Sakamoto, outro monstro pra você prender: A Sandy

Ontem quase não acreditei quando vi a Polêmica do Dia™ no Twitter. O sakamoto, aquele japonês nefasto do Uol que odeia capitalismo e ostentação, tira foto com guerrilheiro marxista mas posta de Macbook e iPhone, resolver romper os limites entre ficção e realidade.

Em um texto com título “Que tal processar Tufão pela Lei Maria da Penha?” ele destilou toneladas de masturbação sociológica explicando como é errado aplaudir o tapa que Tufão deu na Carminha, em Avenida Brasil.

Ou seja: Ele não conseguiu distinguir a sensação de júbilo que se tem ao ver o vilão receber o que merece, da misoginia e CRIME de quem realmente bate em mulher.

Sakamoto igualou Murilo Benício a Guilherme de Pádua.

Sakamoto transformou em MONSTROS quem assiste Dexter e fica feliz quando ele escapa das garras da Justiça. Pense bem; torcemos por um ASSASSINO EM SÉRIE PSICOPATA, nada menos. Quem gosta de Sopranos? Apóia a máfia. Breaking Bad? Os fãs da série fazem festas servindo metaanfetamina fake, o “herói” é um professor de química que resolveu produzir drogas.

E nem vou falar de Weeds.

O Deputado Protógenes, que como bom comunista apesar de ter iPhone e iPad não se deu ao trabalho de assistir ao trailer de TED antes de levar o filho de 11 anos para ver um filme de um ursinho maconheiro AO MENOS entende que aquilo ali é ficção. O sakamoto nem isso.

Neste post o Nerd Pai comenta de uma antiga rima infantil, “O Cravo Brigou Com a Rosa”, e como, do ponto de vista do Sakamoto, é uma clara violência, ou como diriam em Polícia 24h, Charlie 4, desinteligência entre casal com vias de fato.

Ao demonstrar impunidade a rima estaria (do ponto de vista sakamoteano) incentivando a violência, pois o cravo saiu ferido, mas a rosa, despedaçada.

Eu iria além. Sakamoto, meu herói, prenda a Sandy e Jr (como alguns fãs chamam). Veja você, como essa dupla promoveu a violência contra a mulher, o conceito arcaico de legítima defesa da honra, e em última análise, o próprio patriarcado!

Veja a letra desta música:

O que que você foi fazer no mato, Maria Chiquinha?
O que foi fazer no mato?

Eu precisava cortar lenha, Genaro, meu bem
Eu precisava cortar lenha

Quem é que tava lá com você, Maria Chiquinha?
Quem é que tava lá com você?

Era filha de Sádona, Genaro, meu bem
Era filha de Sádona

Eu nunca vi mulher de culote, Maria Chiquinha
Eu nunca vi mulher de culote

Era a saia dela amarrada nas pernas, Genaro, meu bem
Era a saia dela amarrada nas pernas

Eu nunca vi mulher de bigode, Maria Chiquinha
Eu nunca vi mulher de bigode

Ela tava comendo jamelão, Genaro, meu bem
Ela tava comendo jamelão

No mês de setembro não dá jamelão, Maria Chiquinha
No mês de setembro não dá jamelão

Foi uns que deu fora do tempo, Genaro, meu bem
Foi uns que deu fora do tempo

Então vai buscar uns que eu quero ver, Maria Chiquinha
Então vai buscar uns que eu quero ver

Os passarinhos comeram tudo, Genaro, meu bem
Os passarinhos comeram tudo

Então eu vou te cortar a cabeça, Maria Chiquinha
Então eu vou te cortar a cabeça

Que cocê vai fazer com o resto, Genaro, meu bem?
Que cocê vai fazer com o resto?

O resto? Pode deixar que eu aproveito

Isso mesmo que você leu! Não só a mulher, flagrada em uma situação de provável adultério, é completamente submissa, mesmo quando o homem determina seu cruel destino “então eu vou te cortar a cabeça” como nem a dignidade de um enterro cristão ela é merecedora.

Em uma insinuação clara de necrofilia, o homem diz que irá “aproveitar” o corpo sem vida da esposa.

Aí eu pergunto: TODO MUNDO QUE CRESCEU CANTANDO ISSO, alguém aqui se tornou assassino necrófilo?

Ficção é ficção, como Freud falou, às vezes um charuto é só um charuto. E se o charuto estiver enfiado no rabo, retire-o, ao invés de despejar suas frustrações em artigos sem pé-nem-cabeça tentando enquadrar personagens de ficção.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Nunca parei para observar como a letra da música termina! E era cantada por uma dupla que tinham o quê? 10 e 8 anos? :D

    Mas esse Sakamoto é biruta mesmo. É um estraga prazeres do escapismo que temos ao nos entreter com uma ficção

  • Rayane Belo

    Meu, esse Sakamoto é a piada em pessoa da web nos últimos tempos. Ele e a personagem Cleycianne me fazem passar mal de tanto rir.

