Outro políico me passou a perna na Internet. Mas eu gostei.

O nome do sujeito é John Culberson, ele é Congressista pelo Texas, nos EUA. Republicano.

Isso já seria suficiente para imaginar algo do nível do Severino, Efrain, ACM. A imagem que temos de um republicano é George Bush – não exatamente uma sumidade – ou o Senador Ted Stevens, que tentou descrever a Internet como “uma série de tubos”.

Agora o Congresso nos EUA ratificou uma norma interna proibindo os congressistas de usar sites de compartilhamento de vídeo ou redes sociais, como YouTube, MySpace, Flickr, Facebook, etc. Isso mesmo, os políticos estão proibidos de postar vídeo ou conteúdos em sites fora do domínio house.gov.

Um deputado, Michael Capuano, propôs uma alteração onde o post poderia ser feito se a página não apresentasse conteúdo comercial ou político. Bem, basicamente significa que nenhum site está habilitado. Ficamos na mesma.

Aí que entra John Culberson. Como bom republicano, coroa, imaginamos que ele estaria por trás da legislação original, fechando a Internet para políticos, certo?

Errado.

Ele não só está se opondo abertamente à norma, como alertou ao vivo seus eleitores, através de sua conta no Twitter. Ele tem 1649 seguidores e 1079 atualizações, um número invejável, aliás.

 

culberson_tweet

 

Você leu direito. Um político, congressista, republicano, usa o Twitter. De um Blackberry. E piora (ou melhora, depende do ponto de vista)

O cara transmite vídeo ao vivo via celular usando o Qix, coisa que EU, que me considero antenado, ainda não cheguei sequer a testar para o MeioBit. E ele tentou transmitir de dentro da Sala Oval, mas “o Serviço Secreto não permitiu”.

Quanto a contato com eleitores, ele usa o Ustream para “encontros virtuais” em vídeo. Fala “firewall” sem engasgar.

Aqui no Brasil quando um político resolve tentar uma coisa diferente, como o César Maia quando lançou seu blog, a imprensa cai de pau chamando de “prefeito blogueiro”, com tom pejorativo, sugerindo que ele deixava de trabalhar para ficar blogando. As outras tentativas locais chegam a ser patéticas, como o site da candidatura da Marta Suplicy, que grita “artificial, feito por um comitê”.

Precisamos de menos Efrains e Martas, e mais John Culbersons. É muito melhor para o país um político, mesmo que não seja alinhado ideologicamente com você, se esse político estiver em dia com a tecnologia, usando-a manter vários canais de comunicação com a população. Como vimos no BannerGate, a estrutura “assessor respondendo email” não funciona. Botar gente para responder os emails dos políticos serviu tão bem para distanciá-los da realidade nacional quanto a construção de Brasília.

Infelizmente por aqui o máximo que vemos são politicos fazendo spam por email, sites “pessoais” escritos por assessores e material institucional da pior espécie.

Da mesma forma que as empresas com bons blogs corporativos descobriram, a classe política precisa entender que colocar um lado humano, mostrar que há gente por trás do Cargo é importante. Até porque nós aceitamos falhas de humanos -todo mundo erra- mas não de Entidades Onipotentes como os políticos tradicionais.

Fonte: Ars Technica


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Interessante, e surpreedente.

    Muito melhor ter um cara desses que conhece tecnologia, do que esses politiqueiros que ficam fazendo leis pra acabar com a liberdade, ou ainda, proibir veiculação de vídeos e linkagem em sites eleitorais.

    Igualdade não pode, só pode fazer propaganda quem tem dinheiro.

  • Pois é cara, precisamos de mais políticos assim. Na empresa, fizemos o site da camara municipal do município, e cada político tem um blog.

    Não tem um político que seja que atualize seu próprio blog, são sempre assessores. E eles se limitam a pegar notas que saem em outras mídias e publicar no blog, sem alterar uma linha.

