Você gosta de___? Mas é uma bosta igual a ___!

Os Simpsons é um dos programas que os Haters mais adoram odiar. Haters são um subgrupo de trolls especializados em odiar e desqualificar qualquer coisa, dando especial atenção a assuntos que estão em evidência na mídia. Por isso a enxurrada de comentários afirmando categoricamente que LOST é um lixo, ou o pessoal mostrando o quanto Homem de Ferro 2 é uma bela porcaria comparado com o filme imaginário que só existe no delírio esquizofrênico aprisionado em suas mentes, e como o iPad é uma bela porcaria, apesar dos dois milhões de unidades vendidas e dos 200 mil novos exemplares que saem das lojas da Apple a cada semana.

Haters não aceitam o conceito de que o gosto deles representa nada menos que a opinião MUNDIAL. Por isso eles odeiam quando você não odeia junto. Fica a dica: NUNCA brinque com um tema da moda. Fiz várias piadas com o final de LOST, com isso angariei uma legião de HATERS que se SOLIDARIZOU, achando que ao fazer brincadeiras como dizer que no final de LOST o Dourado iria ganhar eu me colocava ao lado de gente que cuspia besteiras que chegavam (e utrapassavam) as raias da boçalidade. Vi mensagens onde os fãs eram acusados de DESPERDIÇAR suas vidas por seis anos, ao acompanhar a série “com final ruim”.

Eu não gosto dessa gente. Esses haters aparecem sempre que ousamos comentar positivamente sobre qualquer coisa. Antigamente ainda era uma coisa de fanboy, eu dizia que gostava de Simpsons, o fanboy de Family Guy me atacava antes que eu pudesse dizer que também gostava de Family Guy (aí ambos os fanboys me atacariam dizendo que não poderia gostar de ambos). Hoje os haters evoluíram, você professa um gosto, eles desdenham e atacam SEM FORNECER UMA OPINIÃO ALTERNATIVA.

Esses deformadores de opinião são uma praga, criam uma geração de seguidores cínicos que adoram xingar desdenhar e desqualificar TUDO, com análises superficiais, opiniões (essas sim) desqualificadas e repetidas pelos seguidores. No final temos os haters primários, os papagaios e a turma do não vi e não gostei.

Por eles você não veria… NADA. Sim, TODOS os programas são ruins. Quando pressionados os haters usam um argumento interessante para justificar essa impossibilidade: Os programas ruins FORAM bons. CLARO que você nunca achará uma mensagem de um hater elogiando um programa em seu auge, mas depois que “ficou” ruim ai ele fala que “antigamente” era bom.

Não escute esses caras. Acompanhe as opiniões de quem se dá ao direito de GOSTAR de algo, acompanhe quem não tem vergonha de não parecer cool, quem não tem problemas em ELOGIAR, em se entusiasmar com alguma coisa. O hater nada mais é que um troll, uma criatura insegura sem nenhum talento natural, que odeia dividir palco pois sabe que só está em evidência (por menor que seja) por acaso. O hater não dá crédito, com medo de você passar a seguir a fonte dele e torná-lo assim irrelevante.

Descobri que não deveria ver Family Guy. Nem American Dad. Cleveland Show? Nem Pensar. South Park? Já foi bom. Simpsons? JÁ ERA! Pois é, Haters dizem que estou perdendo meu tempo.

Quisera eu perder meu tempo vendo (e criando) coisas “ruins” como esta abertura clássica:

Ou então a deliciosa cena do episódio de ontem (sim, eu assisti. Sorry, haters, sou péssimo cumprindo ordens) onde em uma feira de bichos em Springfield Ned Flanders está com uma barraca vendendo os Peixes Jesus.

Lisa pergunta como Ned fez aqueles peixes:

“na verdade Deus criou alguns peixes bem parecidos, então naturalmente nós selecionamos esses para cruzamento.”

“Então seleção natural foi a origem desta espécie?”

“Sim, foi exatament-oh, haha você quase me pegou!”

Nisso um dos peixes pula pra fora do aquário, com barbatanas como patas, dá uma respirada de ar. Ned olha com cara feia, diz “Not on my watch!” joga o peixe de volta e fecha a tampa!

Foi uma cena curtíssima, um primor do Humor com Pré-Requisito, coisa que gente como o Antônio Tabet considera elitismo, pois assume que o leitor deve ter um certo grau de inteligência e ser versado no mundo que o cerca. É elitismo? Que seja, adoraria ser elitista como Os Simpsons, 20 anos por aí e ainda funcionando muito bem, apesar do que os haters alardeiam.

Conclusão Para a Vida (ao menos funciona comigo):

Se alguém elogia bastante algo, levante a orelha, provavelmente mais gente estará falando sobre o assunto. Se for gente que você conhece e confia, provavelmente é uma boa indicação. Vale uma olhada.

Se alguém comenta que não gosta, tudo bem. Se for alguém que você conhece, peça mais informações, concordando ou discordando você ganhará tempo. Uma crítica negativa da qual você discorda MAS respeita o crítico vale como uma positiva.

Já se alguém aparece histérico xingando e detonando algo que sequer assiste ou acompanha, xinga todo mundo que ousa gostar do negócio e justifica que somente idiotas veriam tal programa ou comprariam tal produto (iPad, por exemplo) não perca seu tempo. Ignore o imbecil. Você não ganha nada discutindo com alguém que tem mais prazer em dizer que uma série é ruim do que em achar uma série boa pra assistir.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • "Vi mensagens onde os fãs eram acusados de DESPERDIÇAR suas vidas por seis anos, ao acompanhar a série “com final ruim”."

