Avatar: Assim é se lhe parece

smurfocalypse

Outro dia dei uma legítima gargalhada com um dos fãs do Israel, aquele guri canadense que insiste ser meu nêmesis. Achando que eu realmente usaria meu blog para atacar seu ídolo, o fã descobriu em toda sua inteligência e perspicácia um dos slogans que uso, ali abaixo da logomarca. e denunciou o “ataque”:

“Fortune and Glory, Kid. Fortune and Glory.”

Imagine a reação fanática (com trocadilho) se tivesse visto a outra citação de Indiana Jones que costumo usar:

“You lost today, kid. But that doesn’t mean you have to like it.”

O erro do garoto (e estou assumindo que não deva ter mais de 12 anos) foi achar que meu global era influenciado pelo local, em uma espécie de paranóia esquizofrênica, procurando padrões, fazendo piadinhas e referências o tempo todo a um assunto específico e localizado.

Basicamente ele deu muito mais importância a algo menor, achou que eu fazia o mesmo, e teve uma interpretação errada sobre o slogan do blog.

Agora vejo isso se repetindo. Na China.

Avatar, em chinês 阿凡达, “ā fán dá”, está deixando o público de cabelo em pé (acharam que eu iria dizer “olhos arregalados?” Não escrevo pro Zorra) não só por causa dos efeitos visuais mas… preparem-se…

Pela profunda compreensão da parte de James Cameron sobre o problema dos chineses expulsos de suas casas pelos governos locais, por estarem no caminho de obras.

O caso é bem sério, há tantos eventos de despejo e demolição que em 13 de Novembro do ano passado uma pobre mulher em Chengdu se desesperou a ponto de botar fogo em si mesma, protestando contra uma ordem de despejo recebida. Sim, eu lembrei da clássica foto do monge em chamas protestando contra a Guerra do Vietnã.

avatar-china-movie-poster-560x798

Nos comentários do ChinaSmack sobre avatar temos:

“Condeno veementemente o diretor ocidental por usar Avatar para faze alusão à situação corrente da China!!”

“Companhias de demolição chineses deveriam processar James Cameron por pirataria/violação de copyright”

“Avatar mostra o profundo conhecimento e preocupação do diretor com os casos de despejo e demolição na China”

Os dois primeiros indicam que existe sarcasmo na China, o que é um bom sinal.

Há relação entre o fanboy que abriu o artigo e essas pessoas? Humm… não. O primeiro é uma cavalgadura que acha que o mundo gira em torno de seu pequeno herói, e não reconhece citações de um dos filmes mais populares de todos os tempos.

Já os chineses estão assistindo um filme que está ressoando em suas experiências pessoais. Todo geek se identificou profundamente com Matrix[bb], bons filmes têm esse efeito.

É CLARO que James Cameron está cagando e andando pros despejos na China, mas se a mensagem ressoa, se o filme inspira e traz à tona a situação dessas pessoas, qual o problema?

O único erro seria achar que Avatar foi criado especificamente como alegoria para tal situação. Isso demonstra extrema arrogância, é uma auto-importância que foge dos limites da sanidade. Aliás um dos sintomas da esquizofrenia é a paranóia. Vide os malucos com chapéus de papel-alumínio para evitar que o Governo leia seus pensamentos.

De resto, a grande lição é para quem escreve. Depois que você solta o texto, está sujeito a todo tipo de interpretação. O fato de ser uma interpretação errada pode ter consequências benignas, como no caso de Avatar na China, ou pode ser algo extremamente prejudicial, em particular com textos com alto conteúdo de sarcasmo, onde a maior parte dos leitores irã interpretar de forma errada.

A culpa não é sua. Em outras mídias escolhemos nossos leitores, em blogs quem escolhe é o Google. Somente uma Minoria Iluminada chega por outros meios.

Portanto, por mais contraditória que seja a dica, fica: Não limite seu texto pelo entendimento da maioria dos leitores pára-quedistas. Em blogs temos que identificar quem é o leitor fiel, quem é o pára-quedista, quem é o troll e quem é o leitor de 1a viagem com uma dúvida legítima ou mesmo uma visão equivocada mas corrigível.

Escrever só vale a pena se for para ser lido por quem não tem alma pequena.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • E está aberta a guerra dos avatares no Twitter.

  • Interpretação é algo realmente mto complexo.

