Tangos e Tragédias

AerolineasArgentinas

Desta vez a Mão de Deus não ajudou. Depois da dengue levada pelo pessoal do Pânico a Argentina vai ser invadida por outra calamidade brasileira: Eu.

A Nokia Vai reunir jornalistas (e blogueiros, nhé, nhé) de vários países para anunciar seus lançamentos para a América Latina. Como sou o único do MeioBit que não faz nada com disponibilidade para viajar, aceitei o convite, e passarei 3 dias, de 23 a 25 na Terra de Gardel, de onde reportarei em primeiríssima mão as novidades.

Não é a primeira vez que participo de eventos assim, e é legal ver que as empresas estão realmente abraçando os blogs, nos trazendo para dentro do clube fechado antes dominado por revistas e Cadeeeeeernos de Tecnologia (leia com voz sinistra, fica melhor).

Da última viagem que fiz, para a Bossa Conference em Porto de Galinhas ganhei um bolo-de-rolo delicioso. Espero que dessa vez role algo tão bom. Estou aceitando a Gabriela Sabatini.

Ah sim, mantendo a transparência, como convidado vou com todas as despesas pagas, então se você encontrar outros veículos por aí omitindo esse detalhe, pode espetar que eu deixo.

Vou tentar manter os blogs atualizados, mas não tenho certeza da existência de WIFI, então conectividade é uma incógnita.

Na verdade viajo amanhã estarei em SP dia 22, o pessoal da Pólvora está promovendo um evento unindo os três passatempos mais questionáveis da História da Humanidade: Orkut, Blogs e Reality Shows. Mais detalhes se o Orkut não morrer mesmo como parece que morreu, e quando eu souber do que se trata.

Aos desafetos E aos blogueiros que gostam de um hype, um alento: Esta notícia aqui pode ser um presságio…


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Orkut e YouTube down = altos índices de audiência da TV nos lares brasileiros.
    Ansioso por estas novidades da Nokia, ando meio desatualizado, aguardo pelos posts!
    Boa viagem Cardoso!
    ;)

  • Boa sorte nessa terra hóstil chamada Argentina.

  • AHUAHUAHUAH, é realmente um presságio. Tem certeza que vai viajar Cardoso?

  • Eu sei que sou chato, mas a terra de Carlos Gardel é a França. http://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Gardel

    Acho até engraçado que uma das maiores expressões artísticas da Argentina seja um francês, assim como Carmem Miranda era portuguesa.

    • Bem, ele era francês mas se rendeu à Argentina ;)

      • Os argentinos dominarão o mundo? :|

        • el mundo es nuestro…

          usted tiene que leer más blogs.

    • Nope. Gardel era uruguaio. Ele sim viveu na Argentina, mas não era argentino. Nem francês. Existe até hoje uma grande polêmica sobre as verdadeiras origens dele, polêmica inclusive citada no artigo que você usa para dizer que ele era francês. Eu já vi coisas suficientes que indicam que ele era uruguaio, nascido no departamento de Tacuarembó – filho bastardo de um coronel daquelas bandas, por isso "pai desconhecido".
      Os argentinos, como não podem dizer que ele era argentino, preferem dizer que Gardel era francês, antes que admitir que ele era uruguaio.

    • Refer

      Gosto muito dessa coisa argentina de 'sem origens definidas' — Buenos Aires foi fundada, abandonada, refundada, arrasada, retomada…. legal que seu maior ídolo popular da música não seja argentino, TALVEZ seja uruguaio, talvez francês. Interessante que o melhor letrista de tangos (dizem os 'tangueiros'), Alfredo Le Pera, seja brasileiro, de São Paulo. É como se Noel Rosa fosse argentino, de Buenos Aires.

  • "Eu inventei a Internet"

    É, já está entrando no clima de los hermanos…

    • Para entender melhor isso, procura o Caderno Link do jornal Estado de São Paulo. Ah, tem que ser a edição de segunda (21/07/2008)

  • Dica: restaurante (ou bodegón, como falam por lá) Desnivel, no bairro de San telmo, em Buenos Aires.

    Só digo isso. Se você não quiser mais voltar eu entendo =P

  • Agora sim fiquei com inveja, e prepare-se para passar um "poquito" de frio.

    Em tempo: Essa herança futebolística galvão buenística luciano dovallistíca da "rivalidade" Brasil e Argentina é um señor pé no saco. Geralmente quem vai para lá volta com uma impressão bem diferente.

