Velha Mídia, Novo Alvo

Eu sou espectador assíduo do Colbert Report e do Daily Show com Jon Stewart, o Marcelo Tas americano (sic). Todo dia pela manhã acesso os sites e assisto via streaming. Adoro. Os dois, com estilos diferentes fazem humor político e de variedades de primeira linha, sem contar que o Stephen Colbert conseguiu irritar o pessoal da Wikipedia, o que sempre ganha pontos comigo.

Os episódios são disponibilizados online mas não de graça, afinal o Comedy Central não é uma ONG. São monetizados e muito bem monetizados, vejam os banners:

Eu, claro, não sou o único de fora dos EUA assistindo. Há uma audiência considerável, visto que o Comedy Central não passa em muitos países e programas que satirizam notícias só funcionam direito quando são diários -ouviu, Jon Stewart brasileiro?-

A transmissão via web criou um fenômeno que muitos considerariam impossível: A queda acentuada nos torrents. Com a possibilidade de assistir online, no site oficial, com boa qualidade, baixar torrents é besteira. Até para prestigiar o programa, preferíamos a versão oficial.

Agora esse contingente todo tomou na toba e feio:

A explicação oficial, neste post do Forum do programa é que emissoras locais exigiram o bloqueio, pois isso as estaria prejudicando.

A reação da comunidade internacional foi assustadoramente racional, muito pouca gente mandou o bom e velho Fuck You, a maioria argumentou que a transmissão do programa em seus países é inexistente ou muito ruim. Em alguns lugares, como o Brasil o Daily Show só passa aos sábados, meia-noite na Sony. O Colbert Report, nem isso.

Agora imagine: Um público mais masculino, na faixa de 18-34, confortável com Internet e com QI acima da média. Assim como a natureza, nos livros de Michael Crichton, o espectador desses programas sempre acha um caminho. E o caminho é http://www.mininova.org.

A alternativa, que muitos tentaram era acessar via iTunes, baixando para o PC ou direto para o iPod. É uma assinatura paga, mas mesmo assim foi cogitado por muita gente. Infelizmente emissoras, produtoras, gravadoras e estúdios morrem de medo da Apple, suas licenças para o iTunes são draconianas, e esses programas da TV Americana não estão disponíveis. Nem o conteúdo gratuito está.

A situação até agora: Havia dois programas que eu assistia religiosamente, em um site, com anúncios. O site lucrava com minhas visitas, os produtores faturavam na audiência, os anunciantes idem. As redes locais não entravam no bolo, então resolveram melar a brincadeira. Agora eu baixo via Torrent. NINGUÉM ganha.

Será que o lucro da venda para emissoras locais é maior do que conseguem faturar com uma presença online forte? Mesmo que não seja agora, será muito em breve. Ao melar a brincadeira para todo mundo, as emissoras locais estão matando (ou pelo menos atordoando) a galinha dos ovos de ouro das produtoras.

Prevejo que muito em breve teremos um programa mainstream desses que se rebelará. O Mercado Americano é muito maior do que o resto do mundo combinado. É mais interessante para marcas globais uma exibição… global do que trabalhar cada mercado regionalmente. O Stephen Colbert, quando tentou se candidatar a Presidente (pelos dois partidos) foi patrocinado pelo… Doritos. O merchandising durante os programas é inteligente e descarado, e uma fonte de renda importante.

Quando começarem a trabalhar o merchandising pensado globalmente, verão que ele rende mais do que os acordos locais, não gera uma enorme onda de antipatia em gente do mundo inteiro e não joga na cara do espectador coisas como “Não gostamos de onde você mora”.

Em Star Trek foi dito que a forma de entretenimento conhecida como televisão não durou muito além da década de 2040. Eu acho que vai acabar mais cedo. Hoje já é perfeitamente viável viver sem TV (ao menos nos EUA). Sites como Hulu e as próprias redes como CBS, ABC, SciFi disponibilizam seu conteúdo sob demanda.

