Previsão: Podcasters não serão leprosos

Sejamos realistas. Os podcasteiros são mais chiques, mais elegantes, mais arrojados e mais paparicados pela mídia do que os [BP]blogueiros[/BP]. Ter um blog exige muito menos neurônio do que ter um [BP]podcast[/BP] (eu mesmo tenho vários).

Não existe podcasteiro amador, dá trabalho gravar, editar, caçar [BP]vinhetas[/BP], arrumar um canto quieto, errar, gravar de novo, converter para [BP]MP3[/BP] (bah) ou para iPods (oh yeah). [BP]Blog[/BP]? Em 30 segundos você cria um no blogspot, em mais 12 copia meia-dúzia de posts e sai tirando onda com a família de que “agora é blogueiro, com milhões de leitores em potencial”.

Essa dificuldade é uma seleção natural, e garante uma qualidade média bem maior para os podcasts.

Nossa única vingança, enquanto blogueiros, é que eles não ganham um centavo com seus blablablás ;) No máximo os tais benefícios indiretos, que não ajudam quando o Ronaldinho traz a conta do [BP]chopp[/BP].

Agora, nem isso teremos. Em um post do blog BloggingPro, descobri que as projeções indicam um faturamento de US$400 milhões em [BP]publicidade[/BP], para os podcasts, por volta de 2011. E prevejo que não sofrerão nenhum dos ataques feitos aos ProBloggers. Muito pelo contrário.

As projeções para o mercado de mídia interativa, ou seja, todo mundo, são de US$20 bilhões, mas 400 contos ainda são um valor significativo.

O autor da pesquisa, James Belcher, imagina que por volta de 2008 o Google terá resolvido o problema de como inserir anúncios do AdSense em podcasts, com a mesma facilidade que é feito nos blogs.

Aí, meu caro, FERROU.

Podcasts estarão mais popularizados, poderão ser assinados facilmente de [BP]telefones celulares[/BP], [BP]iPods[/BP] [BP]WIFI[/BP], [BP]relógios[/BP] e [BP]camisinhas musicais[/BP]. (nota mental: Não assinar o Broxa Music, no caso citado). Principalmente, os podcasteiros não serão mal-vistos como os probloggers. TODO podcast poderá, naturalmente, trabalhar com publicidade.

O público entende o podcast como algo complexo e trabalhoso, seja para criar, seja para baixar. Isso já dá uma justificativa de custo. Mais ainda: O formato é familiar. É [BP]rádio[/BP], pombas! Não inventaram absolutamente nada, estão passando programas de [BP]rádio AM[/BP], ouvidos em páginas web.

E rádio tem propaganda. Faz parte da ordem natural das coisas. Um locutor que chama o Repórter Esso, Testemunha Ocular da História não é acusado de mercenário. Se a Bia Kunze fizer a chamada para o Mico da Semana com o texto “E agora, com patrocínio da Claro, o Miiiiico da semana!” dificilmente será perseguida por camponeses com tochas e queimada, como Joana D´Arc.

 A mídia também está muito mais acostumada ao formato. Eu, se tivesse um podcast hoje, venderia o [BP]peixe[/BP] para as agências, como sendo um “programa de rádio na Internet, com uma segmentação e controle de ouvintes muito maior que a mídia tradicional”.

Acredito que a curva de monetização dos Podcasts vai surpreender (os que não lêem o Contraditorium, claro) inclusive no Brasil. Quando a mídia perceber que é um tipo de veículo familiar, sujeito às mesmas regras do bom e velho rádio, será uma nova corrida do ouro, com contratos lucrativos a preços atraentes, atingindo um público qualificado e sedento de boas oportunidades.

Vocês eu não sei, mas vou querer um pedaço desse bolo.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Muita pastilha para a garganta

  • Damm Batman, ele descobriu minha idéia!

    Para fazer um podcast primeiro é recomendável uma meditação, ioga ou qualquer coisa parecida para perder a tremilência vocal. =DDDDDDDDD

  • Cobline FM e PodCob aí vamos nós!

  • Já estou pensando em fazer um podcast faz algum tempo. Só tenho que organizar as idéias.

  • A grande mídia já descobriu os podcasts. Mas mesmo com os fatos que vc citou pode crer que tem muito podcast mequetrefe por aí, sem contar que qualquer um pode escrever, mas definitivamente nem todo mundo pode expor a voz assim.

    O que eu queria comentar é que eu nunca ví gente criticando candidatos a problogger. Tudo bem que eu não leio tantos blogs assim (prefiro prezar pela qualidade ^^) mas ainda não me deparei com isso.