  • MEODEOS!!!

  • Ronaldo Gogoni

    Sabe aquele papo de que "videogames incitam a violência"? Pois é. Se isso fosse verdade eu seria o maior psicopata do universo.

    • NestorBendo

      Se o GTA incita violência, o Super Mario Brothers forma encanadores e eu vou providenciar imediatamente o Banco Imobiliário do meu filho.

  • Robinho

    Isso me lembrou de um programa que vi na TV Brasil sobre desenhos animados e a influência que causariam em crianças. Uma pesquisa fora feita com pequeninos e provou que a maioria julgava as atitudes do pica-pau como corretas, já que geralmente (na opinião delas, claro), quem começava a briga seria o Zeca Urubu, sempre querendo levar vantagem sobre o inocente pássaro. Outros, ainda, diziam ser "apenas um desenho".

    Eu não sei. Por mais que queiramos separar a ficção da realidade, estão em algumas circunstancias entrelaçadas. A comportamento social, por exemplo. Bater em mulher é algo que, em nossa cultura, visto agora como abominável. Se a cena fosse feita numa época anterior a Maria da Penha e da denúncia de violência contra a mulher, teria com certeza uma repercussão menor e um sucesso grande diante do público. Digo, pouquíssimos diriam que Tufão estaria de alguma forma errado.

    Acho que o Sakamoto manifestou sua opinião, e você a sua — diga-se de passagem muito mal formulada. Simplista demais seu exemplo da música de Sandy e Junior, algo cantado há mais de 20 anos atrás…Por aqui tem uma música que diz "se ela roubar o seu marido, o que vc faz com ela? eu mato ela. eu mato ela" ÓBVIO que nem todas as garotas que tiveram seus maridos (sic) roubados vão matar as ladras. Mas é clara a legitimidade que se dá a tal atitude: ela mereceu. E por quê?

    Não é melhor pensar em como tal ideia chegou até nos, em pleno século 21, do que recorrer à facilidade de criticar e dizer que é tudo bobagem e conversa pra boi dormir? E se não curte as "toneladas de masturbação sociológica", pra quê diabos lê o que ele escreve, se sabe que isso faz parte de 99,00% de seus textos?

    • Wagner

      Agora danou-se! O mundo tá ficando extremamante chato, repleto de pessoas sem senso de humor e orientadas pelo "politicamente correto". Aonde vamos parar?

  • slack2028

    Aí eu pergunto: TODO MUNDO QUE CRESCEU CANTANDO ISSO, alguém aqui se tornou assassino necrófilo?

    Sim.

  • Fernando

    Quando uma atriz da novela usa determinada peça de roupa (cabelo, maquiagem…) , mesmo que ridícula, ela automaticamente vira moda.
    O povinho deste paisão não tem discernimento para separar ficção da realidade.
    Anteontem passou nos noticiários o vídeo de um marido matou a mulher e a amiga dela, porque tava sendo "traído". Isso é banal no Brasil.
    A televisão é concessão pública, e mesmo que não fosse, tem responsabilidade na disseminação da cultura.
    Quando eu era criança, brincava com arma de brinquedo. Hoje o mundo é outro, não existe mais lugar para a inocência. Não daria uma pra meu filho.

    • Mises

      Típico socialista, sempre culpando os outros pelas suas próprias falácias.

  • Rafael

    "alguém aqui se tornou assassino necrófilo?"

    Claro que não! Necrofilia seria abominável..

    Oh, wait!

  • pharispoa

    Creio que o nunca mostraram para o Sakamoto a plaquinha de "Sarcasmo" , "Ironia" como Leonard faz com o Sheldon ou Raj (sob efeito etilico) fala para Penny o quanto ela é rídicula por não admitir os sentimento pelo Leonard.

    • Sheldon

      BASIMGA :-DD

  • Fabiana

    Cara, você não tem nada mais importante pra "analisar" não?? Deu sono sua analise…de verdade. Exemplo de coxinha…

  • Mais um belo texto seu Cardoso, você consegue distinguir-se dos blogueiros triviais e/ou donos da verdade não se utilizando do politicamente correto, que já encheu o saco de muita gente. Seu exemplo da música da Sandy é perfeito. Para ganhar cliques e audiência, sempre é mais fácil pegar uma "Maria da Penha" ou algum caso de Homofobia, mas o politicamente correto não é lei, ele deve estar subliminarmente dentro da cabeça das pessoas mas sempre com uma alta dose de bom senso. Há algum tempo não lia seus textos (falta de tempo), pretendo retomar a partir de hoje.
    Um forte abraço

  • Mais um belo texto seu Cardoso, você consegue distinguir-se dos blogueiros triviais e/ou donos da verdade não se utilizando do politicamente correto, que já encheu o saco de muita gente. Seu exemplo da música da Sandy é perfeito. Para ganhar cliques e audiência, sempre é mais fácil pegar uma "Maria da Penha" ou algum caso de Homofobia, mas o politicamente correto não é lei, ele deve estar subliminarmente dentro da cabeça das pessoas mas sempre com uma alta dose de bom senso. Há algum tempo não lia seus textos (falta de tempo), pretendo retomar a partir de hoje.