Nós fazemos nossa própria grade, a única restrição de horário é para os muito ansiosos, que querem consumir o conteúdo assim que ele está disponível. HOJE para quem acompanha notícias e séries a emissora local é um atravessador desnecessário.

Por isso o desespero dos locais, tentando evitar que seu público, mesmo inexistente, fuja para as internetes. É repetição do que acontece com música e jornais.

Não adianta, gente. Gostem ou não, o futuro chegou e vocês estão sobrando.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Não fossem os canais de notícias na TV por assinatura, minha TV já teria virado "o lugar onde eu jogo video-game".

  • DP

    Eu não baixo torrents, mas também não consigo marcar mais hora para assistir um programa. Eu deixo de assistir. E todo mundo perde do mesmo jeito…

  • Só vejo noticiário e futebol aos domingos e olhe lá. Cada vez mais me afasto da TV, e me sinto vingado dela ter sido por muito tempo "a única opção". 90% é PC :)

    <abbr>anselmo – último post do blog… Filme Paparazzi</abbr>

  • DK

    Faz tempo que eu parei de assistir ambos via streaming. Não sei se era um problema com o Flash Player, com a minha conexão ou minhas configurações. Então comecei a baixar em torrent também, como eu não tenho muito tempo pela manhã, deixo eles baixando pra ver depois do almoço. Mas se você preferir tem maneiras de "burlar o sistema", apesar de imaginar que você já saiba disso. Dá até pra assistir Hulu e vídeos no YouTube que estejam bloqueados para o Brasil ou ouvir a LastFM sem pagar a assinatura. Aliás pagar assinatura na LastFM só pra quem não é americano. https://www.torproject.org/vidalia/ #ficadica

  • TV? Alguém ainda perde tempo vendo TV?

    <abbr>André – último post do blog… Vaticano cria site ligado ao Facebook para se aproximar de jovens</abbr>

  • Claro que estamos sobrando, em grande parte do Brasil a internet não chega a UM MEGA.
    "Em Star Trek foi dito que a forma de entretenimento conhecida como televisão não durou muito além da década de 2040." – Quando todos tivermos uma internet com velocidade decente talvez a televisão pare de existir realmente, se vai ser antes de 2040 isso eu posso dizer que penso que não

    <abbr>Abelardo – último post do blog… Eu já fui um lutador</abbr>

  • Lucas BiM

    Eu aqui pago TV a cabo só porque a internet a cabo que ela me oferece é melhor e sai mais barato que a Velox, tenho todos os canais da tv mas não tenho o costume de assistir e quando sento pra assistir me irrito com os comerciais de 10min em 10min não dá certo, já me acostumei a ver seriados na hora que eu quero e sem interrupções,e ainda, podendo parar na hora que eu quero também e continuar de onde parei! =)
    Assistiria via streaming numa boa se minha conexão fosse sem gargalos pra isso.

  • Eu concordo também, acho que antes de 2040 a TV, nos moldes atuais deixará de existir. Existirá sim, ligada ao PC, com uma conexão ultra-super-mega-larga e assinaturas somente do que quisermos.
    Quanto a conexão, concordo com o amigo Abelardo, precisamos ter algo decente.
    Vamos pegar um exemplo daqueles que nós tantos gostamos de chamar de burros, os Portugueses. Lá a internet mínima vendida é 2Mb, quando morei lá, minha internet tinha "meros" 18Mb, hoje esse plano já vai nos 30Mb, sim, pasmem, 30Mb. E se fizer o pacote de Cable Tv (92 canais + 4 de filmes), Telefone IP (ligações de graça para fixo dentro de TODO o país) + internet (18Mb) por apenas 62 Euros. Agora, 62 Euros para quem tem um salário mínimo de 450 Euros, é muito pouco não?! Tudo bem, se querem converter, dá cerca de 172 reais, que é o preço só da Sky, sem internet, sem telefone. Isso sim nos deixa tristes com nosso país.
    Por que não temos TiVo no Brasil? Por que as empresas de telefonia cobram tão caro (internet) por um serviço que lhes custa tão pouco?

