Pior que homofobia, só veadagem

Nos tempos da UFF eu estava voltando de carona pro Rio com três amigos da faculdade e um carinha da TI da Globo. O carinha era namorado de um de meus amigos. Tirando eu todo mundo no carro era Gay. Do nada o Vermelho (esse era o nome de um deles) começou a agarrar o namorado, que estava dirigindo.

Começou uma gritaria, com motorista quase perdendo o controle (do carro) e os outros dois rindo cutucando o casal no banco da frente. Em no meio, no banco de trás. Tive que falar:

“Gente, pára. Vermelho, sossega. Pense na minha mãe quando ver a manchete Carro Repleto de Homosexuais Cai da Ponte Rio-Niterói.

A gargalhada foi geral, fomos imaginando cenários até chegar no Rio.

Hoje eu seria acusado de homofobia e ameaçado de processo.

O mundo está se tornando um lugar muito chato, com grupos confundindo o direito de ser aceito com o privilégio de ser aquele chato sem-graça que ninguém brinca com medo de levar uma patada.

O último alvo foi o comercial do Doritos, onde quatro amigos estão em carro, o rádio começa a tocar YMCA, um deles se solta dançando, os outros olham com cara de quem está estranhando, e termina com o slogan “quer dividir alguma coisa com os amigos? Divida um Doritos”.

A idéia é MUITO melhor que a execução, veja:

Pois bem: Um monte de grupos de defesa de direitos dos Gays está propondo boicotes, denunciando ao CONAR, ameaçando se rasgar por causa do comercial. Sim, dessa besteira aí de cima. Não é uma reação contra os imbecis da igreja batista de westboro, e sua campanha nojenta “Deus Odeia Bichas”, em que usam inclusive crianças:

Dizer que o comercial é ofensivo demonstra muito, muito mais sensibilidade do que é recomendado para viver em sociedade. Quem quer ser integrado tem que aprender a rir de si mesmo. Procurar desesperadamente homofobia onde não existe não é saudável. NÃO ACHAR GRAÇA em personagens caricatos, apenas por serem gays, não é saudável.

Para Wong Foo, Priscilla a Rainha do Deserto, A Gaiola das Loucas, há tantos casos onde os personagens são gays E engraçados. Devemos banir esses filmes? Fazem graça com o homosexualismo alheio, ora bolas. E que me consta nem o Victorio Gasman nem o Agente Smith são gays, então não caem na imunidade diplomática do sujeito fazendo piada do próprio grupo, como Chris Rock fazendo piada de negros, ou Mel Brooks fazendo piada de judeus ou o Tabet contando piada da Xerox.

Que tal ao invés do Doritos, invadir a sede da RedeTV e queimar em uma fogueira o Christian Pior e o Robaldo Esperman? Esse vídeo dos dois no Gala Gay me parece mais que suficiente, já que abolimos o  humor e tudo é levado a ferro e fogo:

Aproveitando a fogueira, vamos queimar o Matt Groening também. Em um episódio recente dos Simpsons durante uma cena Homer fantasia um beijo entre Marge e uma vizinha, com direito a língua e tudo:

Confesso que achei a cena desconfortavelmente excitante. Tudo bem, é normal, 95% dos homens hetero fantasia com mulheres se agarrando. No nosso mundo ideal 100% das mulheres são bisexuais, como Jesus queria. O detalhe é que segundo minhas amigas lésbicas isso é extremamente ofensivo, elas se sentem tratadas como anormais, quando dizem que não curtem homem.

Nesse ponto de vista os gays são muito mais “aceitos” que as lésbicas, ninguém reclama se o Clodovil não quiser sair com a Juliana Paes. (só vamos estranhar se ela fizer o convite primeiro)

Todos prontos para a caravana para queimar a Fox? Ótimo, vamos queimar também o escritório de Family Guy. Seth Macfarlane é especialista em ofender grupos de interesse. No último episódio por exemplo Peter Griffin, precisando de dinheiro se emprega como cobaia de laboratório, acaba sendo injetado com o Gene Gay, em uma pesquisa para provar que homosexualismo é genético, não ambiental.

Ele inicia vestindo-se de forma, digamos assim, exuberante, demonstra talento para cozinha, moda, decoração, teatro infantil (ok, esse último eu deduzi)

A princípio Lois gosta do novo Peter, mais atencioso, prendado, etc. Mas então ela descobre que embora ele a ajude a comprar lingerie, não quer nada com ela ou qualquer mulher:

Sim, eu sei, a Lois é gostosa, mas não vem ao caso.

Peter sai de casam abandona a família, arruma um namorado e vai morar com ele, participa de teatro musical, assiste Lifetime e pratica todos os clichês gays que você pode imaginar.

Ah sim, o episódio não vê problema algum em mostrar Peter e o namorado aos beijos, várias vezes:

Para tentar salvar Peter, Brian, o cachorro sequestra e interna o amigo em um “Campo Hetero”, que promete recuperar homosexuais e torná-los hetero. O discurso de boas-vindas do instrutor é ótimo:

“Bem-vindos, vocês estão aqui porque fizeram uma escolha de abandonar sua vida pecaminosa e se redimir aos olhos do nosso senhor e salvador Jesus Cristo, que odeia muita gente, mas ninguém mais do que homosexuais”

É verdade. Esse tipo de acampamento existe mesmo.

Lois resgata Peter e diz que o ama, não importa a opção sexual, quer que ele seja feliz, mesmo com Scott, que prepara uma festa de boas-vindas, com direito a uma orgia com 11 caras.

Infelizmente para Peter o efeito do Gene Gay acaba. No meio da orgia.

O episódio explorou um monte de estereótipos, e causou bastante polêmica. O Parents Television Council, organização cristã americana fez queixa ao Federal Communications Council dos EUA, alegando indecência, desvirtuamento de valores, conteúdo sexualmente explícito, etc.

