O que vamos fazer com o Aldemir?

O mundo online é uma contradição. Ao mesmo tempo em que tudo é extremamente efêmero, e os próprios laços são muito, muito tênues, temos a ilusão de que vamos viver para sempre.

Ninguém pensa no impensável, de que amanhã não estaremos mais aqui. Não conheço nenhum blogueiro que tenha feito um Testamento Digital, algo como um email encriptado, um pendrive ou mesmo um envelope, com suas senhas, URLs, usuários, links de acesso e instruções sobre o que fazer com eles.

Com sorte algum parente ainda descobre uma senha ou aproveita um cookie, e coloca uma mensagem de aviso, mas e nos outros inúmeros sites onde o sujeito tem conta?

Quem vai fechar a conta do Flickr, quem vai apagar o Orkut para evitar que seu perfil vá para aquelas comunidades idiotas que colecionam perfil de gente morta?

Não conheço também nenhum site que tenha um procedimento público para lidar com usuários falecidos. Quer dizer, com falecimento de usuários. Se um usuário falecido aparecer o procedimento é correr.

Um bom exemplo é o BlogBlogs. No ranking ainda está listado o blog do Aldemir. É algo mórbido, no mau sentido. O blog ainda está lá, sem nenhuma indicação de que seu dono, ao contrário do Polzonoff, parou de blogar de vez.

Não seria uma boa idéia remover esses blogs dessas listas de rankings? Não digo para remover dos nossos blogrolls, acho uma boa homenagem (se for um cara legal como o Aldemir) deixar lá. Talvez com uma cruz discreta ao lado do nome, para indicar que o blog pertence a um blogueiro falecido. Mas nos rankings? Eu só acharia legal uma exposição dessas se houvesse um estilo “in memorian” no layout.

Eu acho um certo desrespeito atrair miguxos e desavisados para um blog, onde fatalmente (ok, péssima escolha de palavra) deixarão comentários idiotas, inclusive reclamando da falta de resposta.

De qualquer forma, é algo que todos devem pensar. Achar alguém de confiança e deixar esse tipo de instrução. Por mais efêmero que um blog seja, é parte de nosso legado. Não é legal que fique jogado às traças, digo, aos paraquedistas. Preferível que seja gerenciado por alguém que confiamos, e que coloque todos os comentários como bloqueados.

DISCLAIMER: EU tenho certeza de que algum idiota vai dizer que estou sugerindo remover o blog do Aldemir do BlogBlogs para ganhar ranking. Gostaria de mandar quem sugerir isso preemptivamente para o quinto dos Infernos. Já deixei bem claro que estou pouco me lixando pra rankings, o Aldemir era um cara super-legal e não merece esse tipo de pensamento medíocre. Minha única preocupação é que com esse tipo de exposição ele deixe de ser um cara legal com um bom blog, e se torne um caso de curiosidade mórbida, visitado por gente que costuma procurar fotos de acidentes aéreos. Não é esse público que o Aldemir queria.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Todo valor é válido, o que vale é a intenção e o seu cartão de crédito passar. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Cardoso,

    Não seria melhor, para você evitar estes problemas, enviar seus usuários e senhas do blog, bluehost e do registro do domínio para meu email. :-p

  • Você praticamente psicografou esse post dos meus rascunhos, eu estava escrevendo algo parecido! (Só que o seu ficou melhor).

    Me parece que o Aldemir estava movendo seu blog para um domínio próprio, AldemirSilva.com, que parece estar agora sob controle de outra pessoa.

    Se eu morresse agora, meus blogs, redes sociais, instant messengers e todas as minhas contas se perderiam. O fato é que tem coisa que nem eu sei a senha, vou tentando várias senhas e usernames que já usei. A conta no Dreamhost por exemplo iria pro saco junto com alguns clientes antigos, o que traria um sério problema pra quem assumisse minha pseudo-empresa.

    A idéia de manter um "guia" em um pendrive que será deixado de testamento é legal, acho que é a mais prática.

  • Sim, o Aldemir estava mudando de endereço, ele tinha comprado hospedagem em parceria com o Rafael Arcanjo.

    O Arcanjo é o responsável pela bela homenagem na qual o site foi transformado, e ele tem a permissão e o apoio da família do Aldemir. A mensagem que eles (a família) publicaram lá, falando dos últimos dias dele, é impressionante, emocionante mesmo.

