Eu não sou babá do Marinho, que dirá do Civita

ky

Está rolando um bafafá nos blogs e listas sobre a proposta Caracu que a editora Abril enviou para um número extremamente seleto de blogueiros e foi destrinchada neste post do Insanus. A proposta em si não tem nada demais. Se você considera nada demais ser convidado para uma sessão de sexo anal, colocando-se na posição do “receptor”. Ah, traga seu próprio K.Y.

Feita por uma “agência de estratégias interativas” que se diz “o primeiro hub de conhecimento estratégico interativo do Brasil”, o modelo da Abril Blogs é didático em como NÃO lidar lidar com blogs, como ter uma idéia errada de blogueiros e como NÃO definir sua relação com eles.

O texto da proposta é uma vergonha (obrigado pelo bordão, Bóris). Basicamente você tem que transferir seu blog para a estrutura/URL deles, não pode mais veicular publicidade (eles podem, e vão) e todo seu conteúdo passa a ser propriedade da Abril. Em troca você ganha eventuais destaques na home da Abril, incrivelmente acessada. Dizem, nunca fui lá.

Oferecem também várias promoções não especificadas, um coquetel para a Imprensa, acesso a informações de primeira mão (uau, vão baldar a Veja e nos dar o material suculento?) e até “workshops gratuitos com especialistas“. Muito obrigado, Abril. Tudo que eu queria era um especialista me explicando como fazer meu blog, todos deveriam se inscrever somente por isso…

Meu problema não é a parceria Caracu em si, mas o dano que isso vai causar levando desavisados deslumbrados que se acharão o Millor, só por estar em blogs.abril.com.br/~convidados/4432/temp/blog54545.asp (ou seja lá qual a url utilizada). Eles serão basicamente mão-de-obra gratuita, gerando conteúdo para a Abril e não recebendo NADA em troca. Gente, mídia social é uma coisa, senzala é outra.

Aí surge outro problema. Alguns, como o Tiago Cordeiro, não gostaram da reação da blogosfera. Ele argumenta que é um caso onde educar é melhor do que bater.

 

Os caras não sacam nada de mídias sociais. Botar a boca no trombone não vai ensiná-los a isso, só deixá-los com mais medo e fazer quem lá dentro acha que “isso de blog é babaquice” impeça novos projetos. (…)

isso prejudica a gente.. A Abril poderia trazer anunciantes, mais credibilidade, audiência e um monte de coisa. Ninguém vai deixar de fazer blog por isso, mas poderíamos crescer. Além disso, quantos anunciantes e empresas acompanham oq a Abril faz? Imagina isso virando notícia.

Normalmente eu concordaria, mas depois que a Abril fez um Seminário de Redes Sociais, depois que eles têm acesso a todos os blogueiros, depois que ninguém que conheço negaria uma mini-consultoria (mesmo gratuita) sobre o projeto, vejo que a Abril NÃO quer ouvir blogs. Ela NÃO está tratando os blogs como parceiros. Estão fazendo algo diametralmente oposto ao Yahoo! Posts.

Respondi ao Tiago que estou cansado de ser babá de megacorporações. Eu não tenho tempo. A Abril tem milhares de funcionários, dinheiro a rodo e pode perfeitamente contratar uma consultoria decente, passar um ano estudando uma mídia, chamar o Edney pra tomar um chopp e dar umas dicas. Se não querem, problema. Eu passo a bola. Não vou ensinar algo a quem tem certeza de que já sabe tudo.

Disse ao Tiago e repito: Nós NÃO precisamos deles. Outros grupos estão investindo em blogs, o próprio Estadão tem mudado sua postura, a Folha outro dia linkou o Jonny Ken em uma matéria que não tinha nada a ver com blogs, monetização e post pago, e por aí vai. Blogs são são o ó do borogodó, blogs são uma mídia muito pessoal que pode ser extremamente útil. Os bons jornalistas hoje contam com muitos amigos blogueiros que dão dicas bem ágeis, sobre assuntos bem mais diversos do que descobrir quem espalhou o boato de que a Mirian Bottan está grávida. (r: eu). Hoje eu já não escuto “ah, mas é em blog” quando repasso uma informação solicitada.

As mentes estão mudando, mas as empresas não. Como muito bem disse o Rodrigo Fante:

No caso do Cardoso eh normal, um cara te ofende voce resolve com ele.

Quando envolve empresa normalmente eu espalho a merda para todo mundo saber como funciona a tal empresa.