O episódio curiosamente só não irritou o grupo mais interessado. No blog inglês PINK NEWS os comentários são UNÂNIMES:

“Sendo gay, eu ri até não poder mais. Foi uma boa paródia de alguns aspectos da cultura gay”

“A apresentação do Campo Hetero mais certeira: Fundamentalistas nos odeiam mais do que a assassinos”

Outro leitor acertou em cheio o que é HUMOR:

“Na verdade o episódio foi bastante ofensivo, mas incrivelmente engraçado. Não acho por um segundo que tenha sido a intenção diminuir ou humilhar gays ou qualquer outro. Mas se irritou o pessoal religioso, que venham mais episódios iguais a esse”

Se alguém fizer uma piada de blogueiro, eu vou me ofender se a piada for RUIM. Se todas as críticas a blogs fossem como as do Dahmer, eu seria um “ofendido” feliz.

A conclusão que eu chego é que os rapazes alegres ingleses e americanos têm muito mais senso de humor e jogo de cintura do que os brasileiros. Nem é novidade, 20 anos atrás um cantor inglês teve o desplante de se vestir de mulher, com bigode e tudo, rir de si mesmo e encantar o mundo com sua música.


Mil palmas para Freddie Mercury, amado e respeitado por milhões, que provou que um Gay pode ser um Grande Homem, basta não ser mesquinho.

Leia Também:

  • Danilo

    "No nosso mundo ideal 100% das mulheres são bisexuais, como Jesus queria." Ei, onde diz isso Cardoso ? Preciso urgentemente mostrar para uma(s) amiga-crente-gostosa-hétero-que-to-quase-pegando…

    Obrigado.

  • O gay no Brasil não quer apenas ser aceito, ele quer impôr aos outros aquilo que dele deve se pensar e falar. Você mesmo já falou aqui sobre o GLBT da Bahia, dizendo que Deus é gay, Jesus é gay e talvez até o Tabet seja gay.

    É meio aquela piada do Jabor: "Os gays no Brasil só vão se sentir respeitados e amados quando o país inteiro soltar a franga também."

    Até onde eu saiba, gays deveriam ter um senso de humor acima da média. Eles não conseguem rir de si mesmos como fazem os judeus ou os comediantes negros Made In USA !

    <abbr>Damnati – último post do blog… O Monge de Matthew Lewis e o Arcebispo de Recife</abbr>

  • Sensacional, o texto, aparentemente aqui no Brasil ativismo homossexual se resume somente questionar coisas futeis e sem valor concreto, parecendo briga de lavadeiras. Terrível!

    <abbr>Bruno Gama – último post do blog… brunogama: Ótimo post do cardoso: <a href="http://tinyurl.com/crcjzq</abbr>” target=”_blank”>http://tinyurl.com/crcjzq</abbr>

  • Eita que dessa vez tu que roubou meu post!!!! Nem vou mais escrever…

    Mas é isso mesmo, pior que pertencer a uma minoria (que acho que isso nem é mais verdade, as mulheres estão dizendo que difícil mesmo é achar um hétero) é não ter senso de humor.

    Todo chato – independente de raça, cor, credo ou opção sexual – merecia um tapão na orelha e várias horas de Monty Phyton – para ver se recuperava o senso de humor.

    <abbr>Eden Wiedemann – último post do blog… John Connors… WOW</abbr>

  • Cara, muito bom o texto, mas eu não sabia que você era gay! :]

    Beijunda!

    • Não sou, se fosse o post seria MUITO pior, pois teria imunidade diplomática.

      • Na verdade eu sabia que não era, foi somente uma "piada", no próprio texto você mesmo diz isso…

        mas isso da falta de humor é geral, o brasileito adoro piadas, zuações e afins, mas com os outros, quando é com ele o assunto muda. Vide Negros, Gordos, Loiras e outros gêneros. Eu tive um site de Humor e que virou blog agora. Constantemente eu recebia emails reclamando de alguns piadas, mas é complicado, me diga 20 piadas que não ofendem alguém?

        • Digo 50. Todas sem graça.

          • Quando eu baixei a entrevista do Cardoso com a Madame Bela, fui ouvindo ela no carro. Na hora que o Cardoso solta um BOBINHA ! BOBINHA ! Tá pensando que eu sou o Estadão… Eu pensei: Isso é uma bichona ! huahauhauhauha ! Mas é só malemolência carioca !

            Ele ainda vai pegar a Vendramini, nem que seja montando um cover do RPM e imitando o Paulo Ricardo.

            <abbr>Damnati – último post do blog… Blogando por um emprego na AirAsia</abbr>

          • Carlos Magno

            Quando ouvi as participações dele no Nerdcast, também notei que ele tem uma voz um tanto quanto "jovial". Achei bem engraçado.

  • Como eu acabei de deizer… vou namorar com minha sombra !

    Ótimo texto Cardoso.

    E tenho dito !

    <abbr>Sergio Clemente – último post do blog… A pior agressão que podemos sofrer é não deixar ser amado</abbr>

  • Acho que entra em jogo mais uma questão aí, a questão do direito ao humor. O humor é sagrado, parte importante do indivíduo e da Humanidade.

    Independente se aplicado a minorias, a tragédias, questões morais, religiosas, o humor é necessário, saudável, por fomentar a discussão e pela própria prática de liberdade de expressão.

    O Tutty Vasques postou sobre essa questão (do humor) na ocasião do caso Henry Sobel, citando o Seinfeld, em post no No Mínimo na época.

    Não sei onde encontrar o original do Tutty Vasques, talvez só esteja disponível somente nos blogs que o 'chupinharam', mas o tal episódio do Seinfeld é o 152, segue o trecho:

    Father: Tell me your sins, my son.

    Jerry: Well I should tell you that I'm Jewish.

    Father: That's no sin.

    Jerry: Oh good. Anyway, I wanted to talk to you about Dr. Whatley. I have a suspicion that he's converted to Judaism just for the jokes.

    Father: And this offends you as a Jewish person.

    Jerry: No, it offends me as a comedian. And it'll interest you that he's also telling Catholic jokes.

    http://www.seinfeldscripts.com/TheYadaYada.htm

    <abbr>Mamendes – último post do blog… O Supremo Resolve</abbr>

    • Esse episódio é ótimo hahahahahah Bem lembrado, tem aquele também que eles falam sobre gays e sempre repetem a frase "Não que tenha nada de errado nisso" é genial

      <abbr>Evandro Cesar – último post do blog… Eu e a Sharon temos medo de robôs</abbr>

  • Pior que quando vi o comercial eu pensei: Lá vem mais uma onda de noticias sobre processos, gente se sentindo ofendida, mimimi, etc.

