TREMEI! Jornalismo ameaçado pela Internet! (ou não?)

Jean-Francois Fogel tem credenciais. Já escreveu pra veículos como Le Monde, Liberation, Le Point, Agência France Press, etc. Também é co-autor do livro “Uma Imprensa Sem Gutemberg”, sobre a nova realidade do jornalismo em tempos de Internet.

Em uma entrevista para o site di-ve, ele fala:

“Jornalistas perderam a platéia silenciosa e admirada, desejosa de confiar em tudo que dissessem. A imprensa hoje é recebida com suspeita. A audiência prefere procurar pela informação por conta própria, usando sites e ferramentas da Internet para construir sua própria visão do que deveriam ser as notícias do dia”

“A Internet permitiu à audiência se tornar o jornalista, através de blogs, por exemplo. (…) Eu não acredito que o jornalismo seja tão importante que tenha que ser deixado nas mãos dos jornalistas. Isto é, mais ou menos, o que as pessoas que apóiam o “jornalismo cidadão” estão dizendo. Jornalismo é um negócio sério, sim, mas jornalistas e leitores atuam de formas diferentes. O problema para a imprensa agora é que ambas as partes são importantes. Imprensa e leitores estão casados e não podem se divorciar”

Se você se contenta com o discurso básico “chupa grande imprensa blogs são o futuro PNC do Roberto Marinho”, recorte o texto acima e faça um post mostrando o quanto o mega-jornalista francês garantiu que o Estadão fecha em 3 dias.

Já eu, bem…

Na Internet vivemos a regra do 1%. 1% geram conteúdo, 1% dos que consomem o conteúdo comentam, 1% clicam nos banners do Google, a minha chance de sair com a Luciana Vendramini é de 1% (num dia especialmente bom).

Dado exemplos como os fiéis rezando e recolhendo dinheiro pra igreja renascer, depois do desabamento, dado o convívio com gente normal nas ruas, fica difícil acreditar nesse futuro maravilhoso de jornalismo colaborativo.

As pessoas não querem pensar, não querem questionar. Um dos comentários-padrão que recebo sobre quase tudo é:

“Se você não gosta não assista/use/coma/beba/ouça. Não precisa escrever falando mal”

Isso tem muito a ver com aquele ditado idiota, “se você não tem algo de bom a dizer sobre alguém, não diga nada”.  Funcionou muito bem na Alemanha de 1936 a 1945.

Eu vejo essa sede de informação, essa vontade de querer saber mais, essa capacidade de questionamento em uma minoria. A boa e velha elite de sempre, nós. Não vejo isso aumentando. Não vejo uma horda de estudantes abrindo comunidades no Orkut discutindo o verdadeiro papel da Igreja na escravização dos índios no Sul do Brasil. O que vejo é comunidades de comedores de meleca.

O Jornal Nacional continua firme e forte. A grande maioria das pessoas quando vê um ato de “jornalismo cidadão” ainda por cima critica. O sujeito que ficou twittando o pouso do avião no Rio Hudson foi chamado de idiota por um monte de gente.

A plebe ignara, o populacho, a massa não quer pensar. Não quer questionar. Esse povão não tem o menor interesse nesse novo jornalismo colaborativo cidadão 2.0.

O que vai acontecer é que nós, blogueiros, digerattis, vanguardistas, os 1% iremos produzir conteúdo, colaboraremos com nossos pares e no final a massa nos consumirá da mesma forma passiva, aceitando sem questionamento e pedindo opinião, não dúvida.

Para eles fará pouca diferença se a “Verdade” vem do Jornal Nacional ou do Blog do Cardoso. Uma vez estabelecida a relação de confiança, a informação é engolida.

Isso nos traz uma responsabilidade muito além da que um reles blog deveria ter. Não sei se quero esse cálice.

O problema não são os blogs, é o público. É hora de mudar o público, mas isso não é trabalho de blogueiro, é trabalho de professor.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • O povo sempre foi e sempre será acomodado. Antigamente tudo era por causa de Deus e da Igreja, hoje em dia, ele tem medo de questionar o que ocorre no mundo(porque prefere viver isolado em sua bolha). Acredito que isso nunca irá mudar…

  • Ótimo texto Cardoso. Realmente mudar o público será complicado. Tente enfiar na cabeça de um desses que participa da comunidade "Como Meleca" que o mundo não é do jeito que ele pensa ser, e seja apedrejado em ruas públicas. A ignorância é fato.

