O futuro pode até não ser os blogs, mas são os blogueiros

Ao se falar tanto de blogs esquecemos que blogs são mais uma mídia, mais um formato de veiculação de informação, e que do mesmo jeito que temos jornais tão diversos quanto o New York Times e a revista Caras, temos blogs igualmente diversos, é quase impossível colocar todos no mesmo balaio, e acho que um blogueiro que escreve sobre resenhas literárias não gosta de ser colocado no mesmo balaio que O Blog do Peido. (não procurei, mas existe. Acreditem)

Antigamente fazia sentido mandar alguém que não entende nada de determinado assunto cobrir uma pauta, mas hoje em dia com a velocidade com que as notícias precisam sair, a variedade de temas e a facilidade com que os leitores interagem, não é mais viável. Passa-se muita vergonha, e o leitor está pouco se lixando para quem ele está sacaneando. Falou besteira, toma.

A vantagem dos blogs é mais que o foco. Os blogueiros em geral escrevem sobre o que gostam e/ou conhecem. E se ele gosta, vai tentar obter a informação correta, sempre. Principalmente, não somos desatentos com o que gostamos. Vejam por exemplo esta matéria do MailOnline, sobre o lançamento do Batman em Londres:

falhadojornal

 

Na legenda, falam de duas fãs, “vestidas como Batman e Curinga”.

Você consegue imaginar o Judão, o Jovem Nerd, o isFree ou o Melhores do Mundo falando uma barbaridade dessas? Imagina algum deles NÃO RECONHECENDO IMEDIATAMENTE Batwoman e Arlequina?

O quê será que passa na cabeça do sujeito que fez a legenda? Será que ele está de tão má-vontade que não acompanhou NADA do filme, não conhece NADA do Batman, não sabe nem que não-importando a encarnação, o Curinga tem cabelo verde?

Eu só consigo achar que seja má-vontade, o que dá mais força a meu argumento: Coloque quem gosta para escrever sobre o quê gosta.

Isso garante qualidade (ou fracasso, se não for feito) independente do veículo. Não há nada de mágico nos blogs, se um jornal mudar radicalmente sua estrutura e assumir um modelo colaborativo, dinâmico, com atribuição de pauta na base do mérito, não da disponibilidade, teremos um concorrente pesado para qualquer coisa online.

Felizmente mudanças não são muito bem-vindas para as cabeças-brancas que comandam a velha mídia…


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Faz muito sentido.

    Blogueiro quase sempre fala sobre o que gosta, e sobre o que quer falar. Isso garante dedicação e comprometimento.
    Eu não conheço nenhum jornalista profissional, mas tenho certeza que qualquer um deles diria quantas vezes teve que escrever matérias sobre coisas que não queria, ou coisas que não conhecia direito.

    A parada, é como jornalista e blogueiros vão andar lado a lado daqui a alguns anos.

    Abraço!

    • smx

      Eles simplesmente não vão andar lado a lado…
      uma guerra se iniciará em breve!

      • Guerra entre mídias? Isso é lenda.
        Um jornalista que estuda 4 ou 5 anos numa faculdade e não sabe que cada mídia tem seu público definido não tem consciência do mundo em que está. Um jornalista é imediatista, presta um serviço à sociedade e isso é obrigação dele; Blogueiros se parecem com jornalistas, mas o fato de não terem obrigação de falar sobre determinado assunto os tornam diferentes. Não são melhores ou piores, apenas diferentes.
        Parem de dizer que existe briga entre Jornalistas e Blogueiros. Isso é história de donos de jornais, administradores, que muitas vezes nunca estudaram comunicação, que estão criando boatos contra as novas mídias, como donos de rádios fizeram quando chegou a Televisão.

  • Avisei lá no MailOnline para corrigir a legenda =P

    Meu sinto meio estranho estando na linha de tiro entre imprensa e blogueiros. É difícil ser jornalista e blogar ao mesmo tempo. Os vícios de uma coisa acabam respaldando na outra.

    E às vezes Cardosão, não é nem má vontade de escrever não. Todo dia dia eu faço quatro, cinco matérias em um tempo que só dá para realizar bem no máximo duas. E ainda os executivos dos jornais continuam enxugando mais e mais as redações. Por exemplo: um amigo meu atualmente está tomando conta sozinho de TODA a editoria de informática do maior jornal daqui de Recife. Só fazendo mágica para fazer com que todas as matérias saiam boas. Tá certo que esse caso da legenda foi um erro crasso, mas outros erros menos gritantes (mas não menos graves) acontecem o tempo todo por pura falta de estrutura de alguns veículos, que acabam sobrecarregando o jornalista.

    Não é todo mundo que tem verba quase ilimitada para contratar 20 e tantos colaboradores, como faz o pessoal do + Mais, da Folha de São Paulo. E ainda assim o + Mais só tem tal estrutura para tal coisa porque ele é um, digamos, mimo do manda-chuva da Folha.

    Uma das soluções que eu mesmo venho propondo por aqui, é tentar se espelhar mais na linguagem de internet, pelo menos nesse caso específico do caderno de Informática do JC, aqui em Recife. Não sei se editorialmente seria realizável, mas do ponto de vista prático certamente iria evitar coisas bizarras como esse lance da legenda.

    • Tu é jornalista?! 0.o Eu jamais teria imaginado. Não por preconceito nenhum contra jornalistas, mas sei lá, tu não parece jornalista. :P

      • Normal Nosphie. Minha mãe até hoje diz que eu tenho cara de estilista e que eu deveria abrir uma grife =P

        Vou colocar um óculos de aro grosso e falar sobre Novos Baianos no blog para ver se convenço àlguem =P

        Por curiosidade, você me achava com cara de quê?