Exemplo do rolo do Terra e o Daniel do Fisico Maluco

Empresa só tem um jeito de educar, melando a imagem para seus consumidores.

Triste mas é verdade. Tanto que o Daniel resolveu seu caso com o Terra graças ao post-no-ventilador. A Abril errou? Errou feio. Já percebeu que errou? Aposto que sim. Vai mudar? Não, tanto que continuam publicando mensagens dizendo que o serviço está bombando, etc, etc.

Vai dar certo?

Não. Prestígio não se transfere assim, ainda mais pra blogs. Tratar o blogueiro como mão-de-obra gratuita e fornecedor de conteúdo é uma postura digna da Revolução Industrial, e assim que os blogueiros conseguirem um mínimo de destaque perceberão as linhas miúdas e não acharão graça nenhuma em não ser dono do próprio texto.

Portanto, Tiago, eu não estou preocupado em ensinar a Abril. Quero mais que Darwin cuide deles. Acho que temos que ensinar é esses blogueiros novatos, explicando o porquê da proposta ser totalmente Caracu (indecente é a Demi Moore cobrar caro pra dar pra você, isso eu ainda aceito) e como eles podem conseguir muito mais destaque, respeito e leitores sem vender a alma, o corpo e o texto. Um bom início é mandar para eles a cartilha que a Nospheratt fez ensinando tudo de essencial sobre a Arte dos Blogs.

Pensando bem mesmo, não custa nada. Mandem pra Abril também.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.



Leia Também:

  • Precisar da Abril em si a gente não precisa, mas precisamos das empresas. Não pra blogar, mas se queremos viver disso, etc. é inevitável. E só as empresaas que já estão não são o bastante.

    Eu concordo com você que não podemos ser babás. Mas ainda acho que sempre temos a postura de bater e não de evangelizar. A Abril acertou quando quis investir em um projeto com blogs, mas errou na forma como escolheu isso. Seria mais construtivo apontarmos caminhos do que simplesmente apontarmos o dedo.

    • Eu conheço bem como é o pensamento da Abril, eles acham que blog é apenas um diário feito como uma alternativa ao Orkut; pensam que o que se trata nos blogs é igual ao que se trata nas salas de bate papo da UOL e assim por diante.
      O que eles te oferecem é ridículo, você não pode ter domínio próprio, não pode editar o template livremente, só é permitida a utilização das ferramentas que eles disponibilizam, o seu blog só é divulgado no UOL sites, eles lotam de patrocínio e o "dono" do blog não tem direito a nenhuma participação.
      Eu particularmente acho o serviço da UOL um lixo, em muitos casos estão com serviços iguais a dez anos atrás e acabam tendo que investir em propagandas televisivas de meia hora para convencer aqueles que não conhecem outros serviços a comprar o serviço deles.
      O mais engraçado é que o cidadão que aceitar a proposta descobrirá depois que para ter acesso a alguns poucos benefícios adicionais, terá que virar assinante.
      Mas quem sabe um dia, eu ainda não veja o Cardoso e o Ediney no UOL blogs.

      • Oi Gilberto,

        tudo bem? Me surpreende que vc saiba o que a Abril Digital pensa. Como já disse, todas as críticas de vcs são extremamente importantes. Vamos avaliar todas as sugestões de vcs.

        Estamos realmente dispostos a fazer coisas bem diferentes. E quem quiser participar será muito bem-vindo.

        Abraço,

        Aline

      • Concordo que o serviço da Abril e do Uol são muito ruins, hoje mesmo estava conversando com e comentei como acho o UOL decadente, como parâmetro de comparação cito a globo.com :D

        • Luciano

          só um parêntese: a comparação é desigual desde o começo. A Organizações Globo é considerada a mais bem estruturada empresa de mídia do mundo, um fato mais que relevante quando se leva em conta que é uma empresa brasileira e familiar. O Grupo Abril também tem muita influência no cenário nacional, mas isso fica muito restrito à mídia impressa e a internet (cenário que está mudando, como você mesmo apontou).

          • A Organizações Globo é considerada a mais bem estruturada empresa de mídia do mundo

            Mentira. Mentira e falta de informação. Nem entre as cinco maiores ela está.

  • rafaeldfmelo

    Quando você falou em Revolução Industrial, veio a minha cabeça a alegoria da seguinte cena:
    "A Revoluçao Industrial está acontecendo e os industriais abolicionistas, percebendo a boa mão de obra que não tem mais, percorren as ruas fazendo panfletagem, onde informam instalações e planos de carreiras, para aqueles que se declararem escravos novamente."
    O destino é Inexorável!