    Eu pelo menos qd vi Avatar me lembrei dos índios e do Brasil…

    Enfim, cada um terá a interpretação que lhe cause mais "certeza da verdade".

    O mais certo é ver como o ser humano pode ser imbecil.

  • Cardoso,

    fiquei em dúvida sobre o que comentar, mas escolhi ser mais objetiva e deixar minha singela opinião…

    Esse negócio de achar que "só vale a pena escrever se for pra ser lido por quem não tem alma pequena", talvez seja um equívoco… penso que escrever, inclusive em blogs e afins, é um exercício solitário e deve ser voltado pra a satisfação de quem escreve…

    Não digo que as pessoas (em geral) não desejem ser compreendida, ou descobrir que outros pensam da mesma forma que ela. Acho que sim, eu tb preciso que outros concordem comigo.

    Mas não pra pra escolher conviver unicamente com quem o apoiará/entenderá/etc… na vida pessoal, profissional, e até mesmo virtual, sempre aparecerão pessoas que absolutamente discordam de vc. E outras tantas que não conseguem compreender o que escrevemos…

    Enfim, acho que não se deve melindrar (e eu NÃO disse que esse é o seu caso!) com que os outros possam vir a pensar do que nós mesmos compreendemos. É, simplesmente, impossível encontrar a unanimidade…

    • Não é questão de escrever só para quem concorda, é escrever para quem ENTENDE. Nenhum leitor concorda comigo o tempo todo, isso não existe.

      • diria até que existe, mas esses são os de alma pequena… Aqueles que sempre vão com os outros, que não tem opinião própria. Tipo alguns que eu conheço: nunca conversaram contigo, nunca leram nada que vc escreveu, mas seguem o rebanho dizendo que vc é idiota e isso e aquilo…

        Tem vezes que dá vontade mesmo de bater numas merda que tu fala, mas a vontade passa quando eu leio um pouco mais e dou risada do que tinha me revoltado meio-segundo atrás! =p

        Quanto ao artigo, é como você falou, identificação acontece com os melhores filmes (e "melhores" sempre é subjetivo). Concordo contigo na citação à Matrix, e na citação à Avatar e a situação na China (apesar de admitir que desconhecia), mas vou além e digo que acho ser megalomania mesmo achar que o filme foi feito egocentricamente para chamar atenção do que acontece por lá…

        enfim! Fazia tempo que não comentava =) keep up!

      • aí que tá… não acho que dá pra escolher leitor…

        Ainda que ache meio forçado dizer que fulano não entende pq é burro, ou imaturo, acho que não dá pra escolher só ter leitores inteligentes.

        Bom, eu não sou das melhores mesmo… nem muito inteligente, nem muito bem humorada..hahaha

        Aliás, se vc vive disso (escrever em blogs e etc), os leitores mais lentos tb fazem parte do seu ganha pão… e é bom, pensa assim… o cara é burro, mas tá te dando $$$… e os bons, te proporcionam satisfação. não é assim?

  • Ótimo texto, nunca tinha visitado o Contraditorium. Vou dedicar algum tempo para ler um pouco mais por aqui.

    Abraço.

  • Salsinhas têm alma pequena

    :D

    Já reparei que a maioria de defensores de causas comprimidas (veja bem, não digo oprimidas, esses eu admiro) só vêem o próprio umbigo.

    Tudo conspira contra eles, são uns tããão tadinhos, né?

    Tenho pena.

    Verdade.

  • Silvia Masc

    "You lost again, kid". Show Cardoso!

  • Hahaha, pior que já tinham denunciado esse "ataque" pra mim também. Pior, não foram poucas vezes, não. Mas acontece que não apenas cresci assistindo Indiana Jones, mas também tem o fato de que eu sei que tu usava o slogan muito antes da confusão.

    Algumas vezes eu explicava pra pessoa "não porra, é uma citação de filme que ele usa faz tempo", noutras eu ficava até com vergonha alheia o cara e ignorava.

    Numa coisa tu acertou, realmente eu pareço ter um contingente grande de seguidores/fãs/o que você quiser chamar Sub15, a quem o nome Indiana Jones provavelmente nem significa muita coisa; pra esses, que desconhecem o filme mas tão cientes da briga, deve ser fácil fazer a conexão errônea.