    Não ficaria surpreso se os comentários do blog também fossem feito pelos próprios assessores, pois alguns que eu li são (ou pelo menos tentam ser) tão incrivelmente formais que parecem que saiu de um imortal da academia de letras, além de elogiosos, claro.

  • Muito bom cara! Quando os políticos aqui do Brasil souberem FALAR, já daremos um passo importante! Quiçá escrever decentemente um e-mail!

  • Muito bom vale a pena…. Quando se fala em politica a sempre um preconceito mas temos que saber mais sobre e divulgar quando algo eh bom.. falou e disse que o politico em si não faz nada sempre seus assessores escravos fazem tudo

  • Monthiel

    Pessoas antenadas, vivas, são melhores políticos. Eles tem argumentos, sabem vender seus peixes e, em vários canais diferentes. Esses mesmos também aproveitam para se aproximar, mesmo que virtualmente, daqueles milhares de pessoas que vivem nesse mundo, e acredito eu ser uma ótima oportunidade para conseguir votos.

    Aqui no Brasil isso é difícil de acontecer, mas já existem. São raros.

  • zeichner

    Cardoso

    Cuidado com as visões maniqueístas da imprensa nacional. Quem vê as coisas no Brasil fica se perguntando como os americanos podem votar nos republicanos, afinal, eles são o mal, os corporativistas, lobistas, capitalistas selvagens que combatem os bonzinhos democratas. Não é bem assim, afinal, como todos partios grandes, existem grupos dentro de grupos, e existem democratas que só querem ralar com os direitos individuais, e republicanos defensores intransigentes da liberdade individual. Não dá pra generalizar, nem comparar todos os republicanos pelo Bush. Uma coisa interessante: O partido poular lá é o republicano, das pessoas do povo. Os democratas são dos grandes fazendeiros e corporações, como os Ford. O mundo não é preto e branco como nos querem fazer acreditar.

    • Eu acompanho direto política de lá, via Colbert e Jon Stewart principalmente, e ninguém é santo. Meu problema com os republicanos é o Bible Belt. Se bem que estou fazendo campanha pro McCain, pra Brasil eles são melhores que os democratas.

  • Você deveria conhecer a política aqui em São Mamede (ao lado de onde Efraim nasceu :( )

  • É realmente estranho um republicano com essas atitudes, eu sempre os imagina como caipiras texanos que se assustavam ao ver um telefone celular.

  • Eu fiz um post recentemente sobre a utilização das mídias sociais pelos candidatos a prefeitura de Belo Horizonte. O problema é que o TSE restringe demais a utilização da internet para campanha política.

    O candidato só pode ter o site com o domínio .can.br, e tudo tem que estar dentro deste domínimo, só nessa jogada já se exclui Youtube ou qualquer outro site de vídeo. O que na minha opinião, é uma giro de 180º. Acaba ficando aquela mesma coisa massante da TV, Rádio e "Lambe-lambe".

    Enquanto em outros países, o candidato que utiliza essas mídias cresce em popularidade, aqui no Brasil é tratado como desocupado. Então que seja assim. Nosso único contato com os candidatos seja apenas por horário eleitoral gratuito e TV Câmara.

    abraço

    • Não se preocupe. Se o Cristóvam Buarque ler esse post fique certo que na próxima eleição para presidente ele vai usar Twitter, Jaiku, 12 seconds…

      :-)

  • Acho que você encontrou um exemplo. Mas não uma regra para políticos americanos como se nos EUA todos os políticos utilizassem as tecnologias em prol da transparência de suas campanhas. Em tempo, nos EUA as pessoas usam e tem mais "coisas" e isso é fato.
    Da área tecnológica ou não.

    Essa moça aqui promete e é Brasileiríssima: http://gabinetesoninha.zip.net

    Off-topic: E os democratas Brazileiros que são republicanos? Alguém explica isso "pru povu"!

  • Interessante, e como questionaram ai, a politica nao é tao clara como parece.