    PS: Ótimo trecho você tirou do artigo original, muito bom.

    Abraços e até mais,

    Monthiel

  • Muito boa crítica, Cardoso. É claro que o Jean-Francois Fogel fala do ponto de vista europeu, mas seu contra-ponto é ótimo.

    E querer comparar os níveis de educação europeu e brasileiro é covardia…

  • Ótimo texto!

    As pessoas acreditam muito na web, mas não levam muito em conta a regra do 1%.

  • Cardoso, sem querer ser pessimista, mas acho que a porcentagem de chance da Luciana Vendramini sair com você é bem menos de um por cento. Com relação aos outros "um por cento" eu concordo :P

    Abraços.

  • Excelente. Mas infelizmente nossa sociedade é assim. O aluno que estuda mais é o cdf, o cara que não aceita tudo de cara é o "do contra", quem tenta escrever usando português correto é metido, e por aí vai.
    Pois mesmo em uma unviersidade, onde espera-se encontrar a "elite intelectual", voce tem que peneirar muito pra encontrar uma discussao produtiva.
    As pessoas não sabem pensar, assim como não sabem ler, não sabem argumentar, etc. O mundo é uma grande plantação de salsinhas.

  • Hoje a internet é sem dúvidas uma possibilidade, uma chance de construir um conteúdo mais crítico que possa fazer frente a massa manipuladora que temos na imprensa, onde sempre as intenções dos veículos são colocadas nos pequenos detalhes de uma reportagem, infelizmente a maioria da população não é capaz de perceber o viés dos veículos de comunicação pelo mesmo problema citado em seu texto, a falta de questionamento nas informações recebidas.

    A internet está sim ameaçando o Jornalismo tradicional. Isto é um fato, não é uma argumentação, mas não da maneira como este comunicador francês afirma. Não podemos comparar o nosso jornalismo e a nossa blogosfera com a dos países desenvolvidos. As coisas nos EUA já são diferentes. O Pedro Doria escreveu em seu blog sobre o futuro do jornalismo no advento das novas mídias, com a ascensão principalmente da internet (neste post: http://pedrodoria.com.br/2009/02/20/o-futuro-do-j…. Nos EUA já há um grande problema com os veículos de comunicação tradicionais, principalmente com o que diz respeito a publicidade. Esta é a principal ameaça que pode acabar com boa parte dos jornais e revistas do país, agora o meu questionamento foi se isto realmente teria possibilidade de acontecer aqui no Brasil em médio prazo.

    A cultura de um povo não pode ser mudada a curto prazo, porém um enfraquecimento do poder da imprensa pela falta de dinheiro irá aumentar a leitura de conteúdo gratuito e isso poderia, teoricamente, aumentar o público dos blogs. Porém não mudaria a forma como o público recebe a mensagem e a interpreta, e nisso concordo contigo.

    Acredito em um enfraquecimento do Jornalismo por trabalhar com um modelo de negócio que, a médio prazo no Brasil e a curto prazo nos EUA, não traz mais a mesma força monetária que trazia antes da internet. Veremos agora, nesta época de crise onde diversos jornais estão ameaçados no mundo, como os veículos tradicionais do Brasil irão planejar os seus próximos dez anos.
    No Brasil ainda temos tempo, tanto para tentar mudar essa inércia da população quanto para mudar o modelo de negócio caduco dos nossos jornais e revistas.

  • Wendell

    Pois é, Cardoso. Resta saber o que a seleção natural reserva para esse 1%.

  • Tenha paciência rapá… Há toda uma geração se informado que entende melhor este princípios de colaboração. Você tira pelo nível do português de quem faz este tipo de crítica que se tratam de pessoas com uma certa defasagem educacional. Duvido muito que toda esta cambada de adolescente que passam o dia no Orkut, daquie a 10, 20 anos, quando forem os donos dos cheques, estranharão textos mais opinativos. Não acho que a TV vá morrer, mas tenho sérias duvidas quanto aos jornais e às rádios.