    É isso. Sei que tu não vai autorizar o comentário, mas ao menos lerá ;)

  • Clap-clap-clap

    Desse jeito vc vai me inspirar a virar escritor. Meu maior medo de escrever é se a mensagem q quero passar será entendida, mas, como vc falou, ficar limitado não pode ser uma opção. Reflitirei.

    • Por mais que você tente, a sua mensagem NUNCA vai ser entendida sempre. Tem sem um idiota para falar merda.

      Se o seu maior medo é esse, considere-se um escritor.

      • Até acho que é possível escrever de forma que a mensagem seja entendida sempre, qualquer que seja o "nível idiótico" do leitor. Só que nesse caso o texto provavelmente vai ficar uma bela porcaria, cheio de explicações desnecessária que só vão agradar aos idiotas.

        Impossível mesmo é escrever algo BOM que seja compreendido SEMPRE.

  • _

    Acho essa briga entre blogueiros extremamente sem sentido, mas o pior é de fato a multidão que escolhe uma corrente às cegas e passa a concordar com tudo o que é "pregado". É difícil ter opinião própria, por isso é mais fácil adorar uma bandeira do que tentar levantar uma.

    Há muitas coisas que você diz que eu não vejo muito sentido, contudo não é motivo para que eu simplesmente pare de ler seus textos.

    Abraço.

  • amendoiin

    parabens mais um lindo texto, como sou seu fa viu :)

    agora vou ler o texto :)

  • Parto do princípio: O meu blog é propriedade MINHA. Escrevo como quiser e quem não entender que volte pro colégio. É um saco escrever e explicar algo, e um bando de idiotas não passam da primeira linha.

    Defendo uma lei que obrigue teste de QI para quem for comprar computadores.

  • Ismael Hernandes

    CARACOLES! que promocao do Harry Potter é essa do banner?? IMPERDIVEL!!1!1

  • Nuno

    Quem escreve o blog é o Dr. Jekyll; quem twita é o Mr. Hyde. Só pode.

    Odeio o cara do twitter. É um babaquinha. Gosto do blog. É bem escrito, bem pensado.

    De toda forma: o Izzy deveria parar de falar do Cardoso; o Cardoso deveria parar de falar do Izzy. Claramente, um é muito importante para o outro (para o bem ou para o mal). Agora, a briga de vocês dois não é importante para mais ninguém. É chato para cacete de ler.

  • Bom post! Primeiro pelo tema em si e em segundo lugar, pela excelente escolha da primeira imagem!

    Agora, desculpem-me, mas que história é essa do garoto "problema" em que post isso ocorreu? Fiquei curioso e não consegui encontrar… :(

  • Gordon

    Esse Israel não é aquele filhote de calango que acha que é alguma coisa só porque mora no Canadá?

    Bom, para mim ele continua não passando de um cabeça-chata, filhote de calango.

  • [É CLARO que James Cameron está cagando e andando pros despejos na China]

    Isso denota de forma vergonhosa um post pago ao Cardoso, pela operadora de telefonia que descobriu que textos em caixa alta são melhores indexados e rankeados pelo Googlebot.

    Logo logo, quem buscar por Avatar e James Cameron no Google, terá o site da operadora no 1º lugar das pesquisas, e o Contraditorium em 2º. Para quem não sabe, a operadora vai disponibilizar muito conteúdo de Avatar para seus assinantes…

    Não é sacanagem, eu mandei o link desse post para o Retard, que acreditou e incluiu isso em suas dicas/técnicas de SEO no seu respectivo blog. Juro que é verdade. Se um blogueiro que "estuda" técnicas de SEO e Otimização de sites entende/interpreta como verdade um troço desse, imagina a salsinha average.

    • Fala a verdade, você também não queria ter feito este post pago, se é que ele foi?

      Cada um escreve no seu blog o que quer e se ganha dinheiro com isso é problema do dono do blog.

      É cada um que aparece…

      • Deixa eu advinhar: você não entendeu o sarcasmo né? Mude CrazySeaWolf para OldSeaWolf. A senilidade pode estar lhe fazendo mal. E ainda sim tu leciona? Holy S***!

        • Holy Shit indeed! E bote a culpa no Serra e na política educacional do PSDB. :)

  • E eu consegui confundir URL com Email… FAIL!

    • Pelo jeito, não sou o único, a senilidade precoce também pode estar te fazendo mal.