  • Eu já penso em fazer um podcast do Gravateiros desde o ínicio. Acredito que será uma boa alternativa aos discrimidados pelo Adsense: blogs de humor, como é o caso do Gravateiros que rende míseros centavos de dólar durante o mês.

    Além disso, podcasts de humor é o que os "Café com Bobagem", "Casseta e Planeta", "Panicos", etc, fazem nas rádios hoje. Drops de quadros humorísticos!

    Ah! Eu assino o Broxa Music, quase melhor do que as músicas é a narração do carinha eheheh

  • Então, Zé Bonitinho, quando nos presentearás com um tostão de sua bela voz?

  • Concordo. E o preço do setup para fazer uma gravação minimamente razoável não ajuda. Especialmente pra quem usa PC/Windows.

    Uma plaquinha para microfone decente como as da M-audio custam U$120. Um microfone de voz mais uns 300 reais se você comprar um Sansom no mercado livre. E se você quiser juntar 2 ou mais pessoas ao vivo (Sem usar o esquema pelo skype) a placa de som de 2 entradas de mic está na faixa dos U$300…

    Neste ponto o pessoal do MAC leva vantagem.

  • Eu particularmente não gosto de Podcasts… deve ser porque eu me divirto muito mais lendo e ouvindo minhas músicas, do que simplesmente ouvir alguem de lero lero e ocupando banda da minha conexão.!

    E viva o texto!

    :)

  • Jorge Flávio
  • Previsão: Cardoso vai criar um podcast.

    Pessoalmeente, eu não crio um podcast pelas seguintes razões:

    – técnicas: não tenho microfone e a gravação fica ruim com os microfones "Clone" da vida.

    – pessoais: minha voz é horrívis.

    – + uma pessoal: não gosto. Tava ouvindo o podcast com as entrevistas de um cara da Microsoft, e com o editor do BR-Linux no IDG Now! e achei ruim, porque eu não conseguia ler e ouvir ao mesmo tempo, só conseguia prestar atenção na leitura.

    Não ouço muitos podcasts porque:

    – ter que ficar baixando arquivo da internet pra ver o conteúdo é um saco. Mesmo tendo banda larga.

    – em casa, não posso usar o computador full time.

    – na faculdade/trabalho, é bloqueado o download de arquivos de áudio e vídeo, por mais que voc6e consiga transportar estes arquivos por iPod e CD.

    – meu iPod é o shuffle de 512 MB, e deixo 100MB (às vezes 200MB, já que arquivos pra impressão em alta resolução e outros documentos costumaam pesar bastante) pra transportar arquivos. Pouco espaço pras minhas músicas, vou enfiar um cara falando aí no meio ainda?

  • A equipe do meu site mesmo (http://overseries.com =D) quer fazer um podcast sobre séries, iríamos colocar vinhetas de abertura das series pra ficar bem legal…

    O unico problema é que eu e minha voz não nos damos bem =D

  • Jorge Flávio

    Fabiane, eu também não gosto de atolar meu computador com MP3 dos podcastas, mas a tecnologia de streaming do Blogueisso é interessante.

    Parece o youtube, vai transferindo o áudio enquanto você começa a ouvi-lo. Mas bem que poderia ter a opção de baixar o MP3 também, pra quem escuta num player.

  • tah na hora de começar a preparar o terreno cardoso, deixar o pessoal na expectativa e lançar o produto antes dos outros pra conquistar o mercado!

    táticas de guerrilha rulez! o/

  • Um tempo atrás eu havia imaginado fazer um podcast, mas como eu não tenho prática nenhuma nisso, resolvi começar com um blog de notícias, quem sabe daqui a um tempo eu volte a pensar num podcast…

  • Olá Cardoso,

    Tenho um site de dicas de videogames, estive pensando em colocar uma seção de podcast com algumas impressões sobre os jogos, lançamentos, etc.

    Você recomenda algum publisher ou hoster dos áudios em especial?

    Tenho um blog lá também, se puder dar umas dicas sobre ele…

    Bom o endereço do site ta aí no cadastro (não vou colocar aqui para evitar o spam, rs), dá uma visitada lá.

    Obs. Não encontrei seu e-mail por aqui para o contato então acabei postando aqui minha dúvida.

    Abs.

    Rogério

  • Imaginem hein… um postcast do Cardoso que beleza.

    Agora tu vai ter que fazer também Cardoso ! ehehehehehe

    FALOW !

  • Como ainda não tenho um iPod, não consegui encontrar uma vantagem em baixar 20 MB pra escutar um podcast ao invés de ler 3 páginas na tela do micro…

  • Fala Cardoso,

    Eu acho que a sua defesa do pessoal do podcast é muito própria e muito bem vinda.