  • Pingback: 1 + 1 é quanto mesmo?()

  • Pô, Cardoso, sou professor há quase 6 anos e não consegui mudar público algum.

    Sabe quem muda (pra pior) o povão?

    Cantores de funk e apresentadores de auditório.

    Quer mudar o Brasil? Pague o Faustão pra fazer isso.

    • Um professor mudar o público para melhor é uma utopia. O maximo que você pode conseguir é instruir aqueles que já tem tendencia a serem bons a irem no caminho correto, o restante seguirá assistindo novelas, BBB's, futebol e seguindo as tendencias das modinhas passageiras e instruções de seus líderes religiosos.

  • Sou professor de Física e sinceramente, ganhando 1200 reais por mês, nem tenho tempo para pensar nos outros, pois tenho muitas contas a pagar.
    Se eu fosse exclusivo de uma só escola e ganhasse mais de 5000 por mês, quem sabe meu trabalho tivesse mais qualidade. E além do mais, nem sei se o salário fosse maior a educação seria melhor, pois com toda essa aprovação automática, acredito que a situação continuaria a mesma.

  • Então vamos ao seguinte Cardoso: se blogueiros que já viraram referência e têm ao menos 1% de respeito, de cliques e de comentários tirarem o time de campo, quem é que vai denunciar que Lula triplicará o Bolsa Família para eleger ou ao menos tentar fazer Dilma Rousseff subir a rampa em 1º de Janeiro de 2011 ?

    Dilma estará mais preocupada em produzir dossiês contra Serra e Alckmin de novo. É o forte dela !

    Quem vai denunciar que o núcleo duro do PT comprou grande parte do PMDB para eleger Sarney presidente do Senado contra Tião Vianna ? Não que isso seja novidade.

    Quem vai denunciar que a farra do cartão corporativo continua, não é Orlando Silva ?

    Quem vai contar que a Oi será uma das principais doadoras dos Caixas 2 Petistas para 2010 ?

    If not you, Who ?

    <abbr>Damnati – último post do blog… Quanto custa uma capa de jornal ?</abbr>

    • Só um detalhe: qualquer presidente de qualquer partido faria coisa semelhante para eleger seu sucessor.
      Se as pessoas do PT fazem isso, é porque nossa política no geral é viciada. Pelo seu comentário, você deve ser eleitor ou alguém do PSDB. Lembre-se que o mensalão foi inventado por pessoas desse partido.

      • Outro detalhe: O PSDB está no governo de São Paulo há mais de dez anos. O salário do professor é uma vergonha, não existe aumento, e sim bônus e gratificações que não fazem parte do salário, porque podem ser retirados a qualquer momento.
        Muitos devem ter acreditado que o Serra deu 17% de aumento de salário da última vez, pois isso foi divulgado amplamente pela imprensa. Na verdade foi apenas incorporação de um bônus, que em nada mudou os ganhos do professor.

      • Não eu não voto no PSDB. Só votarei no Brasil no dia em que houver um partido que mereça ser chamado de Extrema-Direita. Até lá eu continuarei anulando meus votos.

        Outra coisa, pelo nível dos professores no Brasil, eles ganham até demais. Repensei o caso. É o mesmo do PM corrupto que se alia ao tráfico porque se diz motivado pelo baixo salário. Quer ganhar bem ? Vai estudar, MUITO !

        • Engraçado, essa é a visão da secretária da educação em São Paulo.

        • Extrema Direita são os partidos que consideram correto o pensamento nazista/fascista, por conseqüência seus simpatizantes normalmente são totalitaristas, racistas, homicidas em potencial e tão imbecis quanto os simpatizantes da Extrema Esquerda que acreditam em revolução armada ou dos religiosos fundamentalistas como os talebans. É lamentável que ainda existam pessoas assim.

          • Pardo Brasileiro

            Direita nazista?

            Desde quando direita é estatista? O Regime Nazista e Fascistas sempre foram verdetes socialistas. E por favor… racista? Ser contra cotas é ser racista? Racista é que acham que negros são tão burros que precisam de cotas pra competirem com os brancos.