    Isso já é tão óbvio hoje em dia que nem me surpreendo mais.

    Eu achava que a tendência era as pessoas falarem desses assuntos mais delicados (sem duplo sentido) mais naturalmente, mas parece o contrário: com o passar do tempo é cada vez mais perigoso falar dessas coisas. Você pode ser processado à toa…

    <abbr>Rafa Soares – último post do blog… Internet Explorer 6 FML (ah, vá!)</abbr>

    • edo

      Pois é Rafa, não se pode nem mais peidar em paz!

  • edo

    Um fato que podemos observar na maioria dos "grupos sociais" é que se você não for da "tribo", não pode fazer piadas sobre ela.

    A própria "tribo" não permite que pessoas de fora entendam ou participem de suas piadas internas sem graça.

    E o bambú?

  • Ótimo texto Cardoso. Assim como os negros, os gays são mais preconceituosos com eles mesmo do que tudo. Acham que tudo que nós, héteros e brancos, falamos é com o intuito de ofender, de satirizar, de humilhar, etc. São uns frangotes sem graça. Concordo contigo, devem se ofenderem sim, mas quando a piada for ruim.

    Abraços,

    Monthiel

    <abbr>Monthiel – último post do blog… 10 Sensacionais Wallpapers de Games</abbr>

    • Tiago

      Tudo não, mas a maioria das vezes é para ofender e humilhar sim. A questão é: como separar o joio do trigo?

  • É frescura mesmo, quer filmes mais engraçados que Priscilla a Rainha do Deserto e A Gaiola das Loucas (o original) ?
    O comercial do Doritos não tem nada de preconceituoso, nada, só que aquele pessoal do pânico é dose, ainda bem que nem vejo aquilo

    <abbr>Evandro Cesar – último post do blog… Eu e a Sharon temos medo de robôs</abbr>

  • Eu chamaria isso de "auto-preconceito". Quando fui pra Porto Seguro, Bahia, os vendedores ambulantes me chamavam de "parmalat", "leitinho", etc, por causa da minha cor extremamente branca, e eu nem ligava, sabia que não era por mal, era só brincadeira. Quero ver alguém chamar um gay de "bambi" ou semelhantes.. ou ainda um negão de "chocolate".. vai acabar com um processo nas costas. Legal né?! Não querem preconceito mas eles veem preconceito em tudo. Dá um tempo, vai!

    haa, e gay é termo geral para homossexuais, ou seja, lésbicas também são gays. ;)

    <abbr>Fabricio – último post do blog… Essa ai é a "evolução"???</abbr>

    • Tiago

      Mas os brancos não sofrem discriminação. Te chamar de parmalat não ofende porque não significa nada. A palavra não tem nenhum peso social, não está maculada por nenhum ranço de preconceito. Agora, chamar de Bambi e similares, na maioria das vezes, é com objetivo de ofender.

      Não dá para comparar grupos que sofrem discriminação com grupos que não sofrem discriminação.

      • beto

        chamar de bambi ofende ?só se for são paulino.

  • "Tabet contando piada da Xerox"

    Boa!

    ;)

  • Animal o texto, e acho que muito mais polêmico no contexto da discriminação racial. Apesar de ninguém obrigar ninguém a ser negro, também não abrem mão de camisetas de "negro é lindo", "100% negro", tal tal. E a resposta a possíveis "orgulhos brancos" é sempre muito violenta.

    Mas achei meio tonto esse clichêzinho no final de "no Brasil a coisa é pior". Nem a pau, né? Entrar contra comerciais desse tipo deve ser rotina lá. Acho que o Mercury não segura a onda, não.

    • Não é clichê, são fatos. Na mesma semana um episódio polêmico nos EUA e um comercial bobo no Brasil provocam reações diametralmente opostas na comunidade Gay.

      • Mas isso nessa semana, e com dois fatos diferentes e escolhidos a dedo. Não é como se a comunidade brasileira desaprovasse o Family Guy ou a internacional aprovasse o Doritos. Assim fica fácil provar qualquer coisa! ;D
        Mas eu também não manjo nada de comunidade gay, pode ser que seja assim mesmo. É que baseado naquele monte de associação reclamona que tem nos EUA, e coisas como o Pior e Robocop Gay e sei lá mais quantos já passaram batido por aqui sem ninguém reclamar (acho), o Mercury ainda não me convenceu.

        <abbr>Leon Santiago – último post do blog… O Legendas.tv tá fora do ar. (E eu tô quase a favor!)</abbr>

  • Guto

    O problema é outro, não é que os homosexuais tupiniquins não tenham senso de humor, eles apenas estão tentando ganhar algum cascalho fácil.

    Como todos os "grupos" organizados fazem em situações semelhantes.

    Deprimente não!?

  • Não pude deixar de lembrar do novo comercial da Volkswagen, protagonizado pelos alemães (ou brasileiros se passando por alemães, engenheiros da VW, com sotaque), no final:
    – Nós serr muito rigorrosas.
    – Rigorrosa pode ser você, eu ser rigorroso mesmo! (E passa a sacanear o outro, insinuando alguma boiolice).
    Eu rio muito só de pensar neste comercial. Pena que não encontrei na internet.

  • Fredhy

    Só para não deixar passar em branco.
    "Grand Finale" do texto… FAIL! Pois o Freddie mercury não foi inglês, muito menos Americano. Ele nasceu em Zanzibar!!!

  • Ótimo também foi o episódio dos Simpsons em que o Homer pensou que Bart estava se tornando gay, a cena da fábrica foi demais.

    Acho que a militância gay é muito importante. Se não fossem pelos ativistas nunca que casos de violência e homofobia extrema sairiam das sombras, eles também foram importantes no início da epidemia do HIV e com a conveniente "cegueira" do governo americano quanto ao início da epidemia. Porém eles tendem a exagerar mesmo, infelizmente ninguém consegue seguir o caminho do bom-senso.

    • Ah, não confunda a militância gay (ativistas e engajados) com a comunidade gay (o viadeiro todo) Cardoso.

