E James Cameron inventa o Dia da Ex

lucrezia-borgia-by-bartolomeo-veneziano Em 1984 enquanto dirigia Exterminador do Futuro James Cameron conheceu Linda Hamilton, gostou do que viu e discretamente dispensou os serviços de Kathryn Bigelow, então sua esposa. Ela ainda estava em seu 1o filme como diretora, um curta experimental. No ano anterior ela ensaiou uma carreira de atriz em Born in Flames, mas não rolou.

De 1987 a 2002 ela fez exatos 6 filmes. O mais popular (ao menos na Sessão da Tarde) foi Caçadores de Emoções, aquele filme de surfistas bandidos. Foi a 29a bilheteria do ano nos EUA. Produção do Cameron.

Em 2002 ela cometeu K19, o maior erro estratégico da indústria cinematográfica na década. Custou US$100 milhões, rendeu US$35 milhões no mercado interno. O acidente do filme foi o usado por Tom Clancy como base para Caçada ao Outubro Vermelho, então tivemos o raro privilégio de ver um filme original com sabor de “já vi isso tudo antes”.

Como castigo ela foi pra geladeira. Ficou sete anos sem chegar perto de um set de filmagem (mas não se preocupem, Linda Hamilton levou US$50 milhões no divórcio, a Kat não deve ter saído pobre também) até que ela teve a feliz idéia de pedir para James Cameron avaliar um roteiro.

Ela não estava muito interessada, tinha outro projeto (não é só ex-bbb que tem projetos) em vista. Ele leu, disse “não há o que pensar” e insistiu que ela fizesse o filme “AGORA”. Ele ainda acrescentou que “The Hurt Locker pode virar o Platoon da Guerra no Iraque”.

De posse desse aval ela foi atrás, conseguiu o dim-dim e o resto é História. Uma diretora medíocre no lugar certo na hora certa com o aval certo se torna a primeira mulher a ganhar um Oscar de Melhor Direção. “Esse nem você estraga” seria o aval realista mas James Cameron é um gentleman.

Consagrada pela Academia, Kathryn subiu ao palco, agradeceu Deus e o Mundo mas omitiu qualquer referência a… James Cameron, que a convenceu a fazer o filme!

Na platéia Quentin Tarantino provavelmente sorria, lembrando-se do velho ditado klingon: “vingança é um prato que se come frio”.

Aprendeu, James?


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • O maior erro do James Cameron foi ter trocado a Kathryn Bigelow pela Linda Hammilton. O cara só tem visão de futuro quando se trata de filmes?

    A Bigelow tem quase SESSENTA anos e é um mulherão. A Linda, por outro lado, não merece mais nem o nome que tem.

    É a vida.

    Mas achei muito estranho o Oscar dar a estatueta pra o Hurt Locker. Na boa, eu não vi o filme e provavelmente não verei, mas é difícil acreditar em uma experiência cinematográfica mais poderosa que Avatar.

    Apesar de ter adorado o Inglorious Basterds e querer outros prêmios pra o Tarantino (melhor diretor, por que não?) NESSA categoria eu esperava que o Avatar vencesse.

    Mas, como muita gente não entende, o Oscar é um prêmio da INDÚSTRIA do cinema. E com isso a academia tá fazendo a política dela, fazendo o jabá e investindo onde o dinheiro pode vir TAMBÉM. Por que nos projetos do Cameron o lucro já é garantido.

  • Moisés

    Caçadores de Emoção… Nostalgia, bons tempos de Sessão da Tarde. Só não sei se o filme passa da regra dos 15 anos.

    E o filme Hurt Locker é bom, bem bacana. Pra mim, qualquer filme que ganhasse tava valendo, gostei de assistir todos.

    E o James Cameron tá cheio da grana e poderoso dentro da indústria do cinema… Depois de 2 bilhões de lucro, sei lá, o Oscar parece meio acessório… Rsrs.

  • Pingback: Saber é Bom Demais!! » Oscar 2010 – “Em briga de marido e mulher”… só ()

  • Luis Claudio Dias do

    Diretora medíocre? Falta de sucesso não é sinal de mediocridade. Até pelo fato de que o sucesso veio agora.

    Caçadores de emoções é talvez o melhor filme "sessão da tarde" de todos os tempos.