    Bom texto! Boa discussão!

  • Sabe que eu achei essa história tão fantástica que até ontem à noite eu achei que fosse piada de mau gosto?
    É muito surreal uma empresa séria (entenda como quiser) pensar assim…

  • Eu estou com o Tiago. Não é preciso ser babá, mas também de nada adianta apenas jogarmos pedras. Criticar é preciso. Não há nada de errado em criticar. Porém, o que vejo são críticas muitas vezes infantis. Só jogam pedras, sem apontar alternativas. A famosa crítica construtiva. Espezinhar não leva a nada. Ou, pior, reforça a imagem da blogosfera como um bando de motoboys disfarçados. Se alguém critica, junta um bando para radicalizar e detonar.

    Sobre a Folha, ela oferece links há muito tempo. Não é de hoje:
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/informat/fr21052
    http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult9

  • A verdade é que a mídia tradicional não considera os blogs como fonte alternativa de informação, eles pensam que as notícias são centralizadas e centralizadas neles…
    Enquanto não entenderem o quão importante é o movimento bloguista nessa revolução da informação, o desrespeito ao trabalho alheio vai reinar…
    PS: A Mirian tá grávida mesmo?

  • Pessoal,

    todos os comentários que vcs estão fazendo são muito valiosos para a Abril Digital. Eu estou mais para a linha do Tiago Cordeiro. Acredito no aprendizaod.

    Para todos que receberam meus email-convite, fica disponível meu telefone para quem quiser ligar, visitar a gente aqui na Abril Digital e ver que estamos realmente mudando muita coisa.

    Abraço,

    Aline Sordili – Abril Digital

    • É só mandar o telefone!

    • Aline,

      Então por que a Abril não escutou quem realmente entende do assunto? Por que a Abril não falou com blogueiros e entendeu a realidade?

      Existem cláusulas no contrato que são prá lá de abusivas e mesmo sabendo que brasileiro não lê (sim, deveria e eu tenho esse hábito) termo de uso, colocaram-nas e muita gente sairá lesada da "brincadeira", por falta de conhecimento.

  • A proposta é indecente.
    E o pior é que tem gente indo pra lá.
    E até gente boa.
    Uma pena.

  • Link do Cardoso e eu sem AdSense… Maldita preguiça! ;-)

  • Como assim!?!?
    A Mírian tá grávida???
    Alguém me diz que foi o filadumasenhoradevidanadafácil para que eu – e o resto da blogosfera – possamos encher o sacana de porrada!
    Sorry, meu caro…
    Mas não resisti!

  • Penso o seguinte: Fazendo isso, eles passam a tratar o blog como mais uma mídia tradicional deles. Eles que terão a liberdade de veicular a publicidade tanto deles, como de terceiros. Nos mesmos moldes da mídia tradicional.

    Em um primeiro momento, o blogueiro vai se deslumbrar, afinal, querendo ou não, o seu conteúdo pertecendo a Abril, tem todas as chances do mundo de sair em alguma revista. E você sabe Cardoso, blogueiro adora ser citado em mídias tradicionais.

    O problema é que isso foi um tiro no pé. Ao mesmo tempo em que eles te dão uma certa "liberdade", te tiram tudo com a outra mão. O bem mais precioso de um blogueiro é o conteúdo, e se você perde esse bem, qual a motivação pra blogar? É uma proposta totalmente unilateral.

    Eles deviam, em primeiro lugar, entender como funciona a mentalidade da blogosfera, para logo em seguida pensar em montar um projeto assim. É claro que seriam esculachados pelos blogueiros.

    Fica a lição. Mas que isso não afetará a Abril, não afetará em nada, até porque o principal conteúdo deles não é digital.

    abraço!

  • É um falso prestígio, com uma estratégia falha.
    Se eles queriam fazer barulho, conseguiram da pior maneira possível.

  • Assunto complicado esse. A única coisa que tenho certeza é que foi uma proposta totalmente indecente, indecente!
    Será que o responsável por isso nunca pesquisou o que diabos é um blog, como começou isso e como eles funcionam? Eles confundem site, blog e até chamam de veículo. "De qual veículo você é?" Me perguntaram ou outro dia, minha resposta foi o nome do "veículo" e um no donut for you!

    • Oi Evandro,

      tudo bem?

      Queria muito te ouvir para saber o que vc vê de tão falho na estratégia e te apresentar a nossa. É claro que eu sei que, ao falar isso, vc pode dizer: "Olha lá a Abril querendo consultoria de graça". Tudo tem brecha. Acredite.