    • amdre

      vai esperar bom-senso de alguém que dá o cu?
      (pronto, aí sim um exemplo de preconceito e/ou piadinha de mau-gosto)

  • Phillipe Xadai

    O grande problema é que as minorias (ou nem tãi minorias assim) acham que enquanto minorias têm necessariamente de transformarem-se em guetos!
    Isso vale pra homosexuais, negros e religiosos fanáticos (em todas as suas "maravilhosas" formas e cores).
    Quem se comporta como gueto tem mais é que levar mesmo. Quem quer respeito se impõe.
    Piadas não aumentam ou diminuem o respeito inerente a niguém (e atá diminuem, se, como disse o Cardoso, você não souber rir junto).

    • Tiago

      Essa acusação é mais mentirosa e ridícula possível! Os gays não querem viver em guetos. Adoraria poder sair com meu namorado para qualquer lugar, ir com ele para a praia, para qualquer boate (não só as GLBT), ir no shopping de mãos dadas com ele, etc. Mas a sociedade não aceita. Vivemos no gueto por que fomos empurrados para lá. Não me venha com esse discurso hipócrita de que optamos pelo gueto por que queremos! É um insulto!

  • Foi um tremendo exagero tacharem a propaganda do Doritos de homofóbica.
    Ela é ótima e super criativa.
    Efeitos do "politicamente correto"? Aff!

    <abbr>Juliana Sardinha – último post do blog… Teste a sua dependência de Internet</abbr>

  • Cara, eu acho que é diferente. O episódio de Family Guy é decaradamente sarcástico. Você vê sabendo que os caras tão zoando quem tem a mente fechada, que acha que existe um gene gay, que homossexualismo é doença e tal.
    Foda nesse comercial do Doritos é a reação dos amigos do rapaz, que são claramente homofóbicos. E o "quer dividir alguma coisa? divida um DOritos" passa uma mensagem do tipo "não divida sua homossexualidade, divida um Doritos, pega menos mal".
    Essa, ao menos, foi a minha impressão.
    Mas concordo que o brasileiro tem essa mania de pimenta no cu dos outros é refresco. É muito foda fazer piada aqui, o cérebro do brasileiro é muito subdesenvolvido! (sou brasileiro, tenho imunidade diplomática pra falar mal de brasileiro ou isso me faz anti-patriota?)

    <abbr>Felipe Barros – último post do blog… Esclarecimentos sobre o aborto</abbr>

  • Elebic

    Olha, eu até concordo que essa baboseira politicamente correta é chata e que hj em dia a gente não sabe mais o que fazer, o que falar, qdo falar e como agir e eu (que sou mulher) engulo certos tipo de feminismo as avessas. Eu super concordei com o tema. Mas não concordo que se compare esses tipos de comerciais que adoram nos dizer como agir, que que é ser legal, que que é ser livre com desenhos que discutem o comportamento social reproduzindo comportamentos contraditórios e idiotizantes de formas hilárias e principalmente ironicas.

    • Você molda seu comportamento em sociedade baseado no que vê em comerciais de salgadinhos? Putz…

      • Elebic

        Não… moldo as minha conclusões baseada no que me parece que querem me dizer. minhas ações são outra história, muito longe de qualquer coisa que eu tenha afirmado aqui.

    • É, tem razão. É fácil comparar as coisas nesse jeito.
      Como o gay lá disse, todo mundo tem certeza que o Family Guy não tá tirando sarro dos gays, mas de quem tem preconceito e acredita em um Gene Gay. Aposto que com o comercial a certeza não seria tão grande.

      MAS, o Cardoso não percebe isso, ele não se molda com base em comerciais de salgadinhos. Passou a infância estudando, o coitado, nunca via televisão e seus pais lhe deram uma ótima educação social.

      <abbr>Leon Santiago – último post do blog… Wild Life!</abbr>

  • Elebic

    Aliás, pra mim, a pior que eu já ouvi foi o protesto que uma associaçao de cegos fez ou faria na estréia do filme "Ensaio Sobre a Cegueira", dizia-se do filme que insinuava que ser cego faz da pessoa uma pessoa má. Maaaas, isso se passou no EUA, :), ops acho que eu to fora do tema.

  • E eu achava que um mero tweet da Baunilha não ia render tanto =P

    <abbr>Fábio Buchecha – último post do blog… Mais mudanças na Política de Privacidade do Google. Editores de AdSense, fiquem atentos.</abbr>

  • Eu vi um prenúncio de polêmica nos tweets, e eis o resultado.

    Maravilha. Mesmo. Aplausos metafóricos de minha parte.

    E ainda por cima me salvou de escrever mais um post com tema potencialmente polêmico. =)

    <abbr>Bruno Guedes(Toupeira Profissional) – último post do blog… Check-up Anual</abbr>

  • eu

    as pessoas têm direito de serem homofóbicas tb.

  • Por causa desse post vou começar a ver Family Guy.

    <abbr>Andarilho – último post do blog… A noite estrelada e a tristeza que durará para sempre</abbr>

  • Pingback: Posts Fresh Blogs as of 13/03/2009 - Boa Idéia.org()

  • Carlos Magno

    Se forem brigar por "homofobias" leves como essa aí do comercial do doritos, vai ter que processar muitos locais de trabalho de predominância masculina por aí.

    É piada pra lá, todo mundo insinuando "viadagem" dos colegas de trabalho, é um ambiente extremamente opressivo aos próprios heterosexuais (toda hora tendo que provar que é hetero). O fato de não ter amante e não gostar de ir no puteiro já gera desconfiança por parte dos colegas.

    Sou hetero e até gosto de cantar essas músicas ditas gays, como YMCA, Macho Man, Vai Wilson Vai e Cobra Venenosa. Não por ter tendências, mas é que as músicas são por demais engraçadas. Os preconceituosos vivem uma vida por demais sem graça e sem sal.

    • jrventurim

      Eu acho que você é gay sim … Pode ainda não saber, mas é … Mas, isso só é minha liberdade de expressão sendo exercitada …

  • Eduardo

    Vamos pensar, existe grupos gays, grupos de mulheres, de negros… Daqui a pouco os verdadeiros excluidos serão os homens brancos, heteros…

    • gustavo

      ahahha queria eu ter me poupado de ler esse comentário!