    <abbr>Emerson – último post do blog… Copa do Brasil – Quartas de Final</abbr>

  • Zé Buscap&eac

    Cardoso, infelizmente essa é uma tendência praticamente irreversível e você deve se preparar para mais notícias ruins muito em breve.

    O fato é que entregar streaming de alta definição para países como Brasil e Índia tem se demonstrado um péssimo negócio para os americanos. Por exemplo, o Youtube já pensa em bloquear vídeos HD para nossas regiões.

    O problema é que nós do "mundo em desenvolvimento" somos praticamente imunes a propaganda via internet. Não damos o menor retorno para os anunciantes, então o alto investimento para entregar o streaming para nós acaba não se justificando. Acho que essa tenmdência é irreversível e, para nós, o caminho será o Mininova e similares.

    É uma pena, mas se fossemos retroagir na análise, veremos que já ocorreu algo similar com softwares e games. Eu lembro da época em que versões de jogos como Max Payne saiam com dublagem nacional! Enciclopédias saiam com versões em português, etc.

    Com o tempo, perceberam que era muito investimento para pouco retorno. Diga-se de passagem, as antas que preferem pirataria e não entendem o porquê de pagar por um software nem devem ter se dado conta disso.

  • Concordo com tudo, só fiquei com uma dúvida: O que é TV?

    Abraços,
    @Monthiel

    <abbr>Monthiel – último post do blog… Explicações</abbr>

  • Mas você não acha que a TV é uma dessas coisas que precisa apenas de um novo molde não? Ela só tá sobrando porque o modelo é ultrapassado. Não falo em um novo molde de comercializar TV, e sim em um modelo diferente de produzir TV e de repente angariar um audiência que não precise ser disputada com a internet.

    <abbr>Fábio Buchecha – último post do blog… Just give it away</abbr>

  • Godoy

    Caraca Cardoso, ou eu sou muito burro e não entendi o texto ou você criou uma contradição em termos histórica. As emissoras locais estão querendo que o acesso seja restrito para quem não é local, por causa de audiência.
    Mas a audiência que eles tem é só a local, e quem pode ver na tv pode ver também na internet. A sacada é que, nós, por exemplo, não vemos nem de uma forma nem de outra.

    "Por isso o desespero dos locais, tentando evitar que seu público, mesmo inexistente, fuja para as internetes. É repetição do que acontece com música e jornais."
    Vai fazer diferença? Não deveria ser o contrário? Não deveriam bloquear apenas para os consumidores locais, e o resto do mundo poderia ver? Não, isso também não faz sentido.

    A sacada é que eles tentam vender as programações para os distribuidores dos outros países, para que estes exibam em suas tvs.

    Não sei também se eu consegui me fazer entender, mas resumindo, essa coisa toda ficou confusa. Pra mim a atitude foi somente protecionismo das emissoras, mercado externo não vale um peido para eles, então dane-se, bloqueiam porque assim paramos de consumir largura de banda deles. Simples assim.

    • Rafael Netto

      O "local" no caso não é o interior dos EUA e sim os países ao redor do mundo. Eles exigiram que o Comedy Central parasse de veicular o material no site, pois assim estaria concorrendo com as retransmissões em seus próprios países. Além de haver problemas de direitos autorais (o programa só tem autorização pra ser veiculado nos EUA), o mesmo entrave do Hulu, do iTunes e de outros serviços que só são liberados para o território americano.

