Não pergunte o que seu político pode fazer pela blogosfera

Mas o quê a blogosfera pode fazer por seu político. (plagiando JFK)

Estava lendo este texto no Tech Letters, basicamente fala sobre a Malásia implantando uma Lei para controlar os blogs. (calma, companheiro, segure a bandeira) Escrever em blog, como qualquer atividade, envolve responsabilidade. Aqui nós estamos sujeitos a processos, se você disser algo no blog é bom que saiba do que está falando. Eu concordo, é muito fácil para um blog de alta visitação iniciar um meme (no sentido original do termo) prejudicial a um indivíduo ou empresa.

Assim como aqui, na Malásia o maior problema são os comentários, que provocam a maioria dos processos, caindo em cima dos blogs.

Se O Globo publica uma carta com uma informação errada, ou uma declaração de um entrevistado recebida em boa-fé, no máximo ele é obrigado a publicar um direito de resposta. Não há a presunção de má-fé por parte do veículo de imprensa.

Já casos onde é praticado o mau jornalismo, como o caso da Escola de Base, merecem todo o rigor da Lei, sejam publicados em jornal, sejam em blogs.

Aqui entra o problema: Nossos políticos não entendem os blogs. Não entendem a Internet.

Não é culpa deles. Nos EUA o Senador Ted Stevens, líder do Comitê do Senado para Transportes, Comércio e Ciência (grifo meu) definiu, em uma entrevista, a Internet como “uma série de tubos“. Larry King, um dos mais famosos e respeitados jornalistas da CNN nunca mandou um email na vida.

contraditorium-congresso.jpg

Poderíamos fazer blogs e blogs demonstrando o quanto somos mal-compreendidos, como somos coitadinhos, como deveriam nos tratar melhor nos corredores do Legislativo. E seríamos apenas mais um grupo de pedintes.

Acredite, políticos, como todo mundo odeia pedintes. Políticos, como todo mundo, adoram cobrir a retaguarda. Se o sujeito tiver uma carta assinada de Deus ACM dizendo que ele está coberto para votar em um determinado projeto, ele fica muito mais tranquilo.

A maior parte dos que votarão e/ou proporão projetos sobre Internet não entendem nada dela. No máximo estarão pessimamente assessorados, como o último grande projeto de regulamentação de Internet, cujo “mentor intelectual” foi um funcionário do SERPRO que pelo texto nunca viu um modem ADSL na vida. Como podemos querer que os políticos entendam nossas necessidades assim?

A proposta:

Eu sugiro que seja criado um movimento/organização/blog/qualquer coisa apartidário, sem NENHUMA orientação política, que desenvolva materiais de orientação voltados para a classe política, em todos os níveis.

Vamos ensinar o que sabemos, vamos mostrar o nosso dia-a-dia. Há muito pouco sendo feito para dificultar a vida dos scammers com seus emails falsos de fotos de acidentes, passagens da gol para Porto Alegre, débitos no SPC/SERASA, etc. Esses mereciam muito mais atenção. Mas quem efetivamente escreveu para um político pedindo uma legislação específica?

Na parte de jogos, há a clara (e errada) percepção que jogos estimulam a violência. Demonstrar através de estudos independentes e boa argumentação que isso não é verdade é muito melhor do que dizer “que idiota!”.

Imaginem isso como um canal de mão-dupla. Políticos podem usar esse site/blog/serviço para expor idéias de projetos, e ter um retorno de quem efetivamente será afetado pelo projeto. A regulamentação dos Profissionais de Informática por exemplo ganharia muito se tivesse passado por isso.

Esse tipo de projeto, entretanto, tem que ser controlado com mão-de-ferro. Um vereador do PCB tem que receber o mesmo tratamento que um senador do PFL, não importando que quem responda seja um cripto-militante do PV. De preferência respostas mais complexas deveriam ser aprovadas por um grupo.

Graças à ferramentas de monetização teríamos verba para produzir cartilhas e outros materiais “analógicos”, que podem fazer toda a diferença, quando lidos em uma viagem de avião, por exemplo. Imaginem um deputado fechando uma cartilha simples, direta e objetiva, e dizendo “ah, agora entendi esse tal de P2P”. A própria questão de música online já poderia ter sido resolvida, com incentivos para projetos de venda via Internet, sem DRM. Mas há alguém falando com os políticos sobre isso? No máximo as gravadoras.

Tenho contato com alguns políticos, vou fazer uma consulta sobre a receptividade desse tipo de iniciativa. Quem conhecer algum também, peço que faça o mesmo. Vamos ver se com isso protegemos o nosso traseiro de um futuro que não será bom para ninguém.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Rodrigo

    A idéia é muito interessante, mas ao meu ver ia acabar não adiantando muito, já que os políticos podem "não ter tempo" e acabar mandando aquele assessor do assessor fazer coisas do tipo "lê e depois me faz um documento com o resumo". Falo meio que por experiência do dia-a-dia, já que trabalho com políticos e eles nunca param pra ler explicações muito longas sobre coisas não-estratégicas pra eles.