      Tem muito blogueiro que tb confunde site com blog, com portal, com qq coisa. E não é a Abril Digital que faz esta confusão.

      Hj um dos convidados para fazer parte da nossa rede me ligou e disse: "Pois é, queria participar, mas eu não tenho um blog. Tenho um portal".

      Paradigmas estão dentro das nossas cabeças. Cabe a cada um pensar diferente e quebrar.

      Aline

      • Aline, isso não é consultoria de graça, isso é uma conversa para entender como funciona o mercado dos blogs. Existe em SP o Café com Blogs, onde empresas se encontram com blogueiros para bate-papos. Muita gente que cobra e caro por consultoria vai, participa, conversa, dá dicas, sem se preocupar em ser pago.

        Ter outras mídias como parceiras é importante para blogs, mas a estratégia da Abril foi feita toda de cima para baixo. A impressão que dá é que vocês estão nos fazendo um puta favor em oferecer espaço em troca de nosso trabalho.

        Desculpe, WordPress, Google, até o IG já fazem isso. Com condições bem menos draconianas.

        Aqui vai UMA pequena dica gratuita: Capitalizem o prestígio onde vocês realmente o tem: na mídia impressa. Arrumem uma página nas principais revistas, e publiquem um ou mais dos melhores textos do mês. A perspectiva de sair na Veja ou na Playboy é muito mais atraente do que promessas vagas e uma postura arrogante de benfeitores dos desfavorecidos.

        • Hi dr. House! :)

          Só citei a tal consultoria de graça como exemplo ou analogia… Algumas pessoas estão tão reativas aos novos lançamentos da Abril Digital que qq coisa poderá ser motivo para atacar pedra.

          Acredite! Nós pesquisamos muito, muito mesmo antes deste lançamento. Tenho muita coisa que já foi analisada, pensada, testada etc. O que eu quero dizer com isso é que tudo tem um porquê.

          É claro que vamos ainda mudar e melhorar muita coisa. Acredito que tudo só está começando.

          Aline

          • Desculpa, Aline, mas não parece que vocês pesquisaram tanto assim (curiosidade: o pessoal da Info, aí do lado, foi consultado?).
            Bastava, como já disse o Dr. House, bater um papo com o Edney e/ou pesquisar como foi feita a parceria do Interney.net com o IG. Você conhece? Já foi dar uma olhada nos blogs que estão por lá? Veja o respeito com o qual eles são tratados, sem abrir mão de nadica de nada: design, conteúdo, estilo…
            Depois de pesquisar mais (dessa vez de verdade), aí voces podem dar um reloaded na proposta, que, repensada, pode até ficar atraente.

      • Aline, eu nunca diria essa frase sobre "consultoria de graça", mesmo porque nem sei se estou apto para tanto :) O caso é que é preciso respeitar e tentar entender o que existe por trás de um blog: uma pessoa que é escritor, redator e office boy do seu "veículo". O que aconteceu de errado na estratégia foi a abordagem, e os termos de serviço e uso completamente descabidos. 1° transferir o blog, 2° o direito autoral é do autor, direito do texto não se transfere dessa forma e com isso: "adaptação, alteração e promoção de seu conteúdo publicado nos blogs em qualquer mídia da Abril." Na minha opinião é aqui que a coisa pega, adaptar e alterar?
        Um blog não é uma coluna em uma revista, somos basicamente amadores (FALO POR MIM pessoal!!), eu sou um amador nisso, não sou jornalista e meu texto é meu e não de uma corporação. É essa liberdade dos blogs que precisa ser compreendida, é esse modelo (paradigma) meio anárquico e colaborativo – a gente escreve, lê, comenta, "linka" e se ajuda, acreditem ou não muitos se ajudam. Nós não temos horário para cumprir, mas passamos 14 horas na frente do computador, não temos que seguir linha editorial (é esse o nome?) porque a linha pode mudar com nosso humor. Esse comportamento totalmente inadequado (para empresas talvez) e aparentemente caótico que faz blogs serem tão interessantes, e se eles perderem isso perdem sua essência. MAS ISSO TUDO é o MEU PONTO DE VISTA…
        E como eu disse, não considere isso uma consultoria gratuita :) Essa é a minha visão do que chamam de blogosfera e esse grupo é assim, livre, e se ajuda e dá consultoria gratuita pelo simples prazer de compartilhar informação, pelo menos eu sou assim…

  • Minhas dicas: mudem aqueles termos, a Abril só vai conseguir reunir as pessoas 'mais fracas' do mercado com esse tipo de postura.