    Gostei da idéia do In Memorian. O Aldemir, por exemplo, merece ser homenagado assim, pois ele tocou muita gente. Se a Blogosfera expressa interesse numa pessoa, não creio que ela deva ser apagada de repente. Com o tempo, naturalmente, outros blogs tomarão esse lugar.

  • Cardoso, interessante colocação, mas tenho uma outra visão sobre o BlogBlogs. Enxergo ele como um diretório de blogs e não de blogueiros. O blog do Aldemir não deixou de existir com o falecimento de seu autor. Ele está lá, como um registro histórico do Aldemir. Ele é passível de ser consultado para sempre. Ele apenas não será mais atualizado.

    Se os outros blogs estão falando do blog do Aldemir (diga-se links) imagino que isso deva ser representado no ranking. Afinal o blog dele abacou ficando mais popular, estando seu autor vivo ou não.

  • Hum, então agora os posts vem com "legenda" hauhauhau

    Mas sobre o fato de partir desta pra melhor e deixar seu EU virtual por ai seria legal um site do tipo

    True R.I.P rs onde poderiamos cadastrar alguns contatos que receberiam nosso Testamento Digital caso não confirmemos periodicamente em determinado periodo que estamos vivos

    heheh

  • A idéia de gravar dados em um pendrive é boa, mas quem é que vai ficar querendo fazer isso a cada vez que assina um novo serviço, cria uma nova senha? "vou copiar nesse pendrive porque posso ser atropelado ao comprar M&M's no supermercado" … é dificil, nunca se sabe quando morreremos ..

  • A idéia é boa, e garanto que vou tomar minhas providências. Sabe-se lá onde meu perfil/blog/oqmaisqsejameu vai parar???

  • Triste isso. Mas se pensarmos num blog como um livro… o autor desaparece mas a obra fica. Vocês que o conheciam, o que será que ele gostaria que fosse feito? Abraços, Mário.

  • Cara,

    Eu achei até legal a idéia de pensar sobre uma política pra tratar desses casos. Realmente seria interessante desenvolver algo nesse sentido.

    Mas como o site iria saber que algum usuário faleceu? Bem difícil não acha?! Ainda mais que muitos usuários não informam dados reais em seus cadastros.

    Agora colocar uma cruz ao lado do nome do cara nos seus links eu acho isso pessimo gosto. Mil vezes melhor retirar o link do que deixar lá uma cruz.

    Grande abraço!!!!

  • Talvez alguma empresa séria pudesse criar um serviço de gerenciamento de contas/sites/senhas de pessoas mortas …

    para o site não achar que vc morreu, vc deve fazer login (sem senha salva) a cada semana, e caso passe do prazo, vc será dado como morto, ai esse site avisa sua familia e os outros sites onde vc tem cadastro.

    claro que teria de ser uma empresa bastante séria, não um simples serviço gratuito …

    o que acharam da idéia?

  • Eu já pensei sobre isto, mas ainda não fiz nada a respeito.

    Minha esposa sabe minhas senhas mais comuns, díficil vai ser ela saber quais são os serviços que assino.

    Mas é uma questão interessante esta.

    Quanto ao blog ser listado no blogblogs eu compartilho a idéia do Fábio Seixas e da Nospheratt.

    LucasSM se eu assinasse um serviço deste tipo, já teria sido declarado morto por dezenas deles.

    Vou anotar a idéa do Pen Drive no testamento.

  • Marlon Quandt

    Falando nisso, e o que fazer para uma conta que chegou de uma determinada empresa para um falecido inquilino da casa do meu irmão, que faleceu na época que morava la:

    "Regularize-se na xxx mais próxima, ou sua situação pode piorar."

    Pior do que já tá? Acho meio difícil.

  • O serviço web teria que ser assim: você deve logar semanalmente e dizer que está "vivo". Caso uma semana você não logue, ele envia o guia de procedimentos que você escrever para um determinado email. É bem simples.

  • E ai, o que fazer? Alguém conhece algum familiar ou amigo bem próximo do Aldemir que pode 'assumir' o que fazer com o Blog? Ou, melhor não fazer nada e deixar a blogosfera e o tempo cuidarem disto?