  • Danilo Moreira

    É sempre uma satisfação acessar o site, poder ler textos tão bem elaborados e comentários bastante coerentes. Não sou um leitor assíduo mas sempre que visito passo um bom tempo por aqui.

    Parabéns pela inteligência!

    Forte abraço!

  • Márcio Leijoto

    Cara, essa piada do defensor do socialismo que usa iPhone é tão 2002, quando o PT assumiu o poder… Vc poderia ter pensando em algo melhor para tentar desqualificar o cara. Aliás, vc mistura um monte de coisa nada a ver. A realidade de Dexter com a do Tufão é bem diferente. Os personagens são bem distintos. E vc linka algumas coisas, mostra a letra da musica, mas não tem coragem de linkar o blog do sakamoto pq? Medo de que as pessoas leiam o texto dele e discordem de você?

    eu concordo com sakamoto neste caso. Mas isso não quer dizer que ache vc um idiota. Pelo contrário, gosto de mta coisa que você escreve.

    Se bater em uma mulher pode ser aceito como resposta pelas "vilanices" dela (dentro de uma novela, ficção), então dá para aceitar ofensas racistas (dentro da novela) se ela fosse uma vilã negra ou homofóbicas se fosse gay?

    Não acho que quem viu a cena e se sentiu "vingado" seja um agressor de mulheres, claro. Mesmo pq aí entra uma questão de vingança que é complicado. Pq eu posso ser contra a pena de morte e ao mesmo tempo querer matar um cara que matou alguma pessoa querida minha. Pq a vingança prevaleceria sobre meu senso de justiça.

    Mas acho covarde tentar antes de argumentar ridicularizar a pessoa. Muita gente pensa que nem o Sakamoto.

    Se vc pensa diferente, legal. Ok. Argumente. Vamos avaliar.

    • Fernando

      "Cara, essa piada do defensor do socialismo que usa iPhone é tão 2002,quando o PT assumiu o poder…"

      Nossa, eu não sabia que em 2002 já faziam piadas usando um produto que foi lançado em 2007.
      http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2012/09/re

      E o que tem a ver o pt com a notícia?

    • Leandro Gomes

      “Se bater em uma mulher pode ser aceito como resposta pelas “vilanices” dela (dentro de uma novela, ficção), então dá para aceitar ofensas racistas (dentro da novela) se ela fosse uma vilã negra ou homofóbicas se fosse gay?”

      Que caralhos tem a ver vingar-se de uma pessoa que fez mal a você e várias pessoas com ofender alguém? Comparação mais esdrúxula a realidade.

      Todo mundo entendeu a comparação entre o Tufão e o Dexter no texto, mas parece que sua percepção para essa falhou miseravelmente. Entenda o que ele quis dizer: violência não segue definições ideológicas como uma boa menina comportada, você, assim como o Sakamoto, necessitam sempre recortá-la de seu contexto específico para rearranjá-la na narrativa da luta entre opressores e oprimidos. Puro vício de raciocínio militante.

  • Essa gente "politicamente correta" me dá nauseas. Novela da Globo é tudo igual, mas hoje em dia querem dar lições de "politicamentismo correto" e se dão mal. Vilão tem mesmo que apanhar (pelo menos em novela) quanto aos desenhos animados, está aí Tom e Jerry. O ratinho sinvergüenza querendo sempre roubar queijo o e pobre gato sempre apanhando. Inversão de valores. Alguém já criticou isso? Que eu saiba não.
    E na vida real: Lampião. Bandido e assassino cruel. Venerado em alguns lugares do nordeste como se fosse um herói. Não a toa o país está como está.
    Òtimo post.
    VL&P

  • É Carlos também estou assustado como sua skill de interpretação de texto está declinando. Releia o texto do Sakamoto se houver tempo, vai te ajudar. Ele é 90% irônico, não esperava que logo você fosse levar a sério.

  • Leda Ferreira

    O problema é, a representação é sempre a mesma. O vilão homem tem um destino: morre, vai para a cadeira, qualquer coisa assim. Já a vilã mulher invariavelmente acaba apanhando. Muitas vezes, de outra mulher, mas algumas vezes, de homem. Os vilões homens raramente passam por isso. Então, há sim um problema na cena de violência doméstica que aconteceu na tal novela. A recorrência desse tipo de cena, no todo, pode sim incitar a violência doméstica.

    • Celso F. Trucolo

      Sim, afinal de contas, morrer é bom pra caramba, né ?

    • Leo Queiroz

      oh, claro, coisa rara de se ver um homem
      vilão levando uma surra…

  • Bruno

    Meu Deus é só novela e numa novela vale tudo!

  • Não é exatamente o sakomorto, mas estão querendo proibir: http://aventurasnajusticasocial.com/proibam-sandy-jr/