  • Fábio, nao concordo.
    Por exemplo, eu gosto muito de algumas séries (House, CSI, NCIS, Shark, Supernatural, dentre outros) ou seja, só aqui temos Fox, AXN e Warner, mas gosto de apenas 3 ou 4 séries por canal, então por que pagar por todos os programas da grade?
    Acho que vamos chegar em um ponto onde vamos comprar programas, claro por preços justos, aí nosso equipamento fará o download (no caso de episódios passados) ou a gravação no caso de atuais, armazenando-os e quando puder/quiser assistimos e pronto.
    Aí vão vir com histórias sobre pirataria, ora é extremamente fácil bloquear tais downloads para rodar somente no equipamento que nada mais será que um computador com uma interface própria.

    <abbr>Emerson – último post do blog… Copa do Brasil – Quartas de Final</abbr>

    • Repetindo para ver se fica mais claro:

      "Não falo em um novo molde de comercializar TV, e sim em um modelo diferente de produzir TV e de repente angariar uma audiência que não precise ser disputada com a internet"

      <abbr>Fábio Buchecha – último post do blog… Just give it away</abbr>

      • Fábio, entendi o que disse, mas já imaginou na mudança tecnológica que as emissoras teriam que fazer para termos algo parecido com o que eu disse?
        E as casas? Transmissão direta não existiria mais, todos teríamos que ter um decoder tipo sky, TiVo, PowerBox, esses nomes "sugestivos"…

        <abbr>Emerson – último post do blog… Copa do Brasil – Quartas de Final</abbr>

        • Não precisa fazer mudança alguma. Isso já é uma realidade. TiVO é isso. IPTV é isso. Conteúdo On Demand já é realidade há tempos. AppleTV está aí para não me deixar mentir. E repito, mais uma vez você está falando em comercializar TV, e não em produzir TV de um jeito diferente. Mudar o formato de TV, focar em outras coisas que não precisem ser disputadas com a internet. É disso que falo.

          <abbr>Fábio Buchecha – último post do blog… Just give it away</abbr>

          • Sim, concordo contigo, mas você se esquece que o TiVo é preciso comprar o "decoder", IPTV é diferente, você "baixa" para seu PC e assiste, TiVo sim é Conteúdo On Demand, com interface para isso, o decoder faz todo o trabalho, organiza para você, e fora que estamos comparando a plataforma em si (IPTV) com um "sistema" para tal plataforma.

            Mas, como disse acima, concordo contigo, isso existe a anos, mas hoje, no Brasil as emissoras não estão preparadas ainda, até mesmo em termos tecnológicos, pois a pouco mais de 10 anos a grande platinada (Globo) não tinha 70% do seu arquivo digital. E a poucos anos estamos vendo a mesma disponibilizar entrevistas na internet. Ou seja, agora que estão se conscientizando de tal progreso.

            Porém acho que não é o caso de disputa, e sim de adequamento, não acho que a disputa seja da TV contra a internet, mas sim de conteúdo!

            <abbr>Emerson – último post do blog… Copa do Brasil – Quartas de Final</abbr>

      • Alberto

        Acho que o novo molde da TV é a própria internet. Nesse caso não haveria disputa, mas uma convergência entre dois meios. Vejo mais como um PC com cara de TV e com uma interface que se inspiraria nas de pay-per-view, onde acessaríamos sites como os mencionados nesse post e pagaríamos só pelo que nos interessasse. Mas isso pode ser só viajem da minha cabeça. Ou não.

    • Zé Buscap&eac

      Emerson;

      Você quer pagar apenas pelo que lhe agrada. A partir do momento em que isso for possível, acabam os lançamentos de seriados experimentais nas grades dos canais de TV. Toda emissora só vai querer repetir uma mesma fórmula de sucesso e não sair mais dela. Acabará o orçamento para "tentativas de fazer algo diferente" porque o custo dessas tentativas vai ser alto demais, uma vez que ninguém estará pagando por elas. Ocorreu algo parecido na música… E veja o resultado, parece que a criatividade sumiu desde o final dos anos 90. As grandes gravadoras começaram a perder muito dinheiro e chutaram as bandas alternativas nas quais apostavam. as grandes bandas deixaram de tentar coisas novas e passaram a reprisar álbuns de sucesso até esgotar a fonte, masi ou menos como fazem os criadores de mangás e animes japoneses…

      Na minha opinião, tudo está interligado. Antes de querer destruir, é preciso entender como funciona o Mercado.