  • Pingback: Os melhores amigos deste blog - dudu tomaselli()

  • Maurício

    Que mórbido o "Call me" do Skype no blog e no site-homenagem dele.

    Afinal, fazer o que com as senhas?

    * Criar um serviço que guarde as senhas e dê aos familiares caso o usuário "passe"?

    (seria difícil fazer as pessoas acreditarem que o serviço é de confiança…)

    * Gravar em um pendrive a cada novo cadastro e permitir que todos que o pegarem possam ver suas senhas, mas garantir que suas "coisas" serão apagadas/bloqueadas/etc?

    Atualmente, ninguém conhece nenhuma senha minha. Acho que ninguém sabe nem de 10 lugares onde eu tenho cadastro. Nem eu lembro de todos os meus cadastros.

    Isso me faz pensar… seria hora de fazer uma lista com os sites onde eu tenho cadastro?

  • Sonic Nix

    Eu ja pensei algumas vezes sobre isso, e a idéia do Pen Drive é boa, acho que vou começar a fazer isso. =)

  • O problema com a idéia do site que envia e-mail com dados sigilosos é a confiança depositada no sistema.

    Eu uso o ewallet que guarda a maioria das minhas senhas, e minha mulher conhece a senha mestre. Mas se morrermos num acidente de carro, ou que é mais provável hoje em dia, num acidente aéreo, báu, báu.

    Outro problema é ter uma quantidade de parentes minimamente versados em tecnologia. Isso seria até mais grave do que confiar no site-testamenteiro. Imagine seus pais chamando seu amigo micreiro para ajudar no seu orkut…

    Mas é um problema sério. Lembram como o Yahoo! se negava a divulgar a senha dos soldados mortos no Iraque para os pais das contas de e-mail. Só divulgou após ordem judicial.

  • Puts! e eu estava pensando exatamente em algo assim

    Hoje os sites praticamente andam sozinhos, tudo configurado e a administração esta simples, muito simples

    Pode nem ser caso fatal, mas algo como um acidente seguido de coma por 6 meses, imagina tudo que construí sendo paralisado enquanto o dinheiro não para de ir embora

    Manter o site funcionando é fácil, e não gostaria de perder a grana do adsense, pelo menos pagaria o funeral, e ainda pode ficar o legado sustentando a família

    Realmente precisamos de um "backup humano"

    E sobre o caso do Aldemir, as pessoas ganham notoriedade quando se vão, grandes pintores só conseguiram isso depois de mortos e tantos exemplos

    Quantos posts podem ser usados para trackback, com referência ao que a pessoa escreveu, suas idéias e pensamentos, de onde surgem os filósofos?

    Isso tudo deve ser imortalizado, da vida não levamos nada, apenas deixamos

    A obra deve ficar

  • Na verdade eu quero saber que vai ficar com a conta do Adsense, até me ofereço para administra-la!

  • Pois é, essa é praticamente uma questão existencial. Como disse o Mario aí em cima, depois que um autor morre seus livros são retirados de circulação? Não vendem mais?

    Uma sugestão: acho que deveria ser criado um prêmio "Aldemir: melhores blogs do ano"… (acho que originalmente essa idéia é do Bernabauer, e bastante interessante!

  • Até pensei em uma forma de fazer isso. Deixar minhas senhas ao alcance de alguém, mas não posso confiar em ninguém, infelizmente, e essa pessoa me ferraria lindamente ainda em vida.

    Aí fodeu!

  • Eu concordo com diversas das opiniões acima:

    1 – O blog é a obra de alguém. E tem de ser mantido, dentro do possível, da forma como o autor o deixou. A primeira vez que eu vi isto acontecer foi com o Infoguerra, que eu gostava de acessar com regularidade, até descobrir que não seria mais atualizado. Ainda hoje acesso, de vez em quando, para procurar algum hoax mais antigo.

    2 – O blog não deve ser excluído de listas e rankings. Defender sua exclusão seria o mesmo que defender que todas as bibliotecas tirassem das fichas de catálogo os autores falecidos, permitindo apenas que os leitores que soubessem a localização das obras as lessem.