    E Strange Days (http://www.imdb.com/title/tt0114558) é simplesmente magnífico. E ela ainda teve o bom senso de, mesmo sendo mulher, ao ter Juliete Lewis no elenco, não permitir que ele usasse roupas no set.

    http://images.celebritymoviearchive.com/members/t

    • "sucesso veio agora"? Custando 15 faturando 14? Sua definição de sucesso é ótima.

      • Kaue

        Dessa maneira você está jogando no lixo varios filmes que não são voltados para o mercado, ou a industria de filmes.

  • Ela filmou "Strange Days" (Estranhos Prazeres). É um filminho bem legal… a Juliette Lewis tá afudê no filme.

  • Andlusferr

    E "Porcahontas" perdeu pro para o Platoon do Iraque…

    Ao menos o Janes "Camarão", (agora eu acertei) encheu o "rabicó" de grana.

    • Andlusferr

      James…James….

  • Eu não vi o outro filme que ganhou o Oscar de melhor diretor, mas honestamente não achei Avatar essas cocadas todas não. Avatar é um bom filme, capaz de empolgar a platéia, eu admito que a revolução tecnológica nele surpreende e que a computação gráfica criou um cenário realmente fantástico. No entanto, concordo com o pessoal que diz que plágio de Pocahontas, que ao meu ver já é um plágio de Iracema, sim aquele mesmo romance que a gente lê no colegial quando está estudando para o vestibular.

  • A diferença de Bigelow e Cameron sempre esteve no orçamento/visibilidade. Caçadores de emoção é um filme muito bom, por isso faz sucesso na sessão da tarde, dá vontade de assistir várias vezes. Titanic dificilmente terá a mesma atração. Assim como Avatar. Não posso dizer nada sobre Guerra ao Terror, pois ainda não assisti.

    Pelo twitter afirmei que até mesmo Cameron estava torcendo para que Bigelow ganhasse o Oscar de melhor direção. Acho só que ele não esperava que ganhasse também o de melhor filme.

  • Acompanho sempre o Contraditorium e foi for causa dele, e de alguns outros blogs, que resolvi criar o meu.

    Faz 1 mês que criei e nas ultimas semanas que realmente comecei a trabalhar de verdade em cima dele.

    Fiquei impressionado quando olhei os "Feeds" que recebo do Contraditorium, pois o esse post referente a Kathryn Bigelow é justamente o tema do meu ultimo post também.

    Inclusive a data de postagem e o horário são bem semelhantes, coisa de minutos mesmo, e o ditado da vingança também está presente no meu post.

    Realmente achei interessante, e achei legal que logo no começo eu venha a falar de assuntos que um blog de conteúdo importante e relevante tenha falado também.

    • Grandes mentes pensam igual. Tenho o mesmo problema com o Eden, do Passinho a Frente.

  • Thiago

    Bem… Eu vi ele levantando da cadeira e batendo palmas LOGO que foi divulgado o resultado, ao menos não pareceu ter problemas contra isso.

  • Gabriel

    História à parte, fato é que The Hurt Locker é um filme melhor dirigido que Avatar.

    Aliás pelo menos Avatar ganhou só os prêmios visuais mesmo, porque é só isso que o filme tinha de qualquer forma.

    Pior que ainda levou direção de fotografia (cinematography) que acho que qualquer um que entende um pouco de cinema sabe que devia ter ido para Das weisse Band (The white ribbon)

    Mas faz tempo que o Oscar fica fazendo essas cagadas, não dá nem para ficar muito chateado com esse tipo de coisa.

  • Oscar heterodoxo

    Tudo foi um pouco diferente na premiação de domingo.

    Ocorreram gafes demais para uma festa sempre tão organizada: o texto errado lido por Cameron Diaz, a ausência de Farrah Fawcett nas homenagens póstumas, a falta da tradicional vinheta de apresentação dos fotógrafos candidatos, o corte abrupto no discurso de agradecimento dos vencedores por documentário longa-metragem (quando estendiam um cartaz para as câmeras), a premiação apressada para melhor filme.

    Apesar de bastante previsíveis, como sempre, alguns prêmios parecem absurdos. Sandra Bullock superar atrizes do porte de Hellen Mirren e Meryl Streep? Fala sério. Isso é que é empresário competente. Em termos estritamente cinematográficos, a fotografia de “Avatar” não seria comparável à de “A fita branca”, que também produziu inovações técnicas. E o premiado Mauro Fiore não possui o currículo do mestre Robert Richardson (“Bastardos inglórios”), o velhinho da longa cabeleira branca.