  • Monthiel

    dá um "croque" no maradona por mim…
    valew

  • Tá bom Cardoso… Tu vai prum evento da Nokia 100% Free e tá duvidando da conectividade deles?

  • pq vc é sempre tão engraçado?
    queria ganhar dindim assim, sentado em frente a um pc, vez em quando, viajando (e debochando) de "grátis"…rs

  • É isso aí!!!!! hehehe Manda ver!

  • Meu blog ainda vai me render passeios como esse. Aaahhhh vai!!!!!

  • Pô Cardoso,tirou onde agora…
    Argentina Free!?

    Boa Viagem e que você traga muitos post's interessantes junto na bagagem.
    Abraços

  • Pingback: Boa ação do dia: Limpar a barra dos probloggers | Pois Bem...()

  • boa viagem!

    E apra com essa bobeira de presságio (depois do acidente dos Mamonas fiquei meio supersticioso)

  • Fonte

    Parece que a terra de Gardel não é Buenos Aires. Uruguaios afirmam que Gardel nasceu em Taquarembó/Uruguai. Os argentinos rebatem dizendo que ele nasceu na França e com 4 anos foi para Buenos Aires, onde se criou. o site a seguir dá mais detalhes sobre a disputa .http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20080723/not_imp210434,0.php

  • FInalmente uma voz feminina, Caracas, Cardoso, vc tem um leitorado macho pracas.Nada contra.
    Aliás acabei de conhecê-lo ao vivo e em cores.
    Aqui na tierra de Dieguito, de Borges, de Bioy Casares, de Piazolla, de Amelita Baltar, bom chega.
    Em evento pago pela Nokia, sim. Cardoso já disse acima. Sempre foi assim. Desde sempre. As empresas convidam, a imprensa vai, os blogueiros vão, os médicos vão, os engenheiros vão. Os dentistas vão.
    O marketing que o diga. Isso sim é o velho e famigerado marketing de guerrilha. Não ve venham com esse papo furado que essa expressão foi inventada pela nova geração de marketeiros. Nâo cola. Mesmo.
    Já tinham me dito (e o pior que não consigo me lembrar quem foi) que eu precisava conhecer o Cardoso. Eu pensava. COnhecer pela net é diferente. Ao vivo é que tem graça.
    Bueno, tomamos todos os copos de vinho que nos ofereceram e quando pararam de pedir, gentilmente pedimos mais. Afinal era ou não era uma degustação.
    A mulher ficou falando e falando e Cardoso, Mirela e eu bebendo. E bebendo.
    Tava mais do que na hora de ir à forra por essa lei seca de 0,1. EU confesso que estava me sentindo murcha, perdi todas as companhias de bebida, já que a maioria dirige e se recusa a voltar de táxi.
    Noves fora, daqui a algumas horas tem mais. Lançamentos Eseries da Nokia pra ninguém botar defeito e também pra botar defeito.
    Chega por ora, que meu grau etílico ainda me obriga a ir ao meu blog, postar algo que observei hoje durante o vôo de Sampa a BUenos Aires.
    Abraços digitais aos leitores do Cardoso. Ele é ótimo. Divertido. Crítico. Ácido. E dá-lhe vinho.

    Mari-Jô Zilveti http://nomadismocelular.wordpress.com
    P.S. EU vim a convite da NOkia pela GSMmania, a revista que edito, e pelo meu blog Nomadismo Celular. E talvez pelo jornal Economia Interativa. Sempre rende pauta.

  • Pingback: Chá de Hortelã » Roubaram o Bar()

  • Acho que vou estudar jornalismo para poder pegar essas bocas,

  • Espero que você não esteja retido na Argentina. Confira o link – http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI…

  • Spammer foge da cadeia, mata a familia e suicida-se: http://www.vnunet.com/vnunet/news/2222541/fugitiv

  • Essa resposta é pros ingênuos que "não gostam de post patrocinado". Meu caro, ou cara, ou caros e caras. Em que mundo vocês vivem?

    Eu sugiro voltar ao século 18, durante a Revolução Francesa, quando a imprensa começou a buscar patrocínios para escrever, os famigerados anúncios. Desde esse tempo não existe independência.