    Mas de qualquer forma seria uma forma muito interessante de mostrar aos governantes a realidade da Internet, digamos assim.

  • "No máximo estarão pessimamente assessorados, como o último grande projeto de regulamentação de Internet, cujo “mentor intelectual” foi um funcionário do SERPRO que pelo texto nunca viu um modem ADSL na vida."

    Pô Cardoso, agora você mexeu comigo. Caramba, você tem a menor idéia do que é o Serpro, da qualidade de seus funcionários, da revolução que está se passando aqui dentro neste momento? Sou funcionária do Serpro há 1 ano e meio, e sinceramente não tinha idéia de como eram as coisas aqui antes de vir trabalhar. Sabe quem faz praticamente todos os sistemas do governo federal?? O Serpro! Quem controla toda aquele envio louco de declarações de IR e não deixar a peteca (servidores, claro) cair? O Serpro!! E você vai dizer que um funcionário do Serpro fez isso, fala sério…

    Convido-o para um visita ao Serpro para que tenha uma visão mais clara da qualidade da empresa. Nada contra o resto do artigo, mas ler algo assim, sinceramente Cardoso, eu não engulo!!! :)

    Abraços!

  • Gostei da idéia, você falou sobre scammers, eu tive uma idéia parecida com tutoriais cheio de imagens e frufrus para ajudar as salsichas a entenderem quando estão em frente de um novo golpe ou não.

    Seria tipo um 'catálogo' dos golpes que estariam sendo aplicados no momento e dicas de como se defender deles…

  • OK, veja aqui:

    http://www.meiobit.com/internet/usar_internet_sem

    É sobre o Projeto de Lei do Senador Eduardo Azeredo, com assessoria de José Henrique Portugal (Ex-SERPRO).

    O projeto, entre outras sandices…

    obriga a identificação dos usuários da internet antes de iniciarem qualquer operação que envolva interatividade, como envio de e-mails, conversas em salas de bate-papo, criação de blogs, captura de dados (como baixar músicas, filmes, imagens), entre outros. Os usuários teriam de fornecer nome, endereço, número de telefone, da carteira de identidade e do CPF às companhias provedoras de acesso à internet, às quais caberia a tarefa de confirmar a veracidade das informações.

    Quem escreveu isso não entende NADA, NADA da estrutura de funcionamento da Internet. O SERPRO pode ser excelente, mas esse tal de José Henrique não está contribuindo em NADA para a imagem do órgão.

    Não quero uma visita, quero que me diga que ele foi demitido por incompetência. Isso sim me fará mudar de idéia.

  • Há muito tempo eu não via na Internet uma proposta tão coerente como esta. Eu não sou muito bom para organizar novos projetos, porém já sou um candidato a colaborador. Parabéns Cardoso!
    Abraço

  • Excelente!
    Ótima proposta e no que puder ajudar, organizar estou a disposição, trabalho com internet a um bom tempo e realmente eu nunca vi uma proposta parecida, alias, vi sim foi muita gente xingando os políticos por causa de suas atitudes.
    Creio que é com iniciativas como essa que o Brasil melhore, não podemos ficar esperando que eles façam tudo.

  • Olá Cardoso,

    Há algum tempo venho acompanhando seu blog com frequência. Interessante você ter tocado neste assunto porque ontem mesmo eu tinha escrito sobre isso.

    Acho muito interessante a sua idéia, a dúvida é: Ela se restringiria aos interesses dos blogueiros?

    Quanto ao fato dos políticos nada entenderem de internet, isso é fato. Aliás, não só de internet mas de vários outros assuntos. Enquanto tivermos as decisões sendo tomadas de forma política e não por pessoas técnicas. Veremos muitas situações como a do avião da TAM.

    Um abraço

  • Citar uma fonte em que se é o próprio autor é confiável? José Henrique Portugal, é ex-diretor do Serpro. Diretores são nomeados através indicação política, não presta concurso público. Portugal ocupou um cargo temporário de diretoria por cerca de 2 anos.
    Diretores entram e saem por motivação política, a competência fica em geral em segundo plano, mas com isso não quero dizer que ele não tenha competência.
    Além disso, ele também trabalhou na IBM, foi Secretário do Governo de Minas e trabalhou no Ministério do Planejamento. Porque ninguém fala que ele, assim como o Azeredo, foram funcionários – realmente funcionários – da IBM por mais de uma década?
    Sou totalmente contra a censura, mas já parou para pensar como é que o governo controla a internet na China? Será este controle não é tecnologicamente possível? Apesar de ser possível, não apoio nem acredito que seja este o caminho correto.
    Quanto à sua proposta, achei uma boa idéia. na Suécia, por exemplo, já existe até um partido político que luta pela liberação de downloads chamado Partido Pirata da Suécia. Aqui acho que ainda vai demorar um bocado para um partido levantar esta bandeira…

  • Eduardo, eu imagino esse serviço/projeto englobando internet, não só blogs, mas fora isso não me sinto confortável para assessorar quem quer que seja, muito menos um político.