    Bom, ao contrário do que essa gente pensa, nem todo mundo tem uma vida que gira em torno unicamente de uma coisa de que se gosta.

  • A verdade é que… se muita gente gosta de algo, desconfie.

    Geralmente o povo é burro e gosta de coisas idiotas.

    Por isso Lost é tão bom. É seleto, assim como Simpsons e PRINCIPALMENTE Family Guy.

    Exemplo de porcaria que todos gostaram: Avatar. só efeitos, uma história fraca e previsível. E todos acharam genial. Sim, genial porque até um camelo entende.

    • Lucas

      Missing the point.

    • Radical Livre

      Taí, esta é uma atitude 100% elitista e HATER.

      • Não posso não gostar de Avatar?

        Se sou hater, vc é idiota.

        -Goste de tudo o que as massas gostam, ou é um hater.

        Vai taxar a pqp. O filme é fraco mesmo. uma história com mensagem escancarada na sua cara. pragmatismo disfarçado de sensibilidade. quanto aos efeitos, maravilhosos, único ponto bom do filme.

        • PQP, concordo totalmente com vc!

          Eu assisti Avatar, fiquei maravihado com os gráficos, mas puta historinha pão-com-ovo.

          Não to entendendo essa galerinha, se falo q achei ruim, sou Hater, só pq todo mundo gostou dessa merda.

          Vão tomar nos seus cus!!

        • Gabi

          Meu filho, você se contradiz bastante. Não sei se você notou, mas Simpsons é sim adorado pela massa. E LOST também.

          Minha mãe, por exemplo, é uma pessoa de gostos simples, noveleira, e adora Simpsons. E ela nao é o único exemplo de pessoa "não-elitizada" que A série não se mantém há 20 anos só por uma elite. Existe uma cambada de produtos da franquia, é inegável que é aclamado tanto por críticos quanto pela massa mesmo.

          O mesmo ocorre com LOST. Também existe uma LOSTmania. Assim como nós no Brasil temos final de novela das 9, nos EUA se teve o final de LOST – que teve reflexos aqui tbm, é claro. Final de Lost saiu nos telejornais mais populares.

          Se o povo gostou tanto de Avatar, ele tem seu valor, mesmo que seja estético. Agora, você fala que a massa, por gostar disso, é "burra". Isso é totalmente atitude de HATER.

    • Hater detected.

  • Olá Cardoso

    Nunca entendi como alguém pode não gostar de algo sem prová-lo. Não sei se é moda ser do contra, ou é moda ser crítico ou se é moda ser esquizofrênico mesmo.

    Nunca gostei dessa imposição de ideias, dessa coisa esperneada. Já que não gosta, apresente argumentos…

    Abraços.

    • Mikhail A. Bakunin

      Kamarada Junior Silva, posso perguntar-lhe se o senhor gosta de dar a bunda? Se gosta, tudo bem; se não gosta, é por ter experimentado e não foi bom?

    • Desculpa, não resisti mas… Nunca foi preciso comer giló pra eu saber que não vou gostar, nem comer merda e muito menos… tcham tcham tcham.. dar o rabo! =]

      Sim, é possível não gostar de algo que você não prove. =]

      • Mel

        Uma coisa, uma coisa, outra coisa, outra coisa.

        Se você não provou, você não pode dizer que não gosta (sem ferir a lógica). Você pode dizer que não está disposto a aceitar os riscos inerentes à prova.

        Nunca pulei de ponte. Não penso em fazê-lo. Não posso dizer que não gosto de pular de ponte. Nem que gosto. Mas não quero.

  • Ótimo post. Concordo com o que disse o Fábio, a vida não gira em torno disso. Essa gente que nem sequer tem conhecimento e sai criticando, nem merece atenção.

  • Bacana poder ilustrar o seu ótimo texto por que ele diz exatamente o que eu penso sobre o assunto.

    O mais ridículo nos haters é que eles adotam uma coerência xiita quando expressam suas opiniões. Um filme, por exemplo, não pode ter uma história fraca e uma boa direção. Ele deve ser abominado do início ao fim. Iluminação, roteiro, figurino… nada se salva. Tudo é digno de asco e rejeição.

    Além de ser incapaz de enxergar as qualidades das coisas que não gosta, pessoas assim costumam reduzir suas análises. Como eu disse mais cedo no Twitter. Um Hater de Kafka diz que A Metamorfose é só um livro de um cara que vira uma baratona e nada mais.

    Na bíblia do hater você sempre deve odiar integralmente aquilo que não gosta.

    Uma rápida olhada na timeline mostra que a maioria dos comentários apaixonados sobre o último episódio vem dos detratores. Curioso, por que mostra que a atenção maior vem de quem deveria ignorar.

    Um Troll senpre é redutor. Argumente de modo perfeito e ouça que seus pensamentos não fazem sentido por que você ignorou a regra de usar sempre o "m" antes do "p" e do "b".