        • Não é pela cara, nunca vi foto sua. Mas cê tem um jeito de garotão, brincalhão, piadista, alegre… ok, talvez sim eu tenha preconceito – se vê que eu tenho a idéia de que jornalista é sério e sisudo. :P

          E também tem o negócio de que nunca vou imaginar que um leitor meu seja jornalista. ;)

  • hugo

    Batwoman? Não seria batgirl?

  • Monthiel

    se todos fizessem o que gosta, ninguém trabalharia, e o mundo estaria um caos. Imaginem só: Você acha que um garçon, num domingo ensolarado, gosta de usar aquela gravata borboletinha e de servir a seus clientes na beira de uma piscina? Ou o mesmo gostaria de estar ali na piscina, se refrescando?

    Não, é um assunto que extenso, prefiro continuar a pensar que, da forma que está, está bom: cada um "tentando", um dia, fazer o que gosta…. pra isso, terá que fazer o que não gosta antes….

    • Como assim? Se você faz o que gosta não está trabalhando?

      E para seu governo, existem garçons que GOSTAM de ser garçon e se orgulham do que fazem.

      • Pior que isso foi ele ter insinuado que ninguém gosta de trabalhar.

      • Monthiel

        Não. Não foi essa minha intenção. Rebaixar os garçons. A idéia era apenas dizer que, as vezes, para chegar num cargo que queremos, precisamos antes passar por outros que não gostamos. Apenas isso.Jamais, em hipótese alguma, quiz rebaixar alguma profissão, afinal, a cerca de 3 anos atrás, fui ajudante de cozinha e lavava pratos. Sem contar que já fui gandula e entregador de folhetos…

        Abraços…

        • Interessante essa visão. Daqui uns anos garçons serão futuros CEO, vice presidentes ou quem sabe vencedor do BBB como recompensa ao extenuante traballho de atender clientes presunçosos. E quando tomo café da manhã é justamente igual aos comerciais de manteiga. Que mundo justo e maravilhoso!

          Sinceramente, acho lamentavel um sujeito perder tempo de sua vida fazendo o que não gosta para juntar dinheiro para fazer o que gosta. Eu sou um desses desgraçados! Mas me recuso a trabalhar…

          Não entendo a guerra bloguero x jornalista. Mas se blog esta se tornando algo de tamanha seriedade, então responsabilidades maiores virão e talvez responsibilidades e o compromisso de um jornalista

          E muito legal o blog! Vou visitá-lo mais vezes!!

  • As pessoas gostam de trabalhar de uma forma ou de outra. A não ser se ganhar na MegaSena, que não é pra todo mundo. Blogar é a maneira de expressar suas opiniões publicamente. Sendo um jornalista, vc tem toda uma técnica de escrever uma matéria bem extensa. Já um blogueiro escreve um pouco resumido um determinado assunto. Mas no final das contas, fazem a mesma coisa.

  • Colocar QUEM gosta para escrever sobre O QUÊ gosta! Mesmo sendo formada em jornalismo, concordo totalmente. Desde que se escreva bem, com uma gramática e ortografia correta, é muito mais gostoso ler um texto de alguém que gosta de escrever sobre o tema que está escrevendo. É visível quando a pessoa não domina ou não se importa com o assunto sobre o qual escreve.

  • Só pra constar: essa batwoman gordinha aí… eu ia!

  • Sim, sim… Isso é bem complicado. Porém, começa-se a exigir mais dos blogs também. Será que vai chegar o dia em que, pra escrever sobre qualquer assunto, o blogueiro precise entrar em contato com todos os envolvidos em alguma notícia para ver "o outro lado" a questão? o.O

  • "colocado no mesmo balaio que O Blog do Peido. (não procurei, mas existe. Acreditem)"

    Existe mesmo … e fui eu que criei .. rs

    Peguei o dominio faz tempo no blogger e no wordpress, mas nunca tive tempo de postar nada. De uma olhada em http://peidolandia.blogspot.com.

    Agora ate me animei em continuar a brincadeira … vai ver ate ganho uns caraminguas. Por falar nisso, Carsoso, nao tem uma vaguinha naquele curso intensivo de "Como ganhar dinheiro com blogs sendo assistente do Cardoso" nao? rs

    Desculpe a falta de acentos: teclado em italiano do laptop da esposa …

  • Pingback: Peidolandia na midia… « Peidolândia - Flatus do dia a dia()

  • Pingback: Megalopolis » O assassinato do jornalismo e do design pela covarde tecnologia - parte 2()

  • Filipe

    "Imagina algum deles NÃO RECONHECENDO IMEDIATAMENTE Batwoman e Arlequina?"

    Odeio cortar seu barato, mas tá mais pra Batgirl mesmo do que Batwoman. São personagens diferentes, o que tira boa parte da força do seu argumento.

    Mas podemos dar um desconto porque a fantasia tá meio indefinida, mesmo.

    • Pesquise, lembra mais a Batwoman, não a batgirl. A Batwoman é muito mais antiga, surgiu nos quadrinhos originais, ainda PB.

      • Filipe

        Sei disso. Mas apenas o formato da máscara lembra o da Batwoman atual ou da antiga (e a primera Batgirl também usava uma máscara desse tipo). Já a combinação de cores (símbolo amarelo em uniforme preto) é típica da Batgirl. Os quadrinhos "originais" tinham capas coloridas e nelas, a primeira Batwoman aparece trajando laranja e amarelo.
        Mas, como falei, a fantasia da moça não é idêntica a nenhuma das versões.