    • Hoje não há um só partido que você possa dizer que é melhor ou pior que outro, todos estão no mesmo balaio.

      Os escandalos dos petistas só estão mais em evidencia porque o grupo Abril é antipetista, nota-se que atá quando alguém de lá vai a algum evento sobre mídia social, sempre acham uma brecha para falarem mal do PT.

      Qualquer que seja o escandalo, verifique que há palo menos um membro de cada partido envolvido.

      Desta turma, só reclama ou denuncia aquele que fica sem participar ou aquele que participa com uma fatia que considera pequena, como foi o caso do Roberto Jefersom.

      E lembre-se, homens de bem não participam do governo, de nenhum deles.

      • "Desta turma, só reclama ou denuncia aquele que fica sem participar ou aquele que participa com uma fatia que considera pequena, como foi o caso do Roberto Jefersom."

        Ou então o Jarbas Vasconcellos, quando disse que o PMDB é corrupto.

      • Salve Hugo Chávez !

  • desde "Santa Catarina" sempre que leio/assisto jornais me pergunto "porque?"perdi a fé nos jornais ultimamente só abro o jornal pra ler tirinha do dilbert e a coluna do josé simão e leio alguns blogs que consifdero confiaveis, é oque chamo de me manter atualizado…, e mesmo assim ainda não aceito oque leio como "Verdade" mas como algo só proxímo da "Verdade",mas sou relaxado o suficiebnte (e sem tempo) pra não me esforçar em ficar criando discussões por aí, pretendo quando tiver um pocuco mais de tempo

    <abbr>thrm – último post do blog… </abbr>

  • desde "Santa Catarina" sempre que leio/assisto jornais me pergunto "porque?"perdi a fé nos jornais ultimamente só abro o jornal pra ler tirinha do dilbert e a coluna do josé simão e leio alguns blogs que consifdero confiaveis, é oque chamo de me manter atualizado…, e mesmo assim ainda não aceito oque leio como "Verdade" mas como algo só proxímo da "Verdade",mas sou relaxado o suficiebnte (e sem tempo) pra não me esforçar em ficar criando discussões por aí, pretendo quando tiver um pocuco mais de tempo

  • "É hora de mudar o público, mas isso não é trabalho de blogueiro, é trabalho de professor." …….. Que otimismo! Não pelos professores, mas pelo público. Apesar de vivermos no séc. 21, do ponto de vista humano não há nada de novo sob o sol. O povo sempre será povo e só assume algum impulso de mudança quando o calo aperta, quando a fome vai roendo o estômago, coisas assim. Quem sabe a regra do 1% também valha para a porcentagem dos que se sobressaem, nas escolas, por disposição própria.

    <abbr>Ronaud Pereira – último post do blog… E que tal uma dose de paciência?</abbr>

    • É sempre essa atitude, nunca é trabalho do blogueiro afinal, blog é só um diário idiota de quem não têm nada mais importante para fazer ou dizer né não Ronaud ?

      <abbr>Damnati – último post do blog… Como receber o Bolsa Família</abbr>

  • O 1% que lê conteúdo de qualidade na internet e aproveita alguma coisa é o mesmo 1% que já fazia isso na mídia tradicional.

    Você diz que o "Jornal Nacional" continua firme e forte, mas o que dizer das novelas, BBB's e campeonatos de futebol com resultados comprados? Estes também continuam firmes e fortes, angariando mais audiência a cada dia.

    E mesmo aqui em seu blog vemos os passivos que a cada matéria sua comentam: "Boa idéia Cardoso, eu ainda não tinha pensado nisto, vou já fazer isto ou aquilo". Preste atenção, são sempre os mesmos leitores que fazem este tipo de comentário, nunca contribuem com acréscimo nenhum, nunca questionam, nunca opinam, apenas aceitam o que você diz, com passividade e tomam aquilo como verdade absoluta, tal qual os fãs do Willian Bonner, Boris Casoy ou Datena.

    O povão é burro, medíocre, alienado, preguiçoso e tem fé em um céu onde "anjos do Senhor" ficarão a disposição servindo-lhes de empregados por que foram bonzinhos e seguiram o manual de instruções de seus templos.