    • Tiago

      Tadinho dos homens, dos héteros e dos brancos… sempre tão perseguidos aos longo dos séculos… aff…

  • Paulo G Muller

    Todo Gay é viado…., ou não ???

    • Claudio

      Não. Viado é se for o filho dos outros… Se for o meu é gay, homossexual…

      <abbr>Claudio – último post do blog… BeFunky: Efeitos profissionais em suas fotos</abbr>

      • Paulo G Muller

        Tá. Tá bom então.
        E se for bicha ? como fica ? ou não fica ?

  • Pingback: Links Recomendados da Semana 13-04-2009()

  • Esse texto me fez lembrar de um "causo" que aconteceu. Um deputado daqui de Campinas fez uma piadinha (absolutamente boba) que envolvia a "vocação da cidade". Grupos homossexuais daqui da região quiseram processar o deputado e ele teve de pedir desculpas pela "declaração homofóbica".

    Quem quiser saber, pode ler aqui.

    Todo gay, além de ser viado, também não tem senso de humor… Ou não?

    <abbr>Lucho – último post do blog… Quem dera eu fosse um capitalista</abbr>

    • Tiago

      Engraçado é que o senso de humor só é bom quando esculacha as outras pessoas. Quando é com agente, deixa de ser engraçado!

      • Ai meu Deus. Uma bicha chata.

  • O pior de tudo, como vc disse, Cardoso, é que a idéia ficou bem melhor que a execução. Imagine se fossem chiar de um comercial bem feito!

    E Freddie Mercury tinha a manha.

    <abbr>Expe – último post do blog… Invencionice culinária do dia</abbr>

  • Primeiro:

    "Tirando eu todo mundo no carro era Gay…"

    (Alguém aí, hetero, costuma viajar muito com os amigos gays? E pegar carona com o grupo de amigos gays da faculdade?)

    depois…

    "segundo minhas amigas lésbicas…"

    (Alguém aí, hetero, tem amigas lésbicas? E amigas lésbicas que discutem sobre a opinião masculina sobre elas com você?)

    Sem falar no conhecimento sobre episódios bizarros sobre homosexualismo, entre outras coisas.

    Cardoso! Seu enrustido!

    <abbr>Xaropinho – último post do blog… Festa de 80 anos de Hebe continua com Victor & Leo</abbr>

  • Pingback: Blog do Lucho()

  • Phelipe

    A intenção dos publicitários foi realmente fazer graça, e até dá pra dar uma risada com a peça, mas é mais fácil rir quando se assiste à propaganda sem se "ler as entrelinhas".

    A comunidade gay acusa o comercial de pejorativo e preconceituoso. É fácil para quem não é gay classificar essa reação de histriônica, exagerada, "coisa de viado que só vai se sentir aceito quando impuser a todos o que eles pensam e fazem" (conforme alguém escreveu ai em cima).

    Para quem nunca sentiu na pele a sensação da discrimiação por ser gay, de fato o comercial é inocente.

    Sou gay, tenho 29 anos e até hoje não tive coragem de contar a minha família, muitos amigos e colegas de trabalho. Por que? Porque muita gente é preconceituosa, vê isso como doença, aberração, desvio de comportamento, crime, ou qualquer coisa do gênero.

    Muita gente prefere "dividir um pacote de Doritos" do que ouvir de mim quem eu sou, verdadeiramente. Preferem fingir que não sabem de nada, que nada está acontecendo…

    O problema com o comercial não está na brincadeira com os gays. O problema real está na "mensagem" indireta que ele passa: "se esconda, não 'saia do armário', não conte para seus amigos que você é gay". O que chega a ser imoral para se dizer a um jovem gay, que, muitas vezes, já sofre o suficiente com isso, suportando um peso enorme de medo da reação que "contar a verdade" pode desencadear.

    Nao creio que a intenção dos publicitários que criaram a peça fosse fazer qualquer tipo de ofensa aos gays. Não acredito que algum profissional faça isso intencionalmente, com qualquer que seja o grupo.

    Pode ser exagerada a reação ao comercial? Pode até ser. Mas não é desnecessária. Muito pelo contrário. É por gente assim, que reclama seus direitos e exige respeito, que o mundo muda e conquistas se realizam. Se o status quo é rígido demais para conceder direitos a certos grupos, as vezes é preciso "gritar" para ser ouvido. Foi assim com as mulheres, os negros, os homossexuais… E para todos esses grupos, em diferentes graus, ainda tem sido.

    • Eduardo

      Phelipe, lamento informar mas gay é tão ser humano quanto o hetero. Não é a preferencia sexual da pessoa que o fará melhor ou pior. Mas também não é exigindo imunidade que vai ser mudado alguma coisa.

      O que vejo a comunidade gay querendo é imunidade para fazer e dizer o que quiser e limitar o que será dito sobre eles. Já li que sequer nas igrejas o padre pode dizer que a comunidade católica considera o casamento gay errado. Ou seja, a comunidade gay quer dizer como a comunidade católica deve se comportar. Imagina se fosse o contrário, a comunidade católica dizendo COMO o gay deve se comportar, a quizumba que seria.

      Se você é gay e é feliz? ótimo. Mas respeite respeite quem orienta seus filhos (no caso de pais) ou seus seguidores (no caso de religiosos) a seguir outra orientação. Não, isto não é crime de homofobia. Não, impedir o pensamento diverso não irá aumentar o respeito que têem para com você.

      Assim como existe a 'causa' gay, existe a causa dos negros. Outra tolice sem sentido. Igualdade de direitos implica NECESSÁRIAMENTE na igualdade de deveres. Se alguém colocar uma camisa 100% negro é bonito, porque colocar 100% branco é preconceito? O mesmo é válido para os gays. 100% gay pode? então 100% hetero também pode. Se um 'grupo' pode, o outro também pode. Se eu chamar alguém de negão é racismo, se me chamarem de branquelo (e eu sou mesmo) também tem que ser.

      O problema da igualdade é que implica muitas vezes em ter que aceitar certas coisas, como vai acima. Quer igualdade de direitos (e eu penso que deve ter sim), então aceite a igualdade de deveres. Do contrário é totalitarismo, puro e simples.