    Procure descobrir o que o mercado gosta, o WordPress é a plataforma mais querida entre os blogueiros e pasmem: Não Custa Nada! Inclusive existe uma versão para gerenciar diversos blogs, como o Cardoso disse, existem diversos excelentes profissionais no mercado que podem dar consultoria – uma fatia do bolo não sai tão caro se puder evitar esse tipo de repercussão.

  • O que mata nessa história toda não é eles proibirem de colocar anúncios (sendo que eles vão encher a página). Vários sistemas de hospedagens de blogs menos famosos fazem isso.

    O que realmente torna o projeto um lixo é o blogueiro perder seu tempo escrevendo alguma coisa e dar de mão beijada para a Abril.

  • Luciano

    olha só, em linhas gerais o que está acontecendo é um medo quase que generalizado por parte da blogosfera que agora vê como principal rival uma corporação brutamontes que domina a mídia escrita no Brasil além de se sobressair em diversas outras áreas.

    O que origina o medo?, simples, com o acordo com a Abril, blogueiros não vão mais "gerenciar" seus ganhos, não haverá AdSense's da vida ou publicidade, tudo vai ser por conta da Abril. Acho errado criticar quem aceitar a proposta, que, efetivamente, pode, e dará, destaque monstro para quem topar (é difícil e infantil tentar negar o tráfego dos sites Abril), o que pode ser uma boa para quem busca "audiência" com formatos de blogs que fujam ao "é assim que se faz", gente que só quer escrever sobre o que curti. Não estou dizendo que tutoriais não são impotrtantes, ao contrário, são fundamentais tanto quando se começa a blogar quento depois, para se atualizar, mas pensem bem, quantos blogs não-tutoriais estão entre os mais lidos, e entre os mais assinados? Solucionar a questão é simples, que cada um faça o que achar melhor para si, e seu blog, apontar os outros quando já se tem uma audiência bem estabelecida é muito cômodo, parece que o difícil é lembrar como se conquistou essa audiência. Que cada um busque seus próprios meios de crescer, quem quiser topar, que tope, quem não quiser, é só dizer não. E ponto.

  • Bruno

    Tô meio por fora de negócios com blogs mas vejo nessa uma postura da Abril um projeto para auto-censura dos blogueiros. Blogueiros são livres, se vier a depender de um supervisor para ter seu conteúdo publicado (eles chamaram de destacado) aos poucos irá moldar seu conteúdo ao politicamente correto, irão promover desinformação entre outras asneiras prejudiciais ao Brasileiro.

  • É… a proposta realmente é indecente e sem noção. A velha mídia está totalmente desatualizada. Precisam aprender o que é um blog e como funciona o esquema de verdade. Não meter a cara assim oferecendo "NADA" por MUITA COISA…

    Hoje temos muitos blogueiros que ralaram muito para conseguir leitores, para se manterem através de blogues, para firmar seu nome na praça. Não tem sentido você SIMPLESMENTE cancelar o seu domínio, ou redirecionar para o endereço oferecido por eles. Pra ser sincero não tenho idéia alguma de como melhorar a proposta deles, mas vejo que quem redigiu essa é totalmente sem noção.

    Assunto complicado.

  • Pingback: Mais um para colecção de erros! « Noticiare()

  • Aline, acreditamos em vocês da Abril e estamos no aguardo da completa reformulação dos "Termos de Uso" – pelo menos.

    Amplexos.

  • Sou um blogueiro que está há pouco mais de um ano "na estrada". Mas, lendo e mantendo os olhos abertos para o mundo (que com a Internet é fácil); pude perceber claramente que os blogs há muito tempo deixaram de ser meros "diarinhos". justamente por isso resolvi me tornar um blogueiro.

    Assim poderia me expressar e me fazer ouvir ou mesmo criar textos que eu achava serem válidos e interessantes para outras pessoas.

    Realmente, acho que a proposta não é nem tão ruim em relação a falta de anúnicos. Afinal de contas mesmo ganhando uma quantia razoável com meus blogs, ainda não me considero "livre" para viver deles.

    O pior e mais absurdo é saber que uma corporação gigantesca quer se apropriar integralmente de meu trabalhoe fazer dele o que quiser.