    3 – Gosto da idéia do Cardoso de um "testamento digital". Talvez fosse interessante existir um serviço seguro de armazenamento de senhas (claro, enquanto escrevo não estou levando totalmente em conta a questão de segurança), com uma senha e um login que seriam a única preocupação que o blogueiro teria em passar para outra pessoa. No meu caso, de certa forma tenho esse "testamento" há algum tempo, pois minha filha conhece todas as minhas senhas.

  • Guilherme

    Em relação ao Orkut, a pior coisa de cair nessas comunidades PGM (Profiles de gente morta) é que existe um bando de retardados sem-noção que esculacham o cara, mandam scraps xingando. Maior falta de respeito, agora um sistema que eliminasse as pessoas falecidas seria interessante. (se bem que, outros retardados sem-noção utilizariam esse recurso para excluir o perfil do cara e roubar comunidades e etc.)

  • Hãm…o Manuel Lemos comenta aqui também? Puff…

    Não adianta muita coisa guardar as informações de contas e senhas se não terá alguém com os mesmos ideais e interesses que você tem para seu blog.

    Quem vai gerenciar, escrever post, baixar arquivos para o FTP e pagar as contas de hospedagens? Poderia ser sua mãe de cabelos brancos, seu pai corôa que de tecnologia só conhece o controle remoto da tv, seu irmão mais velho que adora heavy metal, sua irmã louca por RDB, seu tio barrigudo fedendo a cerveja ou seu amigo de baia no escritório?

    Acho que quando isto ocorre (a morte), manter o trabalho de um blog só é interessante quando dá muito dinheiro, como o Contraditorium.

    Se eu morresse não teria problemas: Em 30 dias meu blog sairia do ar por falta de pagamento, meu nome iria para o SPC e ninguém sentia falta.

    E qual seria o doido que faria alguma menção a mim em um blog?

    Abraços e Sucesso

    Gino Netto

  • Fiquei muito triste com o falecimento do nosso companheiro Aldemir.

    Lendo seu post me lembrei de um post do ProBlogger sobre o que fazer para ter certeza de que o blog sobreviveria sem o seu dono.

    http://www.problogger.net/archives/2006/12/21/blo

    Abraços

  • Gino, blogs de griffe, como o Engadget e o MeioBit ainda sobrevivem sem o autor principal, mas o Contraditorium não. Quando um blog é pessoal, trabalho de eu sozinho, se o autor vai embora, perdeu-se tudo de importante no blog.

    Imagine Nanny sem a Fran Drescher. Não dá.

    Por isso que eu não posso nem vender esta bagaça. Seria a mesma coisa que arrumar um emprego, pois teria que me comprometer contratualmente a continuar com o blog.

  • Confiem as suas senhas à sua (atual) esposa e se ferrem totalmente no divórcio.

    Ex-Mulher é o inferno. Imagine uma ex-mulher com suas senhas.

  • Rafael Netto

    Meu irmão foi morto ano passado (foi notícia nacional) e consegui recuperar as senhas dele hackeando o "lembrador de senhas" do Firefox.

    Depois disso, arrumei um jeito de preservar as minhas próprias.

  • Concordo com o Mário,

    Um blog pode ser tratado com um livro,

    tem o mesmo propósito, o que mudou foi a mídia.

    Quanto à presença na lista de ranking, é o resultado

    do legado do que o autor fez em vida, se o seus textos ainda forem lidos e acompanhados nada mais justo permanecerem.

    Lembre-se e por favor, me corrija se estiver errado, que nem a hospedagem nem a posse do domínio são vitalícios, a menos que alguma empresa já ofereça isso. Com a morte do proprietário, na medida que não forem pagos, deverão, com o tempo, sair do ar.

    Não é isso? Parabéns pelo post, tudo que nos faz pensar vale a pena.

  • Guilherme

    Só eu notei essa incoveniente foto do Monty Python na esquete do papagaio morto?