    Foi um alívio constatar a derrota de “Avatar”, filme demagógico do supervalorizado James Cameron. A vitória de “Guerra ao terror”, apesar da indigesta apologia aos “nossos meninos do front”, simboliza o fortalecimento de um cinema de idéias, humano, barato. Essa tendência marcou os triunfos de “Crazy heart” (enfim reconheceram Jeff Bridges, o eterno e impagável Dude) e “Preciosa”. A comemoração parece pueril, mas não custa lembrar que a Academia já teve seus momentos de fascínio pela tecnologia inconseqüente. “Guerra ao terror” também ilumina a ignorância dos distribuidores brasileiros, que esnobaram o filme e agora precisarão devolvê-lo correndo ao circuito. Depois reclamam da pirataria.

    A premiação do argentino “O segredo de seus olhos” esnobou inexplicavelmente a obra-prima de Michael Heneke, “A fita branca”. Se há alguma coisa positiva nesse equívoco histórico, é propiciar uma urgente discussão sobre os limites criativos do cinema brasileiro e os distorcidos paradigmas de qualidade que o norteiam atualmente.

    • Gordon

      Meu. Esse Guilherme Scalzilli tá pensando o quê?

      Tá pensando que o Contraditorium é um palanque para ele publicar as bostas do textos rídiculos e deinteressantes dele?

      • Gabriel

        Desinteressante é seu comentário a respeito do ótimo comentário dele…

        Eu não fico indignado com o Oscar porque espero isso dessa premiação, há tempos deixo que o Cannes faça a justiça devida.

        Mas discordo com o prêmio de melhor atriz.

        Não que ache que devia ter ido para Sandra Bullock (apesar de não ter visto filme)

        Meryl Streep concorria por um papel bem fraco, é uma ótima atriz, é verdade, mas o papel não ajudava.

        Acho que a Gabourey Sidibe poderia ter ganho, seria surpreendente, mas não imaginei que o Oscar iria ousar tanto…

        • marcus

          Como é possível dizer que Sandra Bullock não merece o prêmio e completar com "(apesar de não ter visto filme)" ? Que viagem…

    • marcus

      Qual texto a Cameron Diaz leu errado?

      • Gabriel

        " Como é possível dizer que Sandra Bullock não merece o prêmio e completar com “(apesar de não ter visto filme)” ? Que viagem… "

        Simples… Tendo visto filmes anteriores com ela e sabendo que a Sidibe destruiu no filme que ela fez.

  • Bruno

    Realmente, o forte dela não é a direção.

    os erros que ela cometeu no filme, para um filme realistico de guerra

    1- sniper acertar um inimigo a 1km e o sujeito correndo foi bem "duro de matar" pra um filme "realista", pior que isso se se o cara acertasse com um arco e flexa ahuauahuhau estilo rambo.

    2- vários erros nos equipamentos usados pelos soldados, muita coisa que so foi usada "anos depois" da data do filme.

    de qualquer forma não concordei com nenhum dos dois "favoritos" das indicações.

    avatar é que nem esses jogos de agora, só graficos sem historia e diversão. tudo cliche que qualquer pessoa que ve mais de um filme dos bons por semana já preve nos primeiros minutos do filme. e o vencedor, bom pra mim foi "mais um filme de guerra".

    o meu favorito foi Distrito 9. um dos filmes mais *originais que eu já vi na vida, junto com Memento. e pra mim disparado o melhor.

    a idéia de documentário ficou ótimo, bom não tem muito o que falar sobre ele… talvez a inspiração em jogos etc…

    *filme original só vale se for bom também, senão foi só um diretor doidão que inventou…

    • Gabriel

      Realmente havia filmes bons que não concorreram praticamente.

      Parecia que só havia dois indicados Guerra ao Terror e Avatar.

      Mas quanto sua crítica ao filme, ele não foi criado para retratar a guerra, caso fosse seria um filme muito ruim.

      Eu reparei alguns dos erros que você apontou mas o foco do filme era a qualidade bizarra do protagonista, e é isso que faz dele um filme diferente e interessante.

      Como retrato da guerra ele é horrível, mostra americanos repletos de receio em matar civis, e qualquer morte de civis é causada por erro de rebeldes etc…

      Se você já viu algum documentário sobre essa guerra sabe que isso é uma mentira forte.