Síndrome do Peixe depende de você

Uma das primeiras lições que aprendi em propaganda foi ensinada pelo Mílvio, excelente redator da Artplan, que deu uma lição de humildade ao explicar que um redator é tão bom quanto o texto que ele fará hoje, não pelo que fez ontem, e que o seu anúncio genial de hoje amanhã estará embrulhando peixe na Praça XV.

Isso vale também para jornalistas E blogueiros.

Por outro lado nos blogs nós temos um diferencial que nos coloca mais próximo de escritores do que jornalistas. Temos a oportunidade de criar conteúdo relevante que não se torna obsoleto em algumas horas.

Imagine o telejornalismo. Aquela matéria lindamente escrita, produzida e editada perde totalmente sua razão de existir ao final do telejornal. NINGUÉM jamais irá exibi-la novamente. No máximo se for uma matéria histórica, você ganha alguns segundos em uma Retrospectiva de final de ano.

Já livros são lidos, relidos e redescobertos todo o tempo. Livros são imortais.

Blogs também podem ser. Ou pelo menos nossos melhores posts.

Tenho textos com mais de 2 anos que ainda são ativamente visitados. O custo/benefício de algo escrito uma vez só e acessado diariamente nos últimos dois anos é incrível. Não só os textos não caíram no esquecimento do Google como são ainda referenciados e citados por outros blogs. Isso não tem preço.

Quando for escrever um texto, tente não ir pelo caminho fácil. Claro que é mais simples subir alguma besteira do YouTube, mas isso vai garantir que seu texto continue sendo visitado depois de 2 anos?

Acho difícil.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Cada um de nós tem nossos dias bons e ruins pra escrever. De vez em quando mandar um vídeo do YouTube ajuda a manter a agenda em dia, e dar mais tempo pra preparar melhor um texto decente.

    Afinal, nem todos os textos podem ter esse prestígio todo…

  • Você já disse isso outras vezes, e eu concordo que os bons textos não envelhecem aliás este é um ponto bacana que poucos blogueiros aproveitam. Preferem fazer hypes e lucrar no curto tempo…

  • Blogar é algo interessante, você diz não ir pelo caminho fácil, meus melhores textos por exemplo foram feitos sem a menor pretensão que fossem os melhores, para falar a verdade, achei que nem se quer fossem lidos, simplesmente tive uma idéia e fui escrevendo, uma idéia curriqueira como ir à depiladora, no entanto, para minha surpresa foram os mais debatidos..isso me frusta muito, ás vezes eu passo um tempo procurando textos interessantes, adicionando links (linkar ou fazer um trackback é ético e bom para ambos, mas convenhamos dá trabalho é e chato, é mais fácil falar, "eu li no blog do fulano")procurando em redes sociais matérias parecidas, etc, e quando vou ver o retorno disso, é pífio, talvez se tivesse colocado uma foto de alguma gostosa publicada na playboy teria sido melhor, até porque homem pelado não dá audiência também.

    Discordo de você em mais um ponto, sabia que muita gente tem memória de matérias publicadas em telejornais ou programas jornalísticos?
    Há quem lembre do anúncio da morte do Sena, da queda das torres gêmeas, da vez que Daiane dos Santos ganhou um mundial, do final triste de um jogo de futebol, da vez que as poltronas de um estádio foram ao chão, do programa em que um apresentador de esportes foi boxeado ao vivo, e por aí vai.
    Não adianta achar que boas idéias virão todos os dias.

    • Onde se lê frusta, leia-se FRUSTRA*. Bendito português! :(

  • Os americanos têm até um nome para isso, não lembro agora, mas é algo como os "pilares" que vão segurar o blog em pé.

    Claro que assuntos efêmeros podem render, mas não sustentam o conjunto sozinhos.

  • Não costumo comentar, mas vale a exceção.

    Há tempos que não lia um texto realmente sincero, sem propósito comercial, com intuito de viralização ou pagar de gatinho.

    Congrats.

  • Não costumo comentar, mas vale a exceção.

    Há tempos que não lia um texto realmente sincero, sem propósito comercial, com intuito de viralização ou pagar de gatinho. (nos blogs no geral)

    Congrats.

  • Escrever algo bom realmente é difícil. Alguém pode pensar ou falar algo genial, mas na hora de colocar no papel, nunca fica com o mesmo sentido ou com a mesma ênfase.

    Eu estou começando agora e ainda estou lendo muito tutorial, diversos blogs e tentando fazer a lição de casa, seguindo muitos exemplos que encontro em N blogs, mas terminar o quarto post tá complicado!

    Abraços!

  • Ronaud Pereira

    Ótima colocação, Cardoso. Algumas reportagens são melhores que muito filme e até mereceriam maior destaque e agora com a internet muitas matérias jornalísticas costumam ser revisitadas de fato (vide globo). Estou me propondo a começar a escrever, já que minha mente não pára, tem opinião pra tudo e acho que a escrita como expressão me serviria quase que como terapia. Mas ao mesmo tempo, após a criação de uns 5 textos já estou sentindo a dificuldade. Achamos que escrevemos bem até começar. Depois você simplesmente descobre que não sabe como usar as palavras e descobre que não sabe bem a respeito de nada. É algo que precisa ser desenvolvido e enfim, como você mesmo disse, depois de um trabalho bem feito, ele se assume um quê de imortal. A escrita torna nossas idéias onipresentes e as arremessa para a eternidade. Desde que se tenha algo interessante pra dizer, é claro.

  • Pingback: Site de jornal serve pra forrar a gaiola do Twitter?()

  • Pingback: Sergio Blog 2.4()