Marketing de Morto-Vivo

Vou contar um segredo: A Internet é boba. Nós gostamos de LOL Cats, gostamos de memes bobos como o #xxxdadepressão, Serra Sniper e a bolinha de papel que ganhou até conta no Twitter.

A Internet é uma catarse permanente onde fugimos do dia-a-dia, e isso é perfeitamente válido.

Agora contarei outro segredo: Gente que entende essa “bobeira” e a respeita ganha muitos pontos. Falar a linguagem da Internet não é fazer hotsite com passarinho do Twitter, montar campanha e enfiar aquela maldita barra de ícones pra redes sociais, onde nada será monitorado e não haverá interação de qualquer tipo.

Falar a linguagem da Internet é mais que participar das fases, modas e memes. A sears por exemplo lançou uma campanha completamente voltada para a Internet mas sem uma gota de condescendência. É a http://sears.com/zombies, uma versão super-séria da loja da Sears, voltada para um público específico de desmortos vivos.

vendedor com cérebro? Isso non ecziste!

O site é completo, tem até esquema monte seu próprio zumbi E versão em zombian, a língua falada pelos zumbis. Não conhecia? Nem eu.

A loja-zumbi está integrada à loja “de verdade”, os produtos são, bem, produtos normais, afinal zumbis vestem as mesmas roupas dos vivos, só mais rasgadas e isso você faz em casa.

A Sears ousou bastante, há uma parcela do público que com certeza ficará de mimimi com a visão de mãos decepadas e vendedores segurando cérebros, mas uma parcela enorme da Internet, que é o público-alvo da campanha, correrá pro site pra fuçar a rede social de zumbis e bater papo com o porta-voz (do além) da campanha no Twitter, o ZombieShopper.

Eu gostei da ousadia, é raro encontrar uma empresa que aceite brincar com a própria marca (brincar, não fazer cagada, GAP) e envolvê-la em coisas minimamente questionáveis. O normal é manter um distanciamento  totalmente irreal do mundo, ao mesmo tempo que fazem toneladas de reuniões para descobrir o motivo da falta de identificação com os consumidores.

Ousar demanda coragem, mas é só parte da equação. Para que sua ousadia não caia no campo da bobeira paternalista, é preciso também ter, com perdão aos zumbis, cérebro.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Todo valor é válido, o que vale é a intenção e o seu cartão de crédito passar. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também: