Norton I, Imperador dos Estados Unidos

150 anos atrás era coroado o primeiro e único Imperador dos Estados Unidos da America, talvez o maior de todos os malucos-beleza. A história é comumente tomada como ficção, por ter sido popularizada em Sandman, de Neil Gaiman, mas é incrivelmente verdadeira.

Joshua Abraham Norton era um inglês morador dos EUA que foi muito rico, até perder tudo em um investimento mal-planejado, importando arroz do Peru. A batalha judicial com os credores o desestabilizou mentalmente, a ponto de sumir do mapa, levando anos para voltar a São Francisco.

No dia 17 de Setembro de 1859 ele enviou uma proclamação a vários jornais, onde se declarava Norton I, Imperador dos Estados Unidos. Achando que era brincadeira, alguns publicaram.

Outros decretos se seguiram, onde ele dissolvia o Congresso, dava ordens ao exército, etc. Claro, ninguém prestava atenção. Era apenas um sujeito arruinado, quase um sem-teto, vivendo em um quarto de pensão cuja diária custava 50 centavos.

Só que Norton era uma figura extremamente simpática. Ao invés de expulsá-lo os comerciantes o recebiam bem. Com o tempo o Imperador virou figura folclórica. Ele coletava impostos (geralmente 50 centavos) e era convidado a comer nos melhores restaurantes.

Depois disso placas de bronze eram colocadas na porta, dizendo “Indicado por Sua Majestade Norton I, Imperador dos EUA”. Isso aumentava a freguesia, e logo Norton tinha mais convites do que tempo. Peças e Concertos sempre reservavam um camarote para ele.

Fora os “impostos” a única fonte de renda de Norton eram seus bônus imperiais e papel-moeda. Não só o dinheiro que ele emitia era considerado item de colecionador, como vários estabelecimentos comerciais aceitavam as notas.

Norton inspecionava os bondes, escolas e vias públicas, mantinha correspondência com outros monarcas e dizem até ter se encontrado com Dom Pedro II. Seus decretos iam dos mais loucos a ordens como criar uma Liga das Nações e construir uma ponte na Baía de São Francisco – considerado na época uma idéia doida.

Ele usava um fardão imperial, doado por um general do Presídio de São Francisco, quando ficou rasgado demais, ele ganhou outro, da municipalidade.

No censo de 1870 ele aparece listado como “Imperador”.

Em 1967 Norton foi preso por um policial babaca de nome Armand Barbier, que o tentou levar para um manicômio, para internação involuntária. Uma série de editoriais nos jornais atacou a atitude do filho da puta. Norton foi solto, e Patrick Crowley, Chefe de Policia fez um pedido de desculpas formal para o Imperador, em nome de toda a Força Policial:

“Ele não derramou nenhum sangue, não roubou ninguém, não pilhou país nenhum. Isso é mais do que pode ser dito de outros Imperadores”

Depois disso todos os policiais de São Francisco passaram a saudar o Imperador, quando passavam por ele nas ruas.

Em 8 de Janeiro de 1880 aos 61 anos Norton estava a caminho da Academia de Ciências da Califórnia, onde faria uma palestra, quando teve um ataque e morreu, na rua. Os jornais estamparam manchetes com o falecimento. O San Francisco Chronicle publicou “Le Roi Est Mort”, junto com um lindo e respeitoso obituário.

Todos sabiam que ele era um louco que se achava Imperador, mas um maluco inofensivo e querido, que nunca mostrou ganância, crueldade ou má-intenção. Norton era o pequeno agente provocador, a pequena dose de aleatoriedade que torna a vida menos monótona. E também não era nenhum golpista, como alguns chatos alegavam.

Suas posses se resumiam a uma coleção de chapéus, cinco ou seis Dólares em moedas, US$2,50, uma bengala, uma espada e alguns papéis. Ele ia ser enterrado como indigente, mas a Câmara de Comércio da cidade intercedeu e pagou por um funeral digno. Norton I Imperador dos Estados Unidos foi enterrado com honras de chefe de estado. Seu cortejo foi formado por 30 mil pessoas e teve mais de 3Km de extensão.

Sua lápide traz “Norton I Imperador dos Estados Unidos e Protetor do México”

Joshua Norton mostrou que você não precisa nem sequer ser são para fazer do mundo um lugar melhor.

Fonte: SFGate e Wiki de Verdade

Leia Também:

  • Cara, me emocionou!

    A receita de se fazer um mundo melhor é tão fácil….

    pqp pq certos inbecis não leem um texto deste e absorvem a informacao ao inves de entrar por um olho e sair pelo outro (o cego).

    []'s

    ps: cardoso, ele foi preso em 1867.

  • […]A balbúdia reinava por lá, tanto que as pessoas (imbecis) adoravam um maltido maluco que se achava impedador[…]

  • Adorei seu post! Só achei uma data trocada, acredito que pelo costume de usar os anos de 1900. Procure por 1967, acredito que seja 1867. :)

    Abraço!

  • Confesso que esbocei um sorriso quando terminei de ler o post. Muito divertida a história desse senhor.

  • Eu lembro que a Superinteressante uma vez publicou a história do imperador tb.