    Que amanhã, eu posso produzir um texto fantástico e ganhar prêmios e mais prêmios e jnão ficar absolutamente com nada disso. ou, até mesmo, ter minhas idéias aproveitadas, modificadas e utilizadas em proveito próprio de mega empresários riquíssimos.

    ISSO é o acinte da proposta.

    Mais que trabalhar de graça; querem ser donos até o meu pensamento.

    Você diz que pesquisaram e estudaram com afinco a matéria. Por favor; demitam seus pesquisadores urgentemente.

    O Yahoo não me paga nada. produzo conteúdo para um de seus projetos "de grátis". Assinei até contrato. MAS O CONTEÚDO É MEU.

    E, de quebra, ainda ganhos uns trocados.

    Parece que seus pesquisadores não passaram por lá.

    Infelizmente, você está tentando defender o indenfensável. Qual de vocês, jornalistas, redatores de agência de publicidade ou qualquer profissional sério aceitaria trabalhar de graça e ceder toda a sua produção intelectual integralemnete e sem ressalvas para uma empresa?

    Mostre-me um.

  • E ainda tem outro ponto que falta debulhar. O Cardoso observou que a postura da Abril é o oposto a postura do Yahoo com o seu Y!Posts. Concordo totalmente. O Yahoo está claramente comprometido em fazer a iniciativa ser legal e respeitou totalmente o espaço intelectual dos convidados.

    Só que logo abaixo me chamou a atenção isto: "se vier a depender de um supervisor para ter seu conteúdo publicado (eles chamaram de destacado) aos poucos irá moldar seu conteúdo ao politicamente correto"

    E está perigando acontecer quase isso no Y!Posts. Pessoas mudando o seu estilo para agradar. Ou então, puxando as barras das calças dos consultores: "olha o meu post que legal, linka aê, vai". Isso já gerou uma controvérsia bem interessante.

    • Concordo!

      Contudo, sem querer puzar o saco, o sistema lá é muito seguro em relação aos consultores. Há inclusive uma alternância, de tempos em tempos, entre eles e os blogs que analizam.

      Quanto a pessoas que se deslumbram e mudam querendo chamar a atenção; isso há em qualquer parte e é praticamente impossível de resolver. É cultural e atávico de algumas personalidades.

  • Pagando bem, que mal tem?

    Porém, pagando NADA e ainda não deixando ganhar NADA com o blog, nem a caralho!

  • Pingback: PENSE NISSO ! » Blog Archive » Nospheratt, Yahoo Posts e editora abril()

  • Carlos

    Só não entendi uma coisa: o Cardoso foi ou não convidado?

  • O texto é totalmente auto-explicativo e categórico em sua posição, porém, enquanto este debate é feito muitos blogueiros de qualidade já aderiram ao projeto mesmo sabendo dos riscos.
    O Bê-a-blog da Nospheratt por exemplo, neste instante é propriedade da Abril pois está lá.
    Este e outros artigos a respeito devem ser lidos pelos blogueiros que abraçaram este projeto e não por aqueles que estão começando, afinal, estes jamais serão convidados para uma "área VIP".
    Da mesma forma que a proposta da Abril veio distorcida e cheia de falhas, de cima pra baixo como disse, a cagada dos blogueiros que aderiram foi exatamente igual (talvez pior). Quando perceberem que pecaram em apoiar esta idéia vocês acham que voltaram atrás? Barbosa duvida…
    Em relação ao posicionamento da Abril, não adianta dizer que "estamos fazendo mudanças". A coisa toda deveria ser estudada (de verdade) e só ter sido disponível após muita conversa com estes mesmos convidados que receberam e-mail em massa.
    Assumam de vez o erro, cancelem tudo e comecem novamente. Ficar fazendo remendos não vai adiantar de nada.

    • "O Bê-a-blog da Nospheratt por exemplo, neste instante é propriedade da Abril pois está lá." Não tinha pensado nisso… Ficou confuso esse troço

      • Sim e uma clara violação. Pois os direitos são dela e não poderiam ser cedidos por terceiros.

    • Gente, o que está lá na Abril é um link para download. O PDF está e sempre esteve hospedado nos servers da Porto Fácil, onde eu hospedo meu blog. Eu JAMAIS faria uma cagada dessas – colocar coisas minhas na Abril, para que eles façam o que bem entendam. Até o post que está lá nada mais é do que um simples excerto do post original;)

      Eu só criei o blog lá, para segurar meu user e o nome do blog. E já que estava lá, porque não divulgar meu trabalho? Vai que como o Cardoso sugeriu, alguém lá da Abril lê a cartilha e aprende alguma coisa. :P

      • A intenção é boa, mas está vendendo sua alma. Muitas empresas ainda tratam mal os blogueiros, mas verdade seja dita, eu nunca teria sido entrevistado pelo caderno link do estadão se eu não tivesse um blog, cujo título do post influênciou em parte o motivo da entrevista(pane da telefônica).