    Quanto à responsabilidade que você questiona se quer para si, não se preocupe, o povo também tem a memória muito fraca, em alguns dias a maioria dos que vem aqui nem lembram mais o que leram, isto se realmente leram realmente e se é que entenderam o que você quis dizer. A sua responsabilidade não alcança 1% de seus leitores, pois são pouquíssimos que realmente contribuem para o aprimoramento do conteúdo que é publicado aqui.

    Quantos de seus leitores entenderam quando você chamou alguns de blogueiros vira-latas? Quantos já questionaram sua opinião com base em linha de raciocínio e sem paixão religiosa?

    Responsabilidade dos professores? Como espera que professores façam seu papel se tem a aprovação automática, o salário baixo e o pessoalzinho dos direitos humanos defendendo que alunos "dimenor" podem fazer o que quiserem em salas de aula, pois não se pode repreendê-los para evitar constrange-los? Os professores hoje estão lotados na categoria vítimas e não mais na categoria educadores.

    Quando você cita a igreja, sempre lembro que a questão vai muito além da religiosidade, pois é comum os líderes religiosos indicarem seus candidatos e estes serem votados pelos fieis sem o menor questionamento.

    O povo é como gado, basta algum formador de opinião chegar que conduz a massa para onde bem quiser.

    O 1% dos leitores que realmente fazem a diferença geralmente são o mesmo 1% que também forma opinião, que também gera conteúdo e não duvido que em um futuro, talvez a curto prazo este grupo gere conteúdo apenas para si próprios, como já acontece na comunidade científica.

    Para muitos, pensar é trabalhoso e deve doer, então é melhor deixar este trabalho para outros fazerem por eles.

    Para ser bem sincero, estou achando muito otimista esta projeção de 1%.

    Um grande abraço

    • Gilberto, você foi perfeito!!! Foi um dos comentários mais lúcido que li por aqui!

  • Só espero que os blogueiros deem mais atenção à Educação do que a velha imprensa. Os professores também precisam de apoio.

  • Entre a Luciana Vendramini e a Lois Griffin,sou mais Lois!!

    Quanto aos jornais eles estão fracos porque os serviços que os

    jornais ofereciam bem – classificados, programação cultural atualizada e

    resumo de novelas(!) – agora foram sunstituídos pela internet.

    Por que ninguém coloca 'em pauta' o que realmente tratamos ??

    As pessoas são medíocres ou muito limitadas, e os grandes jornais,

    mesmo com seus "erros" editorias, colocam a disposição um

    conteúdo distante da maioria burra !! Eles vão fechar !!

    <abbr>É Criacuervos, baralho !! – último post do blog… </abbr>

  • Gharcia

    Como assim Cardoso? O professor tem que mudar o Público? A criação e núcleo familiar serve pra que? Pagar contas?

    pensando bem…

    Se uma minoria de professores conscientes ( 1%, do 1% do 1% ) fossem além de conscientes caridoso eles poderiam fazê-lo… talvez até façam…

    Pensando melhor: acredito mais nos professores do que a leva de pais "mantenedores" que vejo por aí.

  • Esta é uma das minhas discussões preferidas! Mas ela tem nuances mais complexas, o que dizer quando alguém encravado dentro da imprensa tem a dupla identidade blogueiro-jornalista, tipo o Noblat que agasalhou a barriga enorme do nebuloso caso Paula Oliveira?
    Confesso que suspeito da imprensa oficial, tanto quanto suspeito dos blogueiros travestidos encastelados dentro dela.

  • Concordo cegamente. :)

  • Gilberto, sobre os professores, lembre-se de que eles também não podem mais reprovar alunos, essa coisa ultrapassada… Abraços

  • Claudio Emanuel

    Não sei se é verdade, mas, supostamente, um jornalista da Record, Carlos Dornelles, ex-globobal, fez duras críticas à uma suposta tentativa da emissora dos Marinho em "aniquilar" uma concorrente que, aparentemente, tem relações com uma afiliada global, pressionando essa filial a encerrar a transmissão via satélite…

    Resumidamente é isso o que está escrito aqui. Seria mais um fake ou produto desse jornalismo colaborativo 2.0?