    A história do Sandman era uma aposta entre o Morpheus e um de seus irmãos, qual era mesmo? Delírio? Desespero? Não lembro… Mas a história real é tão incrível que o Neil não precisou fazer muita coisa =)

    • Desejo. E a genialidade do Gaiman está nisso, pegar histórias reais incríveis, encaixar seus personagens e deixar rolar.

      • A aposta era entre Sandman e Desespero, não? Delírio e Desejo tentam interferir, mas não conseguem. =)

        • Verdade, verdade. Serei obrigado a reler a história. Oh dor…

  • Ja tinha lido um resumão dessa história numa Super Interessante, bem legal mesmo!

    Outros falaram também, seria 1867 e não 1967.

    Ah e tem outra coisa que achei que destoou do resto do post que foi exatamente nesse parágrafo que você fala que o "babaca" e o "filho da puta" do guarda fez e aconteceu. Sei lá acho que destoou um pouco do resto do texto que tem um tom mais amigável e de conto, apesar de ser real.

    • chama-se "opinião".

      • Deu algum problema nessa parte do texto. Parece que falta um pedaço, não?

    • Stwart

      Concordo com você, Lunático. Eu entendi o que você quis dizer. O texto ficou bem redigido e bem narrado porém em um pequeno período destoou-se em baixo calão. Seria como um cantor que arranhasse sua garganta bem no meio de uma melodia…
      Isto não é, como a resposta foi dada, uma: opinião; e sim uma crítica construtiva.

  • lee

    Caramba, que história!

  • E num piscar de olhos você teve a brilhante ideia de postar esse texto??

    Beleza…quem sabe voc~e consiga amolecer os corações duros de alguns leitores.

    Pelo menos achei algo legal pra por em meu msn: 'você não precisa nem sequer ser são para fazer do mundo um lugar melhor' Só nao vou dizer que eu peguei daqui.

  • Excelente história, isso prova que para ter ‘‘autoridade’’ não necessita de dinheiro e sim ter uma boa idéia (ou alguns neuronios a menos). Valeu Cardoso.

  • Rodrigo

    Excelente post, gostei muito. A história é muito tocante.

  • Diego

    Não conhecia, é uma linda história e um belíssimo post.

    Comentando apenas pra agradecer: você melhorou meu dia com tal história, Cardoso.

  • Leonel

    Para quem gosta de quadrinhos…

    O roteirista francês Goscinny, além de ser um dos pais do Asterix, também trabalhou com outros desenhistas em outros personagens. Um destes é o cowboy Lucky Luke.

    Este personagem fez menos sucesso no Brasil que Asterix, mas acho que é possível encontrar algumas histórias. Fica aqui o link para o álbum, na Amazon.

    O "imperador" Joshua Norton inspirou a aventura de Lucky Luke, "O imperador Smith".

    http://www.amazon.com/Lempereur-Smith-Lucky-Luke-http://www.fandeluckyluke.com/albums/dar-13-emper

  • É a primeira vez que vejo um texto em português, e de ótima qualidade, sobre o assunto.

    Realmente a história é genial e o lazarento do Gaiman conseguiu deixar ainda mais massa quando encaixou os personagens de Sandman.

    A idéia de que Sandman dá a ele um sonho e o tira das mãos de Desespero e Delírio, e ainda o faz se abster de Desejo é sensacional. Um dos meus contos preferidos de Sandman.

    Excelente post, parabéns. =)

  • Gostei, Cardoso.

    Muito bom gosto ter colocado essa história que eu já conhecia, porém sem tantos detalhes interesantes.

    Vou repassar o link para malguns amigos.

  • È o famoso bico doce,o policial doente da cara por ter de correr atrás de bandido e ganhando uma merreca,enquanto o "Imperador" ganhava tudo na lábia…

    Esse é o cara

  • Belo post, cardoso. É uma história muito bonita, que merecia virar filme (Se já não virou).

  • Yo Cardoso, I'm happy for you and I'ma let you finish, but Neil Gaiman had one of the best ways of telling this story of all time.

    • ahhahahahaha best comentário EVAR!

  • No Brasil não temos imperador, mas temos representantes quem moram em castelos.

  • Simples: Substitua os incontáveis trabalhadores do senado por incontáveis Norton! =D

    Sensacional a história. Obrigado por compartilhar Cardoso.

  • Rinaldo

    PQP, que história bonita.

  • Queto

    Tem uma revista do Lucky Luke que faz referência a isso.

  • Ixe,mesmo conhecendo a história,nem sei o que dizer.

  • Thiago

    Comovi-me ao ler "a pequena dose de aleatoriedade que torna a vida menos monótona". Cardoso também é ternura!

  • Pingback: Links da semana | Me Tire Deste Ócio!!!()

  • Gabriel Fonseca

    Emocionante seu texto Cardoso. Como já disse outras vezes, seus textos são muito bons, nem sempre concordo com eles mas são sempre bem escritos.

  • Eduardo Rocha

    Bah Cardoso, que foda!

    To gostando dessa nova fase dos seus textos!

    Parabens!

    Vou fazer de tudo pra ir lhe conhecer em porto!

    Abracos!

  • Muito boa a história, lembrei do Profeta Gentileza daqui do Rio.