    Eu tenho um podcast, o http://www.conversadigital.com e cada episódio de 1h me leva 2h pra ir ao ar. Entre escolha do repertório musical (que tem intervalos musicais e musica de fundo durante TODO o programa), gravação, adaptação, normalização, construção da pauta, shownotes, upload e verificação final eu levo quase 3x o tempo de gravação propriamente dita para o "produto final" ir ao ar.

    Não é que seja difícil, mas é complicado, exige disciplina, boa vontade e muito amor ao que se faz. Exige compromisso e dedicação. Não é só sair falando um monte de abobrinha no microfone e deixar rolar.

    Acho que os podcaster tem que ser, sim, valorizados porque a maioria (eu me incluo) dos podcaster não tem nenhum (ou quase nenhum) lucro ao fazer o podcast. Eu não recebo "agradinhos" do Google, pago minha própria hospedagem, minha luz, e todo o resto. Então acho que merecemos o mínimo de respeito e admiração por parte dos Pro´s (entre os quais você, merecidamente, se encontra).

    Parabéns pelo post, Camarada Cardoso!!!

  • não tenho saco pra ouvir nem pra fazer podcast… não sei porque parece q os textos lidos ficam melhor armazenados na minha memoria de peixinho dourado :P

    mas se há quem goste… deve ter quem invista nisso… mas eu fico com o meu bloguezinho apenas pra excrever no fim de semana..

    hehe

  • oi!

    Entao… ter um podcast nao é sinônimo de "monetizacao"…Ad Sense nao rola, pois o acesso aos mp3s se dah pelo iTunes…

    Ate o momento, as propostas q recebi de patrocinio para o ELASPOD… foram ridículas.

    Cada podcast produzido, tem um custo de aproximandamente 2500 reais. ( Contabilizand temo gasto, edicao… pesquisa de pauta)

    Prefiro fazer de graca, disponibilizar tudo gratis… e falar o q queremos, do q ter cuidado com a lingua.. devido ao pod ser patrocinado.

    Conseguimos posicionar o ELASPOD na 38 posicao o Itunes Store. Isto mostrava o nosso "sucess'..

    Por algum tempo, fomos o unico podcast brazuca a aparecer na categoria internacional..

    Porem, soh me apresentaram contratos leoninos, do tipo tem q assinar ainda hoje ( sem ler as letras miudas) e nos devolver…

    E no contrato, alem de clausula de exclusividade…soh constava obrigacoes para nos… e $$$ zero de grana.

    E olha q eram empresas de telefonia, com grande poder economico.

    Os blog, dão melhor resultado!

    De qualquer forma..

    fica aqui o link pro http://www.elaspod.com.br
    Falamos de tecnlogia, internet e vida digital

    beijo

    alessandra marfisa

  • Em blog aparece muito esse tipo de parceria Caracu, mas os adsenses e buscapés dão um refresco.

    De vez em quando tem um sem-noção. Recebi um email de uma dona do sul oferecendo uma parceria sensacional no site deles. Basicamente o que o Powerpoint de 10 páginas dizia era que eu ganharia credibilidade e prestígio se colocasse um link para o sitezinho vagabundo de venda de acessórios de iPod deles.

  • Também já recebi muita proposta indecente.

    Mas dessa vez estou fechando com um patrocinador direto.

    Ganho eu, recebendo para fazer algo que eu amo, num horário que virtualmente eu deveria estar atendendo pacientes para pagar minhas continhas.

    Ganham meus ouvintes, que receberão reviews e análises de aparelhos, produtos e serviços em primeira mão, num podcast que enfim terá compromisso com periodicidade ;)

    Mas esse prestígio pelo meu trabalho não veio simplesmente por eu ser uma podcaster. Tenho um blog conceituado em mobilidade, sou comentarista de tecnologia numa rádio famosa e nesse ano de 2007 passo a atuar profissionalmente como consultora e palestrante.

    Tudo foi uma convergência de fatores. Prestígio entre outros canais, outras mídias, ajuda muito um podcaster a ganhar por aquilo que faz com amor e distribui gratuitamente!

  • Talvez em algum site como o youtube mas focado em podcast facam alguma coisa

    na real se voce indexar palavras antes e fizesse upload do arquivo, o sistema poderia inserir as chamadas de comerciais dentro do audio. dependendo voce poderia até escolher as marcacoes ou dividir o audio em tres partes e o site inserir no meio delas, fazendo um unico arquivo podcast

    a questao do anuncio na radio eh que eh algo mais generico, nao eh como um site que vc clica e pode ficar horas lendo, o anuncio passa, 5 segundos e era isso

    Abracos

    Douglas