    • Onde trabalho, temos contato com o pessoal da Verdes Mares. Fomos informados que uma retransmissora da TV Diário em São Paulo, Carapicuíba, teve que fechar as portas por determinação da Rede Globo, que ameaçou a afiliada cearense.

      Rede Globo é isso.

      • Claudio Emanuel

        Mas então a história é verdadeira?

        Me disseram que os dois jornais daquele estado ou desmentiram essa história toda ou simplesmente não escreveram nada a respeito…

        Agora fiquei em dúvida.

      • Claudio Emanuel

        Parece que a história é verdadeira, mesmo, infelizmente.

  • "O problema não são os blogs, é o público. É hora de mudar o público, mas isso não é trabalho de blogueiro, é trabalho de professor." (Carlos Cardoso)

    Faz tempo que não via – condensado em uma frase – uma verdade tão dolorosa.

    Vivemos uma época onde o crescimento das opções que a humanidade tem para evoluir é tão vasto e tão poderoso que é dificil escolher qual deles podemos usar e no entanto existe uma massa tão grande de pessoas que simplesmente não tem acesso a estas opões que fico me perguntando se ainda existem realmente professores.

    Divino

  • True – na Internet vivemos a regra do 1%, if not you, Who ?

    True – 1% geram conteúdo, d´onde ?

    True – 1% dos que consomem o conteúdo comentam, me too

    True – 1% clicam nos banners do Google, me not

    True – a minha chance de sair com a Luciana Vendramini é de 1%, (Dá créu?)

    False – a minha chance de sair com a Dilma Rousseff é de 1%, (Se o Lula deixar, claro)

  • Agradecer-lhe a visita e convite para participar do debate. Muito pertinente o artigo, entretanto, mesmo apoiado em pesquisas, não devemos desprezar o fato de que, cada leitura de um ponto de vista diferente dos publicados pela grande mídia surte um efeito lento mas devastador nos que estão flutuando dentro da margem de 1%.

    Também parto do princípio que um blog está mais direcionado à publicação de pontos de vista e artigos que um "newspress" propriamente dito.
    Eu, por exemplo, visito os blogues não para ficar bem informado, mas sobretudo para saber a opinião do blogueiro sobre determinados assuntos.

    Um abraço

  • Jéssica

    “É hora de mudar o público, mas isso não é trabalho de blogueiro, é trabalho de professor.”

    Comece a mudar o povo por esse mesmo blogueiro que falou isso.

    Gosto muito deste blog, mas não concordo com este pensamento.

    É o pensamento de que "as autoridades devem resolver", "os professores tem que resolver", "os pais deveriam ensinar" que nos leva onde estamos.

    Talvez essas poessoas devessem mesmo resolver estes problemas, mas, enquanto isso não aocntece, porque não aliar à crítica um convite à ação?

    Vamos parar de só reclamar, vamos reclamar de boca cheia podendo dizer: estou reclamando porque eu faço minha parte e posso falar, mesmo que você não faça a sua.

    Se livrar de sua responsabilidade no problema é fácil.

    Faça sua parte: em casa, no blog, no trato com os amigos e superiores, em suas ações cotidianas, só assim se muda o mundo!

    Cansei de ver gente que sonega imposto reclamar de político corrupto! (entenda, não estou falando de você Cardoso)

    Vamos fazer a nossa parte, vamos ser corretos antes de condenar, para poder reclamar a vontade do que está errado!

    • João

      Jéssica.
      O melhor que nós podemos fazer é votar direito e aprender a cobrar dos nossos governantes.
      A educação está como está porque o atual governo se preocupa mais com estatistica do que com o futuro do Brasil.
      Nenhum pais consegue expandir seus horizontes sem priorizar a educação de qualidade.
      Se os rumos da educação não mudarem, o futuro é sombrio.
      Pense na perspectiva de um pais governado por pessoas que na juventude aplicavam trotes violentos e que se achavam a última azeitona da empada, por ter acesso ao ensino superior.
      Se nada for feito, futuramente as propostas de lei serão redigidas em MIGUXES.

  • Pingback: Blogesfera « Alego Insanidade()