  • Guilherme

    Pois é, quanto as acusações de desperdiçar 6 anos de vida (sim, eu também li uma bela dezena de comentários como esse no twitter e no facebook), eu li uma colocação perfeita no twitter, que infelizmente esqueci o nome (no clássico estilo "já dizia alguém"): É como jogar um jogo só pra ver a CG final. Nenhum final vai desqualificar toda a experiência que você teve no percurso

    • MukS

      Não é jogar o jogo "só" pra ver a CG final. Agora se vc joga um jogo durante 6 anos, vai acompanhando o desenrolar da história e o desenvolvimento dos personagens, e nos últimos momentos, o jogo se mostra cheio de bugs, trava e dá "pala" logo no final, sem te permitir saber o que você esperava saber, deixando varias "quests" incompletas, modificando alguns conceitos, e esquecendo completamente de outros, que foram apresentados durante o seu progresso, além de erros básicos na programação e gráficos, você não tem o direito de se sentir irritado? De reclamar? Ou mesmo de se irritar com outras pessoas que não se sentiram incomodadas (dentro dos limites do bom senso, lógico)? A audiência e a possibilidade de expressar a nossa opnião são como o nosso "voto"… Quanto mais o público aceita e consome produtos de baixa qualidade, menos incentivo existe pra que se produzam coisas de qualidade superior.

  • Sejamos justos: alguns haters chegam a ser engraçados, até mesmo rivalizando com o material odiado.

  • Eu só não gosto porque não me dei o direito de acompanhar a série. Por isso, quando começa, já troco de canal.

    Parabéns pelo post, cardoso

  • Rafael Borges

    Eu acho forçada essa ênfase que você põe no "Humor com Pré-Requisito". O fato dos Simpsons terem feito uma piada em cima da briga entre creacionistas e darwinistas não faz da mesma uma sátira especialmente engraçada. Fica a impressão de que você está rindo só pra parecer entendido, tipo aquele tiozinho no cinema que dá risada em uma cena sem graça só porque ele sacou qual filme tal cena está parodiando.

    Não estou dizendo que "Humor com Pré-Requisito" é ruim. Um exemplo de sátira bem-feita, na minha opinião, é um episódio do Family Guy onde Peter narra o surgimento da vida na Terra para sua família. Depois de mostrar o primeiro ser aquático saindo do mar e andando em terra firme, ele interrompe a sequência e diz: "Eu sou obrigado por lei a mostrar a versão creacionista da origem da vida, então lá vai." Aí entra a Jeannie do seriado "Jeannie é um Gênio" usando a mágica dela para fazer os seres vivos aparecerem na Terra do nada.

    Eu considero essa piada do Family Guy mais engraçada não porque eu sou versado na evolução segundo Darwin ou porque eu não sou religioso, mas sim porque a piada é totalmente inesperada e completamente ácida. Family Guy não faz prisioneiros. Já a piada dos Simpsons não é tão engraçada justamente por ser aquela mesma temática de sempre: Lisa agindo como o contraponto inteligente em uma cidade de idiotas. Bacaninha, mas nada que me faria rir.

    • Na verdade Peter fala "Segundo a Secretaria de Educação do Estado do Kansas sou obrigado a mostrar a visão alternativa da origem da vida". É uma referência DIRETA a um caso famoso que deu início a toda essa briga, portanto É SIM humor com pré-requisito. O que a tradução fez foi orkutizar para as massas a piada, tirando sua força. GOTCHA!

      • Rafael Borges

        Você não entendeu meu comentário.

        Eu nunca disse que a piada do Family Guy não era humor com pré-requisito. Perceba que antes de introduzir a fala, eu disse "Não estou dizendo que 'Humor com Pré-Requisito' é ruim", seguido do exemplo citado. O fato de eu não ter lembrado o diálogo exato não é relevante para a minha argumentação. O que eu quis dizer é que humor com pré-requisito não faz uma piada ficar automaticamente engraçada. Tanto Os Simpsons quanto Family Guy usaram o mesmo set-up, mas ainda assim Family Guy conseguiu me agradar bem mais do que Os Simpsons.

        Em outras palavras, a piada é que dá graça ao humor com pré-requisito, e não o contrário.

        Entendeu agora?

    • Estudos psicológicos mostram que achamos mais graça de algo quando outras pessoas não entendem.

      Não é ninguém querendo aparecer porque entendeu a piada, é apenas achar engraçado. O fato de ninguém entender dá um Up.

      assim como dou risada com o Stewie parodiando Rocketman ou qualquer outra coisa que eu já tenha visto. Sabendo que ngm mais viu, é mais engraçado ainda.

    • Mauro R.V.

      "tipo aquele tiozinho no cinema que dá risada em uma cena sem graça só porque ele sacou qual filme tal cena está parodiando."

      Ué? Voce achou sem graça mas o tiozinho pode ter achado a cena engraçada!

      Mania do povo de ficar rotulando os outros… :-P

      • Rafael Borges

        Quer dizer que você nunca conheceu alguém que dava ou já deu risada só pra mostrar que entendeu? Sorte tua.

        • Mauro R.V.

          Eu rio porque acho engraçado.

          Se tem gente que rí para mostrar pros outros, caguei. :-)

  • Rafael Borges

    "[…] ou o pessoal mostrando o quanto Homem de Ferro 2 é uma bela porcaria comparado com o filme imaginário que só existe no delírio esquizofrênico aprisionado em suas mentes[…]"

    Bom, comparado ao primeiro filme, Homem de Ferro 2 é bem ruinzinho. Ficou parecendo que toda a trama foi picoteada e expremida ao máximo só pra dar tempo de acomodar uma perseguição aérea de 15 minutos entre o Homem de Ferro e aqueles 20 robôs.

    • Gabi

      Eu gostei.