  • Rafael

    Meu comentario, apos ler todos os outros e checar a repercussao deste tema em outros blogs, eh que fica evidente o contraponto entre Abril e Yahoo! no que tange ao aproveitamento dos conteudos gerados em blogs (e na Internet como um todo).

    A proposta do Y! Posts preza por independencia, transparencia e abertura. No meu ponto vista a abertura eh canal. Ou seja, os veiculos digitais precisam entender que em vez de querer construir a Arca de Noe dentro de seus dominios, eh muito mais saudavel e, principalmente, relevante para o usuario (o maior interessado em tudo isso) que os conteudos sejam plugados de diferente fontes. Com tanta informacao, se sai melhor quem tem mais capacidade de organiza-la. Alias, estou vendo que o Yahoo! tem frequentemente linkado desde sua home para outros sites (inclusive de competidores diretos) quando estes tem conteudo relevante.

    A Abril digital, com atitudes como esta, mostra-se ainda muito contaminada por preceitos arcaicos de jornalismo tradicional (justificavel, uma vez que a empresa em si eh um tanto antiquada) e menospreza a capacidade de independencia dos blogs. sem duvida, os melhores blogueiros sempre irao prezar por sua liberdade.

  • Pingback: Prove Isso.net » Blog Archive » Internet: Abril Blogs()

  • E ainda dizem que meu problema com a Abril é implicância sem justificativa.

    • E tem mais um detalhe que ainda não foi comentado.
      Quando compramos um produto qualquer de qualquer que seja o fabricante e não gostamos, podemos falar sobre o que nos desagradou.
      Será que a Abril Digital em sua sublime boa vontade vai deixar um blog que está hospedado lá, apontar falhas de um produto da própria Abril ou de um de seus patrocinadores.
      Será que poderemos citar aquela matéria tendenciosa da Veja ou o fiasco que é o antispan do uol mail?
      Eu gostei muito de uma matéria que li na revista Época, poderei citar e disponibilizar o link da versão online?

      • Pois é. Surgirão entraves editoriais que NENHUM blogueiro sério vai querer se sujeitar. Não só na Veja, mas em qualquer grande veículo de imprensa do Brasil. O Reinaldo Azevedo por exemplo, os artigos dele só passam porque segue totalmente ( e muitas vezes até ditam) a linha editorial da revista.

        Que blogueiro que se preze vai querer ser comparado a um lunático reacionário como o Reinaldo Azevedo, ou a um criminoso Mainardi? Acredito que nenhum. Até hoje não entendo como gente do naipe da Bia Kunze, do Edney e do próprio Cardoso aceitaram sentar na mesma mesa do Reinaldo Azevedo.

      • Galeno

        Esse comentário é tão idiota quanto aquele ali em cima que fala da auto-censura. Até parece que a Abril vai intereferir diretamente nos textos escritos…

        • A Abril já interfere em TODAS as suas publicações. O que faz você achar que ela não interferirá em algum texto que se manifeste contra os interesses comerciais da empresa? Imagina só, vocÊ está lá no Abril Blogs e descobre que a Chevrolet está envolvida em um escândalo de espionagem industrial e sonegação de impostos. Aí vocÊ faz um texto descendo a lenha. Você acha que a Abril vai permitir que vocÊ ataque o maior anunciante da revista?

          Deixa de ser ingênuo carinha.

          • Marcelo

            Qual é a linha editorial da Veja?
            Fiquei curioso
            =)

  • Matéria tendenciosa? Imagine. Está brincando. A revista inteira é um panfleto, cem por cento engajado em fazer tráfico de influência política e comercial. É o maior veículo do país e o pior. Acho que idiotiza muito mais do que a TV Globo, que é sempre a vilã favorita, porque influencia e ao mesmo tempo ecoa o reacionarismo ultracareta da classe mérdia urbana. Venho batendo nessa tecla desde antes da radicalização política da revista nos últimos anos. Só depois de claros abusos (alguns deles já vindicados na Justiça) é que começou a se esboçar uma reação intelectual contra essa grande escola de antijornalismo. Associe seu nome a isso quem tem estômago inversamente proporcional aos escrúpulos.

    Pronto, falei.