  • Só pra citar uma coisa: o que na "cultura popular" gera mais violência?
    1-aquele aborrecente com a cara cheia de espinhas tirado a gostosão jogando um GTA da vida, metralhando pedestres, atropelando quem quer que passa na sua frente e ainda usando cheats pra promover AINDA MAIS carnificina, pra sair da lan house as gargalhadas com os amigos.
    2-aquele tiozinho tirado a correto que enche a cara num bar qualquer de beira de estrada e vai pra casa vendo mais aliens nas ruas que os corpos estirados deixados pelo nerd supracitado, e ainda descndo com um 38 ou similares metendo balas pra tudo que é canto sob a alegação que bebeu demis(qualquer semelhança com o Senhor Volante é mera coinscidência)?

  • Cardoso, a idéia é ousada, e mto boa. É uma maneira de remediar – tentar ao menos – o aspecto negativo que o foco nos blogs pode gerar. Além disso, mata dois coelhos numa porrada só, ja que pode oferecer essa ajuda na prevenção de scammers.

    Apoio e ajudo. Sem dúvidas isso deve começar com um blog e, principalmente, ter diretrizes bem traçadas como vc disse.

    Abraço

  • Bacana a idéia Cardoso!
    A Comunidade do Software Livre é um exemplo. Todos podem contribuir com o projeto, mas claro que é necessário iniciativa de alguns para qualquer projeto, e a sua me parece ser bastante inteligente.
    Espero que isso siga e seja implementado muito em breve, pois precisamos o quanto antes.

    Desvio…Já se falam em apagão na rede!

  • Exelente proposta, mas tem o risco do processo ficar rolando por anos é quase certa, como não tem muito futuro para os politicos…
    Mas está apoiado, e se precisar de ajuda ( como se eu foce alguma coisa na blogosfera ) estamos aqui.

  • Pingback: Tech Letters » Blog Archive » Uma organização em prol dos blogs()

  • Excelente proposta, Cardoso! A web tem um ótimo caráter democrático e podemos, muito bem, usá-lo a nosso favor. Não faço idéia de como atrair os políticos, acho que essa questão será a mais complicada; mas tem tudo pra dar certo.
    Não conheço nenhum político, mas vou pensando sobre isso.

  • Morei no Brasil durante meus anos formativos mas nunca fui cidadã brasileira e moro aqui na Gringolândia há quase 22 anos.
    O que me dá bronca na informatização do governo é que certas coisas não funcionam; tipo uma época em que o BB on-line só aceitava Netscape 6.0 e nós tínhamos 7.0. Ou o número de zeros não significativos para teclar on-line; ou ainda, já no escopo de jornais, a exigência de CPF para fazer assinatura.

    Ofereço toda minha colaboração possível para o projeto GLS, já li o outro post. Espero que seja aproveitado o momento e passarei os links destes posts adiante. Aqui o caso da sufoco de blog por causa do Sarney jamais teria acontecido, o blogueiro tem a lei do seu lado em caso de figura pública (Article c 230.)

  • Achei a idéia excelente, seria bom ver os comentários dos políticos sobre o quê acham sobre de terminado assunto…Mas, por enquanto, acredito que precisamos melhorar os nossos polítcos (leia-se escolher político melhores) para que depois essa idéia dÊ certo.

  • A idéia é interessante. Todo grupo social tem o direito de defender seus interesses junto ao Legislativo. Com isso, faríamos um bem não só a nós mesmos, como também aos demais usuários-padrão da internet :P

  • Cardoso, que tal começarmos com uma lista de discussão no Google Grupos? O debate fica bem mais concreto…
    Eu mesmo criaria, mas você tem mais experiência com isso :P

  • Propostas e mais propostas inteligentes é o que não falta Cardoso, agora alguém ir lá e fazer acontecer que é dificil nesse país, com polítcos desse naipe, precisa de muito argumento sensato, e paciência pra convencer esses porras. Como você tem uma certa inflência nesse meio digital, é sim uma das pessoas indicadas pra isso (puxei um saco legal agora heim Cardoso?) Mas tem tratar com políticos mentes-aberta de preferência não-PFL, e politicos do tempo da vovo, senão qualquer movimento que se faça, no final não sai do lugar. Agora se neguinho lá do SERPRO não tem teve sucesso em alguma ação, seja por incompetência, ou sei lá o que, imagina o que precisa ser feito.

  • Sei que não sou um grande apoio, mas pode contar com a minha colaboração. Sempre defendi que cobremos dos políticos que receberam nossos votos que mantenham os compromissos e atitudes de campanha, mas concordo que às vezes é necessário darmos um empurrão a mais.

  • Boa idéia! Acredito que, com o tempo, o Google encontra este blog e a mídia tradicional irá citá-lo como exemplo.

    A parte interessante é que isso não precisa serr apenas para falar sobre internet. Imagine se os biólogos (ou advogados, geógrafos…) organizarem seus espaços e fortalecerem suas idéias através de um blog similar. Acredito que seus leitores fariam pressão por mudanças políticas também.

    Parabéns pela idéia. Se for colcoar em prática, pode contar com meu apoio e contribuição no que for necesário.

    Até mais!