  • eu vejo isso a todo momento, gente criticando coisas como crepusculo ou banda restart sem nem mesmo terem assistido ou ouvido, eu tambem nunca vi mas tambem nunca critiquei. Agora o que mais me irritou nos ultimos tempos foram muitas pessoas inclusive da imprensa esportiva que meteram o pau na convocação do grafite pra seleção, essas pessoas não veêm ele jogar desde de 2005 quando ele jogava no são paulo e com certeza não sabem o que é bundesliga, um campeonato onde ele foi melhor jogador e artilheiro

    • Lucas

      Bom, eu ouvi algumas músicas (músicas???) da banda restart e vi um dos filmes do crepúsculo:

      Duas merdas. Fuja.

    • Aranha

      Cara, sobre o crepusculo eu posso te dizer, li o livro (forçado) e assisti alguns minutos do filme (não consegui assistir todo, nem broke back mountain é tão homossexual quanto crepusculo. Nem Priscila a Rainha do Deserto é tão boiola quanto este vampirinho baitola). É UMA MERDA. Mas não fica por ai, o problema não é o vampirinho ser baitola, isso é problema dele e da autora, o problema é que o troço é chato mesmo. Além de querer falar com vocabulário igual da epoca do Shakespeare (é assim que se escreve?) o cara é maçante. Pior que novela do SBT, terrivelmente adocicado e mesmo assim sem sabor, pura agua com açucar… Sabe o mocinho da novela? Exacerba ele à milésima potência e tu nao chega perto…. Acho realmente um crime um livro e um filme desses. Por isso que menina de 14-15 anos que já não tem nada na cabeça fica mais iludida ainda….

      E ainda por cima a autora não conheçe NADA sobre o mito dos vampiros PORRA!!!

      Vampiros NÃO brilham a luz do sol, vampiros viram churrasco a luz do sol… churrasco não, cinzas. E outra, o único vampiro do "bem" que conheço é o Blade, que é um vampiro que mata outros vampiros…

      Quanto a restart…….. PQP, olha essa foto mano: http://www.sonzeira.com.br/musica/opt/apache/htdo

      Tu acha que alguém assim merece respeito? Tu acha que quem ouve qualquer coisa feita por esses "caras" mereçe respeito?

  • PrimeTime 84

    Concordo com você, infelizmente é muito comum ver esse tipo de boça em fóruns na internet.

    • na verdade é comum ver esse tipo de boça na VIDA, só que a internet (e por tabela o Twitter) dá voz a esses merdas.

  • Júlio C&eacut

    Essas 2 imagens em sequencia dos Simpsons e a sua descrição já foi suficiente pra eu rir demais.

    Texto assim a gente lê e tira proveito. Coisa rara hoje em dia.

    Parabéns.

    P.: Essas 'beliscadas' no Kibe é um toque especial.

  • twilight se encaixa de alguma forma nisso? rs.

    sim eu sou hater de twilight :( não consigo me segurar.

  • Esses dias na van à caminho da universidade comentei com um amigo que iria assistir Alice 3D com a namorada. Um sujeito que nem conhecia para a leitura que supostamente está fazendo pra dizer que qualquer filme 3D não valia a pena o ingresso. Eu perguntei o motivo daquela afirmação e a que filme ele teria assistido para dizer aquilo. O cara respondeu que ainda não tinha assistido à nenhum, mas que achava os "óculos vermelhos e azuis" um lixo. Depois descobri que ele faz o mesmo curso que eu e pensei "Ufa! Menos concorrência competente".

  • Joãozinho

    Apesar de gostar de simpsons, e acompanhar desde as primeiras temporadas, confesso que os tais "haters", tem um pingo de razão, já que o seriado vem perdendo a força com o tempo, investindo as vezes -nem sempre- em humor fácil e roteiros previsíveis, nada contra, provavelmente pra atrair mais público, mas acaba por ser meio cansativa. Mas confesso, acho family guy superior, não por criatividade ou referências culturais "elitistas", acho que eles empatam em tais, mas o humor escrachado assumido combina com meu gosto.

  • Na minha opinião gostar de algo é suficiente, gostar muito é sinal de um bom trabalho que foi feito, mas ser fã (como as pessoas são e que, argumentanto sob este aspecto) é absurdo demais.

    Deixada minha opinião, haters, como passo chamar agora para certa contextualização são idiotas pelo simples fato de não gostar porque todos gostam, e de gostar porque poucos gostam. Os demais argumentos deixo por conta do texto escrito pelo Cardoso que, mesmo sendo um tanto prolixo, argumenta de forma mais ampla.

    Em certos pontos, mais chato do que tudo descrito pelo Cardoso, é ver gente que se diz "mente aberta" agir tão infantilmente.

    É frustante, mas vamos ter que conviver com isso sempre que houver coisas novas, ou com estigmas como o caso do Linux, como o caso do Ipad, ou qualquer coisa que qualquer babaca com QI de um mexilhão critique sem ao menos experimentar.

  • O que não gostei de Lost (não vou soltar spoiler sobre o final), foi quando mudaram o foco da parte Científica (Dharma, energia eletromagnética, etc), para um mais "Místico".

    Pra mim perdeu a graça, pq explicações sobrenaturais, qualquer um cria. Oras, pode ser qualquer coisa, não há limites. Se vc se prende a algo com um mínimo de lógica, mesmo que teoricamente não seja possível, sempre é mais difícil, mas tb é mais interessante.