  • Pingback: Cardoso, se um dia você me linkar, avise antes | Pois Bem...()

  • Agora vai existir um novo tipo de parceria: A parceria Abril.

  • Pingback: O Caso Abril (para quem não tem blog) | Negão Internauta™()

  • A blogosfera surgiu como um movimento independente e alternativo de manifestação, cresceu e conseguiu seu espaço. Conseguiu acuar as grandes corporações que se viram na nescessicade de interagir com éssa media sem sucumbir.

    Agora essa comunidade, outrora forte, abandona seus princípios, cedendo ao grande pecado, talvez o pior de todos, a vaidade.

    É pom que se saiba que vender a alma, não traz benefício eterno, quando a alma morre o corpo deixa de sentir e tudo se acaba.

  • Primeira coisa: a vaidade é uma constante, sempre existiu, não vai acabar e não vai diminuir.

    Segunda: não, os blogs não surgiram como movimento de contestação. Só uma fração reduzida deles se apresentaria assim.

    Terceira: não, as corporações nunca correram perigo de sucumbir por causa de blogs.

    Quarta: eternidade, alma? Quem cuida disso é igreja.

    • huahsuhsuahsuahushauhsuhuahsuhaushuahsuahuhsuahsuhaus

  • É, já tá virando exagero mesmo. Tá certo que a Abril pisou na bola e tal, mas vender a alma????? hahahaha, por favor, né, gente.

    A parte mais interessante da proposta da Abril era (ou ainda é) o coquetel. Afinal, eles se comprometiam a mostrar ao resto da imprensa que estaria interessada em blogueiros de talento, e isso é bom. Faltou mostrar mais desse interesse na hora de pesquisar sobre a estrutura atual dos blogs.

  • A Abril segue com o chicote e os escravos seguem cantando '…lê-lê, lê-lê…. lê-lê, lê-lê….'

    humpf

    • Projeto nati-morto…
      Nem com os melhores cérebros eles conseguirão limpar a sujeira agora. Ao meu ver a solução menos ruim seria acabar com esse projeto, deixar passar um tempo, e criar um outro, sem o nome da Abril…

  • Pingback: Ainda sobre o caso da Abril... | Pois Bem...()

  • Pingback: Desobediência Civil é bom e eu goxxxto()

  • Li tudinho. Todos os posts linkados sobre o assunto, todos os comentários etc. Já cansei desse assunto e pra finalizar vou fazer um post no meu blog, porque o povo alienado que ronda lá, não tá por dentro dessa maracutaia toda e, inclusive, tem uma gaiata que entrou nesse esquema de Abril VIP. Até a parabenizei, mas agora entendi que foi uma roubadona. E olha que a nossa temática é lésbica, então ela não vai mais escrachar sobre algumas coisas, pois talvez a Abril não goste muito…

    Já cheguei à minha conclusão pessoal: a Abril deu mole mesmo e mais uma vez tem-se a confirmação de que nossas grandes corporações (de mídia ou não) são praticamente amadoras e sempre conservadoras quando fazem marketing (se comparadas às americanas) e a Aline da Abril Digital deveria fazer um curso de argumentação e negociação para se posicionar melhor nos "comentários de "réplica" e "tréplica".

    Tô com pena dela tadinha, só porrada, apesar do que ela deve ganhar bem para fazer o que faz, de repente tá valendo…rs

    Mario Amaya, concordei integralmente com o seu contra-comentário ao do icommercepage, mas tem uma coisinha que você deixou passar: o cara disse "A blogosfera surgiu como um movimento independente e alternativo de manifestação". MANIFESTAÇÃO e não de CONTESTAÇÃO, conforme você replicou em "Segunda: não, os blogs não surgiram como movimento de contestação."

    icommercepage, ficou me devendo essa, hein?!! Vai me dever mais uma então: fica esperto no bom português (estamos na web, mas a ortografia é a mesma que a gente aprendeu na escola, ou não) na hora de argumentar ou comentar, pra você não perder a moral, valeu??

    Nada não, é só síndrome de advogada do Diabo e TPM braba…

  • Ah, sim, a "contestação" entrou no meio do papo por contágio, vindo de outras discussões simultâneas. :-)

  • Arauca

    (pondo a leitura em dia)

    Será que eles mandam flores no dia seguinte!?

  • Pingback: Mulher gostosa, na praia, peituda, flagra mulher | Coisas de Homem()

  • Pingback: Protesto 2.0 - como fazer seu protesto ser ouvido na era da web » Revolução Etc()