      • Com certeza é um ponto de vista que eu não tinha pensado.
        Mas aí existe sempre agregar as coisas, tipo, comprando Lost (que eu não gosto hehe) você ganha direito a ver 5 episódios da nova serie xpto) e por aí vaí, nada tem limites diante da nossa criatividade :)
        Mas concordo contigo!

        <abbr>Emerson – último post do blog… Copa do Brasil – Quartas de Final</abbr>

  • Particularmente deixei de assinar TV a cabo porque apenas assistia a TV entre as 11h e a meia noite. ùnico horário disponível após aguentar a sala de aula o dia inteiro. Havia certo prazer, mórbido até, em chegar em casa e ter esperando um episódio de House ou Law and Order SVU, mas o custo/benefício falou mais alto. Salário de professor da rede pública não permite arcar com o custo de "luxos" como assinar TV a cabo. Sem o cabo, descobri que a TV aberta é impossível, não há programação minimamente aceitável, exceto por alguns documentários esparsos através da Futura e TV Educativa, nem sempre em horários coerentes. Passei a assistir via stream certos programas que nem conhecia, entre eles o colbert report, e adorei. Descobri inúmeros outros vídeos que jamais descobriria sentado no meu sofá esperando conteúdo passivamente. Hoje, não vejo mais sentido nem mesmo em TV a cabo. Este tempo passou, e eu assinava desde 1997, quando tinha meus 17 anos. Hoje, mesmo com uma conexão medíocre de 3 Mbps, tenho mais satisfação em escolher minha programação via mininova do que outrora com a revistinha da NET. Quem perdeu? Eles me perderam. Torrents possuem prazeres muito seus, que o vulgo jamais logrará compreender. (Ah, e obrigado por avisar na hora quando Caprica ficou disponível!)

    <abbr>Erickson Leon – último post do blog… Sobre mim</abbr>

    • Também passei por esse fenômeno, via TV a cabo das 22:30 as 02 da madrugada pois era o tempo que tinha, mais futebol e aos finais de semanas com filmes, mas pagar R$170,00 de Sky para as poucas horas mensais tornou-se muito caro!
      Filmes então ou se faz download ou loca-se, sem falar no prazer de ir até o cinema.

      <abbr>Emerson – último post do blog… Copa do Brasil – Quartas de Final</abbr>

  • A TV aberta, ao menos a brasileira, já encontrou o caminho para sobreviver, viraram igrejas virtuais, ao menos à noite.

    <abbr>j. noronha – último post do blog… Audaciosamente Indo Onde Nenhum Submarino Jamais Esteve</abbr>

  • Eu não tenho mais TV em casa.
    Tirei o receptor de TV digital e substitui por um computador ACER, que é pequeno(Menor que um video-K7), silencioso(Tem fonte igual de Notebook) e muito mais prático.
    Com um teclado sem fio escolho do sofa o que quero assistir e quando quero assistir, por exemplo noticiario, não preciso ficar esperando para a hora que vai começar, sou eu quem descide. Para series e filmes tem Justin, Mogulus, …
    Minha esposa assiste as novelas da Globo quando ela quer, na ordem que ela quer, e no dia que tem tempo, nada de ficar com o dia amarado a horários da TV-convencional.
    Estou pensando em por o conversor de TV de volta para as crianças assistirem desenho, elas já enjoaram dos DVD, mas aqui tenho que pagar 17 EUR/Mes (R$51) de imposto para assistir TV acho muito caro.

    <abbr>Martin Riesel – último post do blog… Sincronizando o Outlook com o Google Caledar e com o Android</abbr>

  • Só mais um detelhe, aqui da Alemanha não tem bloqueio em nenhum dos dois sites, os videos estão rodando perfeitamente.