    • Bruno

      cara, não tinha como dar outra explicação. logo lah na terceira temporada, acho, o pai do walt tenta se matar batendo a 120km/h em um muro de concreto sem cinto e airbag. Não tem como dar uma explicação cientifica pra isso.

  • Leonardo

    Aqui no trabalho tem uma variação do hater, é o "não gosto do que a massa gosta". Se hoje todos estão falando em Lost, ele tuíta #cagueipralost, se amanhã tem um jogo importante de algum time daqui, ele feicibuqueia "jogo do tricolor? vou ver os playoffs da NBA" e assim por diante…

    É daqueles que gostam de dizer que não bebem Pilsen, só Weiss…

    • Lucas

      Também, todos sabem que beber pilsen no brasil é beber água com corante

  • Não vi Lost. Passei 6 anos ignorando as pessoas correndo no Acre. Desconheço o final da série, e não vou morrer por isso.

    Eu vi Iron Man 2. E convenhamos, tá delicioso. E quem falou mal do filme esqueceu o horror – que até hoje me deixa traumatizada – em 4 capítulos, chamado X-Men Live Action.

    Não gosto dos Simpsons. Pode ter suas tiradas sagazes, mas… Não.

    South Park, eu vi até o filme, depois ficou xoxinho.

    As outras séries/desenhos/whatever citadas, desconheço.

    E você pode recomendar mil vezes, outros podem insistir outras mil. Não ligo. Se eu uso meu precioso tempo pra ver algo, é porque aquilo me atrai. É pessoal e particular, como diz o Seu Jorge. Os outros não são componentes desta jóia que chamo humildemente de "minha mente".

    Sorry, Cardoso, mas essa de "preste atenção no que te recomendam" é balela. E "preste atenção quando muita gente fala" é pior ainda. As pessoas costumam falar muito, e geralmente, elas não tem nada a dizer.

    A gente assiste o que chama atenção da gente, não porque os outros falaram – bem ou mal. Acho que tá na hora do povo parar de tentar influenciar opiniões e gostos alheios, porque no fim das contas, cada um faz o que quer. E porque quer, não porque virou Trending Topic.

    Você descreveu muito bem os haters, mas podia ter deixado essa do "confie no povo do 'Compre Batom' " de fora.

    • Eu nunca quis assistir LOST, sempre evitei, por que achava que era barulho das massas. quando fui ver por vontade própria nunca mais quis assistir outra coisa. mas o papel de HATER nunca me fez parte.

    • se algo chamou sua atenção foi porque você viu falando em algum lugar.

      grato

      • Ou não. Porque muitas das coisas que nos atraem, pegamos de surpresa. E normalmente, a gente não sabe delas antes daquele momento.

        Prova? Eu duvido que alguém comece a namorar porque todo mundo falou "bem" da pessoa.

        • mas se um monte de gente disser que uma guria é boa de cama você vai querer comer.

        • Eu sinceramente prefiro as que não atraem toda essa atenção, Cardoso. O.o

      • Marcos Paulo

        Prova.No meu caso foi o HQ de The walking dead. Eu nunca tinha ouvido falar e encontrei a serie em um site de HQ's online por acaso e comecei a ler pra saber o que era. Adorei o que vi e continuei. Só depois de ler 85 edições é que eu notei que aquela serie estava em destaque ja a tempos. Até a serie de TV estava sendo feita. Não comecei a gostar por conta de uma massa e sim pq por um acaso trombrei com a serie.

  • Eu não vejo séries americanas. Os episódios das que já vi não me atraíram, nem as de humor, as de suspense, policiais, nada. Só vejo mesmo Os Simpsons, que muitos se limitam a dizer que é desenho e por isso é coisa de criança (vide a Rede Globo que insiste em passá-lo no horário infantil). Family Guy e outros eu também assistia, mas mudou de canal e não acho mais. Na verdade, tenho até pouca paciência para TV.

    Realmente é ridículo alguém odiar uma coisa sem nem ter visto, tentado, embora haja coisas que não preciso experimentar para saber que não gosto.

    Uma ressalva sobre o i-pad. Só porque vende igual água não quer dizer que seja bom. Antes do seu lançamento já via questionamentos sobre sua utilidade e agora mesmo acabo de ler mais um texto falando disso: http://br.tecnologia.yahoo.com/article/24052010/4

  • kalyl rachid

    Boa Tarde,

    Gostaria do contato do responsável pela publicidade do site contraditorium!

    Obrigado.

    Kalyl Rachid

  • Realmente pessoas que criticam demais a vida alheia, são incapazes de fazer algo decente pela própria, mas convenhamos os Simpsons já foi muito melhor. Não posso afirmar sobre essa temporada, porque não vi nenhum episódio dela mas por opinião própria, creio que os Simpsons nas 6 primeiras temporadas (desenhos toscos, idéias geniais) eram fantásticas, criando até mesmo um nível muito dificil de ser mantido por um longo tempo. Além disso no principio Os Simpsons era um desenho voltado para adultos que com o tempo por chamar a atenção de crianças e adolescentes teve que mudar suas piadas para se adequar ao público mais abrangente.

    Enfim nada disso tira a genialidade de Matt Groening, que mantém uma série por 20 anos que por conta da grande sacada que ao perceber que o Bart estava saturando conseguiu passar para o Homer o protagonismo, algo que pelo menos eu, nunca tinha visto em qualquer outra série.

    • Limao

      Nào amigo pelo contrario, o foco no começo foi as criancas (Bart era a estrela) só quando hommer virou o astro é que a tematica ficou mais "adulta".