      Temos gays como Renato Russo, Cazuza, Freddie Mercury e nenhum deles saiam por ai gritando que era homofobia quem pensava diferente. Temos grandes negros como Luther King. Se faziam respeitar pela pessoa que eram. Não pela orientação sexual que tinham ou pela cor de pele.

      • Tiago

        Ué, mas a comunidade católica quer sim dizer como os gays devem se comportar. Na verdade a sociedade inteira quer.

        E todos sabem que igualdade de direitos e de deveres andam juntas, mas os gays só tem os mesmos diveres de todos. Os direitos iguais ainda não foram reconhecidos. Então a "causa gay" não tem nada de tolice!

    • jrventurim

      Pronto … está explicado o porque. Sendo gay, você escreve seu none com Ph e não com F …

  • Cara, sério. Se eu fosse gay, te dava um beijo. HAHAHAHAHAHAHHAHAH

  • Kyrodes

    Pior do que supostamente serem preconceituosos, é usarem o português errado.
    Do jeito que eles usaram, uma frase está na terceira pessoa (você) e a outra na segunda pessoa (tu):
    “(Você) Quer dividir alguma coisa com os amigos? Divide (tu) um Doritos.”

    O certo seria usar a segunda pessoa em todas:
    “(Tu) Queres dividir alguma coisa com os amigos? Divide (tu) um Doritos.”
    Ou, mais coloquialmente, usar somente a terceira pessoa:
    “(Você) Quer dividir alguma coisa com os amigos? Divida (você) um Doritos.”

    Veja a conjugação do imperativo do verbo Dividir: http://www.conjuga-me.net/verbo-dividir

  • Aê, Cardoso, tá acompanhando aquele caso do pai americano que quer a guarda do filho que está no Brasil? É de dar nojo, algumas atitudes, tanto de um lado quanto do outro, mas principalmente do lado de cá. E aí, vai ter alguma opinião polêmica sobre o assunto, de forma genial como você sempre faz? Ou ainda está "estudando o caso" antes de escrever a respeito (isso se não estiver ignorando completamente :) – é compreensível querer ficar longe dessa polêmica, como qualquer outra)?

    • Paulo G Muller

      Oh fio…
      Não tem polêmica alguma, massss, estãi tentando inventar…

      O lance alí é grana…, inventário…, herança…. administração dos bens…
      só isto….
      só. entende ?
      a criança…, neném…, minino…, é somente fruto(ops) do acaso…, mas que agora vale muuuuuitcho.
      Bah !!!

  • Vitor

    Acho que quem escreveu o post é um viadão que ainda não assumiu.

  • Pingback: A Polêmica dos Comerciais do Doritos | O Crepúsculo()

  • Prearo

    Interessante o post, só uma correcção: Freddy Mercury era bissexual e não homossexual ! Parabéns .

    • jrventurim

      Freddy Mercury era PANsexual …

  • Caio

    Muito bom o texto cara.é bom vê bons argumentos sobre um ponto de vista sem ser preconceituoso.Apenas uma detalhe.Não se usa mais a palavra homossexualismo, mas sim homossexualidade O sufixo " ismo" designia doença e a homossexualidade ja saiu do hall de patologias a varias decadas.Fica ai a dica

    Abração

    • Elliott

      "ismo" não significa exclusivamente uma doença. Já discuti isso em outra ocasião.

      Se isso fosse verdade, como situar comunismo, simbolismo, paraquedismo … ?

    • jrventurim

      É homossexualismo mesmo … Não inventa … Ou então se assume logo …

  • Cardoso, ótimo post. Enquanto eu lia, passava aqui uma propaganda da cerveja Cintra, já assistiu? O bordão é "deixa de frescura", em diversas situações que não necessariamente apontam para o homossexualismo, mas no dia a dia alguém poderia dizer "ah que viadagem". Você acha que isso se enquadra como homofobia também? O narrador do filme é Dudu Nobre, nenhum galã, pelo contrário, mas que passa aquela imagem malandro-sambista-carioca, sempre associada a um cara genuinamente "macho". Grande abraço.

    <abbr>Leo Bragança – último post do blog… #6</abbr>

  • Elliott

    Se tem gente que ri do cego, do negro, da loira, do japinha PP, do português "burro", do judeu pão-duro, pq n podem rir do estereótipo gay ? FAzemos parte de um grupo que tem sim características próprias e que muitas vezes são engraçadas isoladas ou comparada com as de outros grupos… Seja a voz nasalizada do atendente da "Oi", ao trejeitos daquele colega "fashion" ou as gírias do "tiozão" que trabalha comigo…

    Respeito cada um deve buscar e saber impor qdo necessário, mas há o momento em que a irreverência nos faz aliviar as tensões.

  • hua!hua!hua!hua!hua!hua! Todos eram gays no carro, menos você???

    ps.: é só uma brincadeira de mau gosto. não se ofenda nem perca tempo respondendo :-)

  • Pingback: Arejando o preconceito | O Blogue do Janio()

  • Gays nao sao mesquinhos, eles compartilham aquilo que os heteros nao dao pra ninguem :D

    <abbr>Alexandre, o tabajara – último post do blog… Bzzz…PLECT!</abbr>

  • Pingback: TPMulheres.net » Links em TPM()

  • Rafael

    adorei o seu texto muito bom. e ai vc e gay, fiquei afim de vc!!!

    bjs.

  • Rafael

    Adorei tudo isso, mais essa palhaçada de homofobia, acho isso uma falta do que fazer. os heteros e que tem q ficar no seu lugar e chu… a nossa P!!

    risos

  • marcos

    ach que o homofobia existe por precoceito racial principalmente por ser gayeu acho que tem que acabar com este preconceito no condominio residencial giardino em americana sofri este preconceito

  • Valmir

    Falar de HUMOR é bom quando se trata algum grupo com direito adquirido por lei, ou como diz a Filosofia por uma NORMA JURÍDICA (caso de negros, idosos, crianças, etc), ou também por uma NORMA MORAL, também como trata a Filosofia, para não ser perverso com certas minorias. É o caso do respeito aos judeus de não fazer alusão a símbolos naziatas. Mas agora vir fazer humor (sem graça) com um grupo que há séculos luta por direitos civis não é humor não, meus caros, é perversão. E DAS GRANDES!