  • Cardoso,

    Te conheci em lista de Palm, há alguns anos atrás, e consequentemente o seu site (em PHP Nuke). Desde então o acompanho, apesar de não ter o costume de comentar.

    Mas fiz questão desta vez de vir aqui concordar e apoiar. Interpretar corretamente é para poucos e é justamente para estes poucos que devemos escrever.

    Querer simplificar ao máximo o texto é útil em documentações e tutoriais, fora disto eu considero nivelar por baixo. E é assim que facilmente destruímos a qualidade de qualquer coisa.

  • O Cardoso escreve e logo depois acorrem fãs,salsas,blogueiros,adversários,gente que quer estar na onda,nem que seja pra discordar do que não entende,e gente curiosa,como eu por exemplo,que adora ler textos inteligentes mesmo que nem sempre concorde,sorrir das polêmicas e gargalhar das bobagens.Muito legal isso tudo.

  • Ótimo texto Cardoso. Disse tudo quando escrever para quem entende é bem melhor. Mas não escolhemos mesmo.

    Abraços

  • "Cardoso & Izzy Nobre"

    Uma história de amor que ficará para a posteridade…

    :-)

  • Esse assunto me lembrou o comentário do Jovem Nerd no cast sobre o Senhor dos Anéis. Você deve ter escutado: a história é só uma história, sem lições nem paralelos com a realidade, MAS, há aplicabilidade da mesma sobre lições de moral, etc, etc.

    Então, levando isso para o Avatar, é só um história, sem comprometimento com nada além da diversão. MAS, o que ela conta pode ser usada como paralelo para problemas da vida real (progresso desenfreado, tecnologia vs natureza, etc e tal). Mas é preciso SABER usar, e alegar que o JC fez o filme PENSANDO nesses casos reais, só sendo muito louco ou muito egocêntrico mesmo (ou os dois, o que é ainda pior) :P

  • Lembrei da devastação da natureza pelo homem quando assisti Avatar a primeira vez e os maus-tratos com nossos indígenas, além da exploração dos portugueses a nossa terra no início da história deste país, portanto, a interpretação é muito relativa e vai da realidade de cada país, não há o menor cabimento em criar uma interpretação definitiva ao filme de James Cameron.

  • Andlusferr

    Putz… O Peter Jackson fez uma versão futurista de "Um homem chamado cavalo". já encheu o "rabote" de grana, e propiciou um belo post "pega-moscas" pro Cardoso…

    Pena que não rolou nem uma resenha pra disfarçar…

    • É sério que o abestado falou "Peter Jackson"?

      • Andlusferr

        Sorry…

      • Andlusferr

        Pensei uma coisa e escrevi outra…

  • Artigo perfeito.

    O único ponto negativo é que minha máscara caiu: Não sou um geek. Afinal de contas, assisti Avatar e identifiquei com uma história aos moldes do massacre dos índios pelos conquistadores "brancos".(rs)

    • Todas as histórias (contos, filmes, quadrinhos) de ficção científica são baseados em situações da vida real, Arthurius.

      Lembre-se do seriado "Jornada nas estrelas"; onde Roddemberry fazia crítica social lá longe, no espaço, onde a censura da Nova Ordem Mundial não o alcanzava.

      Na maioria dos 79 episódios havia uma velada crítica às instituições, governos, ditaduras e pessoas néscias.

      Talvez por isso Star Trek é cultuado há 4 anos.

    • Todas as histórias (contos, filmes, quadrinhos) de ficção científica são baseados em situações da vida real, Arthurius.

      Lembre-se do seriado "Jornada nas estrelas"; onde Roddemberry fazia crítica social lá longe, no espaço, onde a censura da Nova Ordem Mundial não o alcanzava.

      Na maioria dos 79 episódios havia uma velada crítica às instituições, governos, ditaduras e pessoas néscias.

      Talvez por isso Star Trek é cultuado há 44 anos.

      • A duplicação deve-se aos 44 anos. Sorry

  • Eurritimia

    Devo admitir que no início, achava que a frase fosse mesmo pra provocar o Kid. Mas então vi o Indiana proferir a frase no Templo da Perdição e pensei: "ei, a frase do blog do Cardoso!" É tão legal sacar referências obscuras, me sinto como se fosse um escolhido acima dos mortais comuns.