    O proprio McCain ja foi inclusive convidado a entrar no partido republicano, ele nao é unanimidade nem no proprio partido.

    Porem os republicanos são, declaradamente, americanos. e do tipo WASP (Whit, Anglo-SAxon, Protestant), e, em sua grande maioria, tem opnioes formadas sobre gays e imigrantes latinos.

    E cardoso, tava lendo nos meus feeds, ai lembrei de um topico antigo seu, falando dos links, ai por acaso vi essa noticia, http://oglobo.globo.com/tecnologia/mat/2008/07/29
    Entao, fala do Arquivo do jornal na internet. Ai, so cliquei pra pegar o link, cade o link?!?!

    Pra que falar de um servico se nao pode ao menos colocar o link… lamentavel isso.

  • Mostrar que há gente por trás do cargo requer mais comprometimento com o povo e dá trabalho Cardoso. Quando políticos conseguirem doar-se na medida do que recebem, talvez essa realidade mude um pouco.

    Tornar público que é passível de erro requer alguma humildade e inteligência. Políticos inteligentes existem aos batalhões. Já humildes…

  • Oi, tudo tranquilo?
    Acontece que nós brasileiros vemos os "politicos" com mal olhos, pra maioria do povo, qualquer ação de uma autoridade politica já é motivo de ter taxado (aiii ou seria tachado? pula essa please!!) de bandido, corrupto ou outros adjetivos pejorativos do gênero.
    Por outro lado, temos muita resistência com tecnologia de forma geral, e as pessoas veêm internet só pelo ângulo dos pedofilos do orkut, esquecem que internet pode ajudar e muito.
    Sabe o que eu queria ver?
    Nossos senadores e deputados federais tendo um blog, onde diariamente eles postam as matérias que estão sendo debatidas no senado e na câmara. O que achas?

  • Pingback: links for 2008-07-31 | .:The worst kind of thief:.()

  • Infelizmente, os políticos brasileiros acham que usar a internet para alcançar o público é pagar 48 mil ao mês por um pequeno banner em um site pouco expressivo ;D

    Sobre os republicanos, não podemos esquecer o mestre Arnold, que mesmo que não tenha blog ou twitter (eu acho), é bem diferente do Bush.

  • Engraçado quando ouço (ou leio) um brasileiro dizer: "estou fazendo campanha pro McCain"…

    • É tão engraçado quanto o "estou fazendo campanha pro Obama"

      • Sim, da mesma forma… Não me refiro especificamente ao McCain, mas ao fato de "fazer campanha"…
        Agora, que eles por lá têm outra concepção de campanha política é mais do que certo. Aqui na minha cidade vez ou outra escuto alguém dizer: "não vejo a hora de começar o horário eleitoral e dar risada dos candidatos".

  • André K

    "É muito melhor para o país um político, mesmo que não seja alinhado ideologicamente com você, se esse político estiver em dia com a tecnologia, usando-a manter vários canais de comunicação com a população."

    Seria muito chato se todas as pessoas fossem alinhadas conosco em todos os sentidos. A graça da coisa é a diversidade e, principalmente, o respeito por ela. Para a democracia é muito, mas muito mesmo, mais saudável que no "parlamento" exista um equilíbrio entre as diversas correntes e não apenas uma que domine em absoluto. O problema é que aqui se confunde ideologia com desvio Ético. Ditador = direitista = ladrão, mas o PT está mudando isso demonstrando que a esquerda também tem dessas. O problema não é a ideologia, mas as pessoas…

    O nome do seu blog já diz tudo isso!

  • Cardoso, não sei se você ficou sabendo (muito provavelmente creio que sim) que foram lançados no YouTube dois canais do legislativo americano, o do senado (http://www.youtube.com/user/senatehub) e o da câmara (http://www.youtube.com/user/househub).

    Seria legal se houvesse a mesma iniciativa aqui no Brasil. Afinal de contas, brasileiro adora copiar qualquer coisa de americano. :)