  • Danilo

    So temos q tomar cuidado pra nao sair usando o termo haters onde ele nao cabe. Ja fui chamado de hater por um fanboy da Apple por apontar alguns defeitos do iPad. Eu acho o iPad mto "cool" e adoraria ter um. Mas ele tem varios defeitos. pq eu nao teria o direito de comentar sobre eles? Na minha opiniao, fanboys sao tao ruins qnt os haters.

  • Hugo

    Se eu fosse prestar atenção em tudo que me recomendam estaria ouvindo o Rebolation, entre outras coisas.

    • Aranha

      Melhor comentário do post!

    • Resume muito bem o que eu penso.

    • E é para isso que você tem um cérebro, para fazer uma análise crítica do recomendado e aceitar ou não.

      O Post em momento algum diz, goste de tudo que todos gostam, mas sim, preste atenção, e a partir dai goste ou ignore, saber filtrar o que vem de bom em um monte de porcaria popular nos presenteia com muita coisa boa.

  • Nelson Rodrigues já dizia que toda unanimidade é burra,coisa que eu sempre discordei,pois se assim o fosse o que dizer de tanta gente que gosta de respirar,hehe…mas falando sério,eu leio a Veja todo domingo só prá saber o que devo ler/ouvir/assistir,sim,queando eu leio que tal coisa é ruim,vou lá e assisto/leio/ouço,por que ,na maioria das vezes, o troço é bom!!

    Meu termometro prá saber o que é bom é o twiter,se é o assunto mais falado no momento,fujo,vou assistir os Simpsons,que prá mim,é coisa de gênio!!

    Beijos coloridos!!

  • Concordo com o que disseram aí encima – só pelo fato de muita gente falar bem sobre uma das 250 séries-americanas-idolatradas-por-brasileiros, ela não é necessariamente boa. Felizmente gosto é algo subjetivo e pessoal, por isso prefiro seguir meus interesses e ir atrás das coisas sozinho. Confesso que tenho uma tendência em reparar melhor algo que já não é mais novidade e já tenha sido consumido e jogado fora pelas massas. Só fui gostar de Nirvana por exemplo, no começo dessa década. Não sei, mas tenho a impressão que certas coisas sejam melhor apreciadas quando se distanciam no tempo ou da boca das pessoas. Quem sabe em 2020 eu assita "Lost". Esqueçam os haters, gente do contra sempre vai existir.

  • "Como o iPad é uma bela porcaria, apesar dos dois milhões de unidades vendidas e dos 200 mil novos exemplares que saem das lojas da Apple a cada semana"

    Ok, mas eu posso continuar achando o iPad uma bela porcaria, desde que eu não encha o saco de meio-mundo falando que ele é uma porcaria sem argumentos. O fato de algo vender ou ser assistido por muitos não quer dizer que eu não possa odiar.

    • Márcio Dias

      O fato de algo vender ou ser assistido por muitos não quer dizer que eu não possa odiar….

      Amar e Odiar. Esse é o ponto do 'post'. Quem avalia o que ouve, assiste, lê, degusta, aprecia E tem uma opinião racional, formada a partir de uma certa lógica contra ou a favor do que está se apresentando, merece crédito e respeito por sua opinião. Pode até ter uma relação passional pelo objeto consumido, mas não deixa essa paixão ser mais importante do que suas razões quando for recomendar ou sobre o assunto. 'Fan-boys' e 'Haters' tem essa premissa invertida. Sua paixão sempre supera sua lógica.

    • Você não precisa odiar, por que não simplesmente argumentar e dizer porque X não serve para você? Porque essa necessidade de amar/odiar empresas e produtos?

  • Eu acho que são duas posições que eu acho extremamente chatas, os haters que acham que nada presta, que não sei o que lá era melhor. E quando é ocorre o oposto, aquelas pessoas que acham que tem assistir ou ler algo que está todo mundo adotando. Sabe aquela postura do tipo: "ah você não escutou a última bandinha que vai salvar o rock essa semana? Em que mundo você vive?" ou do tipo "Você ainda não lei o best-seller tal?" sempre com aquela postura de que você tem que adotar a última modinha?

    Eu acho que você tem que procurar conteúdos com os quais você tenha identidade, que você sinta que vai adicionar alguma coisa para você que você esteja buscando. Sei lá tem dias que eu acho que ver um filme mais cabeça pode ser aquilo que eu realmente precisava, tem dias que ver um filme daqueles de aventura com um belo show de efeitos especiais e um enredo porco possa ser o que eu precise para relaxar.

  • Lost é um caso interessante, onde haters e amantes da série são igualmente babacas.

    Já teve gente me chamando de burro porque não gosto de Lost… Achei a série pretensiosa e parei na primeira temporada.

    – Ah, é porque você não entendeu o que os roteiristas queriam fazer com a série. Lost não é pra qualquer um.

    Sifufer né?

  • hh

    Haters gonna hate.

  • Felipe Decker

    O problema dos haters e fanboys é a mentalidade de criança na hora do almoço: nunca comeu, mas faz manha por que não gosta.

  • Marcello

    Cardoso, estranhei o fato de você ter escrito este artigo com um viés "auto-ajuda". Esse definitivamente não é o seu estilo.

  • Aranha

    "…e como o iPad é uma bela porcaria, apesar dos dois milhões de unidades vendidas e dos 200 mil novos exemplares que saem das lojas da Apple a cada semana…."