  • tiagotb

    Realmente é complicado…

    Existem no blog do aldemir até uns comentários feitos achando que ele ainda estava vivo…

    Mas mesmo assim, acho que deveria ser deixado do jeito que está…sem mexer em nada, pois uma hora a hospedagem acaba e conseqüentemente o blog vai embora…

    e se fosse você cardoso? gostaria que fechassem seu blog caso acontecesse algo com você? Gostaria que esquecessem de você?

    eu não iria querer, pois seria minha "obra prima" e algo que sempre faria lembrar bem(ou mal) de mim… uma espécie de diário…no máximo eu deixaria a senha para alguem fechar o blog a comentários e colocar na descrição que o autor já havia "falecido" deixando o blog no ar até o fim da hospedagem…mas pediria para manter o conteudo nele… afinal perdi momentos da minha vida ali, fazendo meu livro digital, deixando minha marca…

    é assim que eu penso…

    e alias poderia existir um plugin que passa-se todos os dados do blog(senha-login-host-dominio-etc..) via email para alguem de confiança após um tempo de inatividade…não é uma idéia mórbida, afinal acasos podem acontecer e você ficar longe de seu blog por muito tempo…a sua pessoa de confiança manteria o site no ar trocando a sua monetização pela dela enquanto você não volta-se…

    até mais!

  • Tiagotb, se eu só vou ser lembrado por causa de um blog, então tenho problemas ;)

    E sim, o blog é seu livro, e não creio que você queira vê-lo todo rabiscado…

    Mesmo assim, eu gostaria que pelo menos fechassem os comentários, e que o fiel depositário usasse parte da grana do AdSense para bancar a hospedagem. O resto gastasse com mulheres e bebida. Pensando bem para tornar isso mais interessante ainda vou usar uma fiel depositária ;)

    Esse tipo de plugin que você sugeriu é uma versão do chamado "botão do homem morto", que existe em trens. Se o maquinista não aperta uma alavanca de tempos em tempos, os freios são acionados, dá o maior rebu.

    Mas não sei se confiaria em colocar todas as minhas senhas online, sob controle de uma aplicação só. A tentação pros hackers é grande demais.

    Guilherme, não tem nada de inconveniente. Chama-se bom-humor, coisa que o Aldemir tinha de sobra. Falar nisso, você nunca viu a homenagem ao Graham Chapam, do Monty Python, lida pelo John Cleese, na abadia de Westminster, onde ele faz uma paródia do esquete do papagaio, dizendo que o Chapman é um "ex-pyton"?

  • Mano, vc me fez pensar em uma coisa que não havia pensado (humm, ficou idiota mas continuando). Acho que nomearei um tabelião virtual para fazer meu testamento. Nunca se sabe quando sinistros vão acontecer e deixarei meus desejos blogados!

    Para o Ademir, um pensamento bom, e um agradecimento por mesmo depois de sua partida está nos dando lições

  • Pingback: Ciça Donner » cissinha.de - O legado()

  • muito boa colocação. Vou pensar melhor em como entregar minha herança… ou pelo menos arrancar alguém que venha colocar um aviso de falecimento. Morbido demais.

  • Esse tipo de problema de manutencao de senhas, sites e contas de mail. Nao poderia ser resolvido em um testamento comum?

    Nem sei como funciona um testamento comum. :-)

    Tambem jah pensei em deixar algumas informacoes centrais pras pessoas acessarem minhas contas e desativar o que for preciso. Mas eh um perigo cair em maos erradas.

  • Roberto Durval

    Acho que você está preocupado com sua morte!

    É meu amigo!

    A barra anda pesada nesse Brasil! hehhe

  • anunciaç&atil

    Tem razão,amigo.Já havia pensado nisso.Inclusive tenho todos as minhas senhas anotadas no bloquinho para meus filhos,caso eu morra antes,claro,façam o que deve ser feito.Graças a você e ao Aldemir vou pensar como aperfeiçoar a coisa.E graças à Ciça é que cheguei aqui.Gostei.Gostei também do Aldemir.Tomara que ele esteja em um bom lugar.

  • marcelo

    Cardoso,

    Você já pensou que seu blog (assim como todas suas posses virtuais) farão parte de seu espólio quando o

    sino tocar?

    Ou seja, assim como sua conta bancária (que também tem uma senha) será aberta pela instituição financeira por ocasião de seu inventário (alguém vai querer os caraminguás), se houver interesse do inventariante ou de algum herdeiro qualquer advogado poderá requerer as senhas de seus blogs a quem as detenha.

    Aí, seu blog pode virar o Cardosinho.com, caso seu filho o herde, ou Carloscanalha.com, caso algum parente desafeto consiga amealhar algum quinhão. Nosso escritório está a seu dispor. Contatos pelo e-mail.