  • Pingback: Blog do Lucho()

  • Sergio

    Quer dizer que os homossexuais precisam ter senso de humor? Olha, existe uma diferença muito grande do dito preconceito contra os gordos e loiras. Ninguém mata ninguém porque é gordo ou loira simplesmente. Só que no Brasil, a cada três dias um homossexual é morto e isso não é engraçado.

    É preciso deixar bem claro que nem todo gay gosta de Village People e Madonna. Não é questão de se ter senso de humor ou não, é bom senso! O Brasil precisou de quinhentos anos pra entender o seu racismo, será preciso mais quinhentos pra entender o que é homofobia?

    • Tiago

      Concordo contigo!

  • Pingback: Proibição do casamento entre pessoas do mesmo sexo, no Brasil | bloggersUNITED()

  • LucasRoberto12

    Muito bom o texto Cardoso, me impressionou, foi a melhor coisa que li sua

  • KKK bom demais.Esse pessoal todo que faz um oba oba chatíssimo sobre isso, deveria morar um pouco em Sampa. Aqui ou vc percebe de vez que td mundo convive numa boa, ou se muda. Já escrevi sobre isto no Anomia. Era sobre a diversidade que encontrei na virada cultural. Mas, claro. Um muito menos engraçado e bem pior ;)
    Abraços

  • Silvia

    É… ser feliz contnua sendo a melhor vingança!

  • Pingback: Cultura de Boteco » Arquivos » A homofobia de quem assiste ao BBB()

  • Pingback: A homofobia de quem assiste ao BBB « Meias-verdades absolutas()

  • Ataliny

    Freddie mais que um grande homem,foi e é um grande músico,provando que apesar de todas as barreiras ele conseguiu e venceu,e mais do que isso é o rei do rock,e um dos homens que eu mais admiro e amo na minha vida.

  • Tiago

    Cara, desculpa dizer, mas tu está muito mal informado sobre o movimento gay no exterior. Lá nos EUA, os gays também reclamam de certas piadas que a mídia veicula. O desenho Simpsons foi obrigado a pedir desculpas por que em um episódio da 20ª temporada, um personagem chamou o outro de gay em tom de ofensa.

    Não se esqueça de que o movimento gay não é brasileiro. Os gays daqui só copiam os modismos de fora, inclusive o radicalismo.

    Por outro lado, eu acho que é difícil saber quando uma piada é apenas uma piada ou quando há segundas intenções por trás. O problema de comerciais desse tipo é que eles alimentam o Bullying em escolas país à fora. As pessoas vêem esses comerciais e começam a xingar o amigo afeminado da turma, chamando ele de Doritos e coisas do tipo. Tudo é motivo de piada maldosa na escola e, para os gays, é muito difícil ser gay num ambiente hostil. Não sou a favor da proibição de comerciais assim, mas gostaria que os produtores pensassem antes de fazê-lo.

  • Rodney

    Sou evangélico, e assim sendo bombardeado por sentimentos heterofóbico. Tenho amigos homossexuais, honestos, trabalhadores, integros e pagam seus impostos. Nunca tive problema por ser hetero e eles serem homos, ao contrádio sempre houve um convívio sadio. A questão é que homossexualismo não é doença, assim como prostituição, adultério, mas não são opções da doutrina evangélica, e exite homofóbicos nas igrejas, na política, na mídia, em todos os lugares. Mas se posso falar da igreja que frequento, se prega que Deus ama igualmente as protitutas, os adulteros e os homossexuais, as pessoas que entrão ou são membros da organização, tem as mesmas doutrinas e pensamentos. Ten-se colocado que os evangélicos são homofóbicos, porque a homossesualidade não uma conduta adotada em seu campo organizacional, e que os que nasceram naturalmente homens e mulheres, são homossessuais mal resolvidos por isto são homofóbicos. Concluo meu pensamento, todos tem direito de optar como desejam viver, respeitar o próximo vai além da imposição do que pensamos certo. Tenho minhas convicções, minhas verdades, meus conceitos, e o fato de ser heterossexual não me torna homofóbico, apesar de ser evangélico não me torna homofóbico, mas uma questão é que percebo uma aversão homossexual pelos heteros, que os crimes praticados pelos bandidos homofóbicos são exitados pelos evangélicos, um erro tão discriminatório que esconde o fato de que homofóbicos são doentes, e a cura deles deveria ser Jesus Cristo base da fé cristã e cadeia para impedir seus crimes. A lei deve proteger o cidadão não uma opção, no Brasil não só morrem homossexuais pela violência homofóbica, como criança pela pedofilia, mulheres pelo maxismo, negros pelo racismo e também homens pela sua honestidade, freiras pela sua bondade e muitos outros todos somos iguais pela lei e por Deus.

  • Ricardo

    Eu sou gay e sou a pessoa que mais sabe brincar no mundo.

    Só me dou o direito de achar babaquice comentários como "os gays são assim" ou "os gays querem respeito, mas precisam se respeitar" ou coisas do tipo que li em alguns comentários aqui. Quem são "os gays"? Se o comentário fosse: "alguns gays" ou ainda "muitos gays"… eu daria mais crédito. Mas dizer "os gays estão fazendo isso ou aquilo" como se fosse um grupo único de pessoas… realmente, tira o crédito. Acho que o único erro aqui é a generalização.

    O mesmo vale para as demais minorias. Acho errado dizer: "os negros não sabem brincar" ou "os negros não aceitam que se diga nada" ou "os negros são os mais preconceituosos". Pô, todos eles? Não são os negros, os gays, os sei lá quem… que estão ficando desta ou daquela maneira, mas sim a sociedade que vem entrando em uma onda politicamente correta muitas vezes pertinente e justa, mas muitas outras vezes hipócrita.

  • Ricardo

    "Assim como os negros, os gays são mais preconceituosos com eles mesmo do que tudo. Acham que tudo que nós, héteros e brancos, falamos é com o intuito de ofender, de satirizar, de humilhar, etc. São uns frangotes sem graça. Concordo contigo, devem se ofenderem sim, mas quando a piada for ruim."