    O que quero dizer com isso, caso haja uma preguiça de voltar a estudar história e até descobrir como foi criada a France Presse, é o seguinte: na imprensa, sempre existiu o convite: você chama o jornalista e ele vai. Em momento algum, ele foi por conta própria. Pago pela empresa. Há hipocrisias e hipocrisias, leia-se a Veja e lia-se a Gazeta Mercantil.

    Desde sempre, o mercado, por isso vivemos neste estado de capitalismo selvagem, atua assim: se uma empresa quer divulgar seus produtos, suas idéias (podem ser políticos, economistas, turismo, o que você imaginar, porque tudo virou produto, tudo virou mercado), você chama um grupo seja ele de jornalistas, colunistas, blogueiros, médicos, engenheiros, dentistas, nutricionistas, professores e todas as profissões que você puder imaginar, inclusive as profissionais do sexo, por que não?

    Em outras palavras, bem transaparente, isso se chama lobby.

    A independência consiste em você noticiar o que viu usando o seu viés crítico.

    Conheci Cardoso nessa viagem e, por sinal, gostei muito dele. Educadíssimo, conhece tecnologia como ninguém e tem um leitorado de fazer inveja a qualquer outra mídia.

    Se ele está falando e escreveu que os executivos da Nokia têm familiaridade com o produto, é porque soube comparar com outras empresas em que realmente os executivos vivem presos a um Power Point. Se bobear, o assistente preparou a apresentação e ele mal sabe ligar a máquina. Se der merda na passagem das telas, ele vai gritar por socorro.

    A Nokia convidou a mídia pra cobrir o lançamento de dois celulares Eseries. Levou também uma especialista em estatísticas do IDC para corroborar o que a empresa queria mostrar.

    Alguma novidade nisso? Nenhuma, caros leitores do Cardoso.

    A Microsoft faz isso. A Apple, a indústria de medicamentos. Todos. Ou vai dizer que o Viagra nunca foi experimentado por jornalistas e por médicos a título de reportagem e para que os profissionais da medicina também pudessem fazer propaganda do remédio?

    Quem já não viu médico distribuindo adoidado remédio por aí, que atire a primeira pedra. Ou vai achar que ele comprou e tá fazendo caridade com a clientela?

    Viajar para cobrir lançamentos faz parte da profissão do jornalista e também do blogueiro. Isso não quer dizer que o post é semi ou totalmente pago.

    E os filmes que você assiste? E os livros que você supostamente lê? Por acaso é post pago ou semi-pago receber o livro da editora ou o filme para poder ler e assistir e depois escrever?

    E quem viaja pra entrevistar celebridades?

    Já se tocou que quem convida é produtora do filme?

    E quando um governador, ou prefeito ou presidente sai em campanha e leva uma turma de jornalistas em comitiva? Eles vão, a grande maioria, a convite! Blogueiros idem. Aqui, nos EUA e na Europa. E em outros continentes, ibidem.

    E quando há um torneio, ou olimpíadas? A COB ou a FIFA fazem o quê? Convidam a imprensa. E agora, mais do que necessário, convidam também blogueiros.

    Creio que há uma confusão sobre o que é produto e mercado.

    Só para esclarecer o óbvio: toda ação de uma empresa hoje envolve o departamento de marketing e o de comunicação.

    Agora se é para falarmos de outro assunto que não seja produto, melhor fechar a internet, os jornais e todos os meios de comunicação.

    Os blogueiros são muito bem-vindos a esse jogo de cena. É ótimo produzir conteúdo com mais independência, o que não acontece com a maioria dos jornais e revistas, cujas redações estão repletas de jornalistas que já incorporaram o discurso pró-empresa.

    O que salva muitos blogueiros (e Cardoso é um deles), principalmente, é o fato de poder escrever mais à vontade, com um veio crítico, cínico e mordaz.

    Cardoso, parabéns pelo seu trabalho. Eu adorei te conhecer. Foram 48 horas de trabalho quase ininterrupto, pois fica-se à mercê das agendas.

    E se fosse para cobrir por conta própria um lançamento de dois aparelhos, ninguém teria aparecido. A precisão da informação, da crítica e de poder conferir in loco o que os marqueteiros fazem está nessa possibilidade de poder estar presente em eventos desse gênero.

    E por hoje é só.

    Mari-Jô Zilveti

    co-autora do blog Nomadismo Celular
    http://nomadismocelular.wordpress.com

  • Pingback: DireitoeTrabalho.com | Argentina: roteiro da viagem()