    <abbr>Martin Riesel – último post do blog… Sera que o Windows 7 vai rodar aplicativos Linux?</abbr>

    • É, nos comentários do forum falam isso. Curioso.

  • A pequena informação de que o streaming está definhando o download, é importantíssima. Algum tempo atrás todos pensávamos que a Internet caminhava inexoravelmente para downloadmania definitiva. Gosto quando o Cardoso se assume com QI acima da média, é fato, afinal, porque só os burros podem se orgulhar?
    Quanto à discussão em si, o texto é tão cheio de partes que nós outros leitores temos que usar a nossa porção de QI acima da média para assimilá-lo.
    Que a TV aberta está encolhendo, é um fato inegável, mesmo que haja eventualmente algum derradeiro canto de cisne, tipo a claque do Marcelo Tas.
    O problema da mídia na Internet é que ninguém entende direito este troço. Cabeças pensantes à moda Século XX tentam abarcar um fenômeno teimosamente incontrolável. Os caras com dinheiro no bolso não aceitam, tanto quanto não entendem a Web. Eles odeiam as coisas fora do controle e este é o núcleo da discussão: o capitalista se pergunta, quem manda neste negócio? A quem devemos amar, ou odiar, se alguém planta uma Susan Boyle não se sabe de onde, ou uma dona Sônia balbuciando Yutubi?
    A loucura de cada um produzir seu conteúdo está tirando o sono do mainstream. Tenho recebido solicitações de jornalistas para publicarem meus textos, até 5 anos atrás isto era impensável.
    Nós, pequenos produtores de conteúdo, estamos perfazendo uma revolução que escapa da nossa própria compreensão. Será possível a continuação do sonho de uma Sociedade da Informação desierarquizada? Assim como o rádio e a carroça não acabaram, acho difícil a TV simplesmente morrer e zefini! Prevejo, outrossim, uma lenta agonia em que boas lembranças como o CQC sejam cada vez mais ecos do passado.

    <abbr>Isaias Malta – último post do blog… Teste de atenção masculina: o que eles não percebem nesta foto?</abbr>

  • "NINGUÉM ganha." o Mininova ganha…Eu só assisto TV pra acompanhar as minhas corridas de F1…e só

    <abbr>Guilherme – último post do blog… Super Effective #25</abbr>

  • Fudido, mas é importante também ponderar que pra eles é muito mais simples e indolor tomar uma decisão dessas. Talvez o bloqueio nem passou por discussões: "tem contrato, já era, não exibe". Pensa no quão complexo a mais fica a proposta se tiver que considerar a divisão das receitas entre todas as distribuidoras.

    Eventualmente, todas vão ter que partir pra isso ou morrer, mas por enquanto é uma aposta, e as locais nem devem ter tido como opinar nesse momento.

  • Chicão

    Vendo essas propagandas dos banners, ontem vi uma dessas propagandas "Adultfinder", resultado de eu ter temporariamente desabilitado o NoScript e ter esquecido de reativá-lo.

    Mas como efeito colateral de usos anteriores…

    ENCONTRE MULHERES PARA CONVERSAR NA REGIÃO DE Undefined

    E enquanto isso rodando um slideshow muito bonito de figuras em branco.

    Não tivesse acontecido isso, cedo ou tarde também ia acabar isso por falta de ganho com propaganda (por conta do público com alto QI mas baixo cemancol)

  • Rodrigo Viana

    Depois as empresas ficam criando inúmeras maneiras muito mais caras de proibir o acesso aos não-pagantes tradicionais. E gastam uma fortua em tecnologia para isso.

  • Pingback: Posts Estrelados da Semana 76 - Bruno Godoi()

  • Leandromet

    Mais uma vítima da ausência de colbert e stewart em minha rotina…. ou nem tanto, minha alternativa: http://eztv.it

    e dá-lhe torrents….

  • Pingback: Blog do Lucho()