    Esse tipo de comentário ilustra exatamente a ignorância que eu critico. Uma pessoa reclama do preconceito, mas ela é é extremamente preconceituosa. Os gays são fracotes sem graça? Todos? Putz… E "devem se ofenderEM" foi horrível.

  • Oi, porra eu fiz um post no meu blog e agora lendo o seu aki vjo q nao sou a unica pessoa q pensa assim quem tiver afim d auma lida la Homofobia, Viadagem e Coisas de Viado http://goo.gl/b/exXY

  • BiiaCX

    Se vocês zoam as pessoas pelo "bom humor" por quê não fazem isso com as maiorias também? Se é pelo humor né…

    Agora, tirar sarro, satirizar, um grupo que é queimado na cruz desde antes de Jesus nascer, é infantilidade da mente humana.

    É muito fácil humilhar (sim, HUMILHAR) certos grupos que vem sido oprimidos há séculos, afinal não é com vocês. Para as pessoas entenderem o que é ser uma minoria, sem ser uma minoria, é necessário bom senso e bondade, caso contrário aparecem pessoas que se auto-denominam não-homofóbicas mas chamam os homossexuais de "frangotes sem graça".

    Sério mesmo? Então é isso? Pensem um pouco, vai. Imaginem, vocês, ALGUNS heterossexuais que zoam os gays, se vocês recebessem um constante bullying na escola por serem o que são, por não poderem demonstrar amor e carinho em público (falo de selinhos, não de pegações) sem terem 90% de chance de apanharem. De serem na maioria das vezes obrigados por seus pais a repensar na sexualidade, vendo que as pessoas que você mais ama na vida não aceitam você por algo tão pequeno que é ser homossexual ou bissexual.

    Imaginem, se por ano centenas de heterossexuais fossem mortos a pauladas e socos, só por amarem o mesmo sexo.

    E vocês querem transformar o sofrimento alheio em prol da PIADA? Isso não é humor, é falta de senso.

    Algumas piadas eu admito rir, mas no fundo elas apenas mostram o preconceito disfarçado da sociedade. Elas refletem os estereótipos sem sentido, que é toda lésbica ser masculina e todo gay gostar de Madonna e dar pulinhos como o Bambi. Vocês, generalizam muito os grupos que não conhecem.

    Pior do que isso, é que dá pra ver o preconceito no coração de muitos, quando por exemplo são chamados de homossexuais ou bissexuais, alguns simplesmente dizem "Não, não curto o mesmo sexo desse modo!" já a grande maioria diz "Aaii, credo! Que nojo! Gosto é de muié" (ou "home", se for uma mulher a acusada) como se tivessem sido ofendidos, como se GAY fossem perjorativo.

    E, tirar sarro de negro, também nem vou comentar muito. Depois de você sofrer preconceito pela cor da sua pele sem poder fazer nada sobre isso, depois que toda uma geração tenha sido perseguida e escravizada, e você no mínimo souber como é ser excluído e sofrer por isso, aí sim conversaremos.

    Eu entendo que alguns gays exageram, assim como vocês também exageram.

    Agora, vamos ficar apontando dedos ou trabalhar em um mundo com maior harmonia entre as pessoas?

    Digo mais: O problema não é a piada, é o preconceito escondido por trás dela.

    Vocês deviam ter pesquisado o PORQUÊ de tantas pessoas criticarem o comercial de Doritos. Além de eu achar sem graça nenhuma, afinal é completamente bobo, ele mostra indiretamente (ou até mesmo diretamente) um garoto sendo bem gay e os amigos dizendo "Não precisamos saber disso".

    É a velha política "Não pergunte, não responda" (Don't ask, don't tell) que impõem sobre os gays há anos. Pois bem, a evolução não pára amigos… Falem o que quiserem, um dia isso aqui vai ser diferente. Um dia as minorias que sofrem por serem minorias serão humanas assim como todos nós. ^^

    • Precisa desse calhamaço todo de texto pra dizer que é recalcada?

  • maimuna

    olá sou a maimuna eu acho que o seite está muito

    giro além disso esta intresante para todas as pessoas

    eu para nós os estudantes que estamus a fazer este tipo

    de trebalho e também ajuda nos respeitar as pessoas como elas

    são e cada pessoa sabe de si e sabe como é feliz e quem lhe faz feliz

    se uma pessoa ache que um homem ou a mulher que lhe faz felis então

    tem que lutar pela sua felicidade ao lado daquela pessoas certa

  • Rafa

    sabe quando dizem: "conta a piada da loira" ou "conta a piada da bixinha" ou "conta piada de preto"… ? sabe tambem quando dizem: "conta a piada do homem branco heterossexual"??? não né?

  • yan

    gente brincar e ofender são coisas totalmente diferentes!

    para min homofobia de verdade não é brincar com o cara q é homossexual e sim xingar ele deturpar sua imagem pelo o simples fato do cara ser homossexual!

    agora tipo se eu bater num homossexual pq ele me deu um soco eu não tô sendo homofóbico

    FOI PURO EXAGERO O Q FIZERAM COM A PROPAGANDA DO DORITOS!

    1-lá tava dizendo q o cara era homossexual?não,lá tava mostrando uma atitude estranha pros amigos deles(q no caso seria dele ficar dançando)

    2-lá na propaganda não tava dizendo se esconda no armário e sim se vc não que passar vergonha divida um doritos!

    3-os amigos do cara tavam menosprezando ele?NÃO eles estavam estranhando,e estranhar NÃO É HOMOFOBIA!

    eu adoro brincar com meus colegas e de vez em quando eu rio de min mesmo! rir de si mesmo é saudável!brincar é saudável,principalmente com os amigos!

    piada é pra divertir e não causar brigas!

    E UMA VERDADE Q NÃO PODE SER NEGADA!

    teve gays q fizeram orgia em praça pública em minha cidade e não forão presos por que se eles fosses presos ia ser considerado preconceito

    agora esse fato é inaceitavel!não é pq uns e outros são gays q não podem ser presos!

    bom essa é a minha resposta a esse tópico q por sinal é muito bom!