    Nem terminei de ler o post ainda, mas vim só dizer que SIM, o iPad É uma merda pútrida e fétida.

    Agora deixa eu terminar de ler o post que termino de comentar…..

  • Aranha

    "…somente idiotas veriam tal programa…"

    Zorra Total???

  • Limao

    Adoro ser Harters, por conseguencia odeios Harters, cambadade de modinha sem talento.

    • Limao

      Alias meu filme favorito é Clerks, Clerks II(o balconista) um exemplo a seguir por qualquer Haters que se prese.

  • Eu adoraria perder tempo pensando e criando todo aquele suspense e perguntas sem respostas que LOST nos proporcionou. Algo espetacular. Ou então derramar todo aquele humor escrachado de South Park. Ah… eu queria mesmo!!!!

  • Concordo com o artigo.

    O pior de tudo é que certas pessoas não compreendem que elas podem gostar ou deixar de gostar de qualquer coisa e que isso é apenas a visão DELAS.

    As outras pessoas têm todo o direito de pensar e ver o mundo de forma diferente, quer seja essa visão a da maioria ou não.

    É justamente essa compreensão que diferencia os inteligentes dos idiotas.

  • O Cardoso realmente sabe criar temas polêmicos, e entenda isso positivamente.

    Infelizmente, uma parte das pessoas esclarecidas pode levar essa tarja (hater) injustamente. Com o movimento das massas por ferramentas realtime, como foruns, blogs, twitter, etc. O mundo vai caminhando para a homogeneidade. E eu concordo que "a unanimidade é burra". Sempre uma critica pode ser levada para o lado pessoal, e o critico considerado um partidário. Particularmente eu não gosto do Lula, Twitter, CQC, Pânico, Lost e (pasmem) futebol. Porém, sou fanático pelos Simpsons, 24 horas (seriado), Tablets (iPad), etc…

    Acho que o erro está em usar do exagero. Me sinto muito constrangido quando estou em um bar e me perguntam sobre futebol ou sobre as maravilhas do governo Lula, ou ainda qual minha opinião sobre casais gays que adotam crianças. A cada dia tenho mais medo de dar minha opinião, afinal, os índices sempre mostram que a população AMA ou ODEIA tudo sempre acima dos 80%. A Rede Globo tem 80% de audiência, Lula tem 80% de popularidade e o redtube tem 80% da banda do país… Perai… Vamos buscar um equilíbrio.

  • Então, eu acho que você generalizou. Eu não gostei do final de Lost… não pelo episódio em si, que foi belíssimo, mas por este episódio não condizer com a imensa maioria dos outros episódios. Enfim, eu poderia enumerar uma série de motivos pelos quais eu não gostei, o que faz que eu não me enquadre na categoria dos haters, até porque não me arrependi de ter acompanhado a série por tanto tempo, não acho que quem gostou é retardado e adoro Simpsons, *rs*.

    Depois que o baque inicial passou, lendo fóruns e, principalmente, a teoria de um cara da Bad Robot que encontrou na própria série explicações para os mistérios que muitos julgavam não revelados, acabei simpatizando um pouco mais com o final, e pretendo assistir tudo de novo pra formar definitivamente a minha opinião.

    Assim, eu concluo que, quem gostou do final imediatamente, sem questionar nada, ou tem um senso de percepção muito bom (como o cara da Bad Robot) ou se enquadra na categoria da "unanimidade burra", como alguém citou em um comentário logo acima. Esses último seriam os lovers, que são tão odiáveis (haha) quanto os haters por não terem absolutamente nenhum senso crítico… basicamente o público alvo de novelas, Zorra Total e afins – digerem qualquer coisa que lhes enfiem goela abaixo.

    Da mesma forma que os haters dizem que quem assistiu Lost perdeu seis anos de vida, os lovers dizem que quem não gostou do final foi porque não entendeu, porque "Lost é para poucos"… só por Zeus, né não?

    Quanto ao "já foi bom"… quando eu considerava Lost um seriado fodástico eu elogiei muito (diferente dos haters que você citou, que não elogiam um programa em seu auge), quando achei que a qualidade caiu, eu comentei sobre isso… não acho que virou um lixo, mas que a qualidade caiu, caiu (assim como caiu em Simpsons). Tão imbecil quanto descer a lenha em tudo é se negar a enxergar o óbvio só pra poder defender um programa ou produto do qual você sempre gostou.

    Bom, o que não dava pra esperar é que uma série como Lost fosse amada por todos, ou odiada por todos. E agora não dá pra dizer que todo mundo que não gostou é idiota (como os lovers fazem) ou que todo mundo que gostou é idiota (como os haters fazem). A série sempre dividiu opiniões e não seria diferente no final.

  • Simpsons: gosto deles e vejo sempre que posso. Gosto de muitos seriados, principalmente de ficção científica. gostei dos homens de ferro 1 e 2.

    Avatar: Gostei demais. Isso é ficção científica pura, que Frank Herbert, Robert Heinlein, e Jack Vance teriam adorado escrever.

    Sem dúvida merecia uma seqüencia, com os terrestres voltando para destruir tudo, como os livros nos ensinam que tem acontecido na História das civilizações.

    Lost: eu só vi a primeira temporada completa (da qual gostei e foi algo que me fez criar espectativas quanto ao seu desenvolvimento) Mas… odiei o maldito fim de temporada do seriado, quando vi que parou na maldita porta do do maldito porão, me deixando a ver navíos frente da TV.

    Pretendia ver todas as temporadas (sim, apesar de tudo – como disse Schiller: "Não me envergonho de mudar de opinião, porque não me envergonho de pensar") mas infelizmente meus compromisos impediram-me continuar.

    Star Trek: adorei o filme, apesar de considerar-me, pela minha idade, "viúva do Kirk". Trekker que é trekker não tem (ou não DEVE ter) esse tipo de preconceitos.

    Quanto ao "não vi e não gostei" sou contra essa mentalidade. Há um site de pretensos trekkers (Cardoso já deve ter sacado a quem me refiro) que se divertem odiando o seriado "Enterprise" que eu vi e gostei demais, o que me levou a lamentar seu cancelamento.

    Concluindo:

    Não posso detestar o que não conheço.

    É isso.

    @Sarracena

  • ?

  • Edmundo

    Lembro-me de um tipo de hater que conheci, que, como não conhecia o termo hater, chamava de "Filo da Puta".

    Sua técnica consistia em odiar e desdenhar de algo considerado inteligente por pessoas consideradas inteligentes. São uma praga nas universidades. Por favor, não confundam com as pessoas que questionam o gosto hierarquizado ("meus professores gostam, logo devo gostar"). Os filo-haters (melhor que Filo da Puta, não?) falam mal do que é inteligente para parecer mais inteligente. De Chico Buarque à Eric Hobsbawn, de Van Gogh à Felini, de Aristóteles à Monty Python… só escapam dos seus comentários aqueles que eles consideram que não são inteligentes o suficiente para serem citados (Legião Urbana, Chaves, CQC…).

    Ao contrário de outros haters, eles não estão interessados em te xingar pelo seu gosto, e sim em mostrar que te despreza. Soltam seus comentários seguidos de não-sorrisos blasés e, caso vc queira discutir seus pontos, dão uma tragada em seus cigarros e soltam um "…".

    • Mauro R.V.

      Haha! Descreveu com precisão uns tipos que eram muito comuns no "baixo Gavea" nos anos 80 que eu chamava de intelectuerdas de bar.

      Eram uns tipos que quando alguem discordava e/ou contestava sua "ideologia", olhavam com ar de desdém e diziam coisas tipo "coitado, é um alienado". Gostavam de usar oculos escuros (à noite) iguais aos do John Lennon e ficavam desfilando com algum livro escrito em russo. Eles devem ter gerado descendentes… :-D

  • Ronan

    hahahahahahaha … venho disperdiçando meu tempo com OS SIMPSONS a anos, e me sinto ótimo com isso !

    Parabéns pelo blog!

  • Bruno

    Oi, tudo bem.

    Entrei no seu site e tenho uma proposta de monetização para o mesmo.

    Estamos formando um grupo de anunciantes e que será muito lucrativo para os webmasters. Estaremos fechando o grupo quando atingir o número desejado. Por favor entre em contato o mais rapido possível.

    E-mail/MSN: brunopezaumbr@hotmail.com

    Att,

    Bruno

  • Quanta incoerência destes haters. Lembro-me quando foi lançado o filme "Avatar" eu elogiei o longa e fui metralhado no Twitter por gente que ficou acordada até meados da madrugada esperando Avatar perder o oscar de melhor filme. Eles se autodenominam como "anti-modinhas". Só discordo em um ponto do @Cardoso: quando o programa, filme, ou seriado fica ruim ou perde um prêmio, daí sim começa o chilique nervoso, e não acho que eles digam que "antes era bom".

    Essa trupe deveria ter um cérebro artificial.

  • Felipe Medeiros

    Existem trocas de opiniões que não levam a coisa alguma. Assuntos medíocres sendo colocados à batalha – Chegar ao ponto de criticar críticas é de uma pequenez absurda. É querer ser imparcial, coisa que esse tipo de blog não é.

    Sei lá, está faltando bons escritores de resenhas críticas. O que vejo é uma boiada se agarrando a embasamento nenhum, escrevendo coisas desnecessárias. Os blogs já foram mais interessantes…

    Porra CArdoso!

  • Vejo que isso não acontece só com seriados, os usuários de linux fazem isso, os de windows fazem isso, com produtos isso acontece, com a coca cola, com o leite moça, entre outros.

    Ouço gente dizendo que a coca vai desaparecer por que é uma droga e bla bla bla, que o MC Donald's está falido, que o microsoft vai quebrar, que linux é uma merda, que o JOBS vai se ferrar, que a Dysney vai morrer.

    Quer saber? Entra por um ouvido e sai pelo outro(se entrar…)

    :)

    Adoro os Simpsons e Family Guy também… E outros…

    Aline

  • Fernanda

    Esta é uma discussão bastante polêmica e foi muito bom você tocar no assunto. Sempre desconfiei da massificação cultural acerca do que é bom e o que não é bom, visto que somos mundos complexos, com repertórios de vida, traumas, recalques e monumentos históricos de vivência e experiências ímpares. Concordar com a maioria é relativo: assim como posso ter a mesma opinião da massa de que, por exemplo, Os Beatles foram e são até hoje um fenômeno mundial, não quer dizer que não possa gostar também de Rolling Stones e, também, não quer dizer que, em outras ocasiões possa ir contra o que a maioria acha bom. É a mesma analogia feita pelo dono do post, quando ele fala que os fanboys dizem que não se pode gostar de Simpsons e Family Guy ao mesmo tempo. Na época em que Avatar estava em cartaz nos cinemas, vi, ouvi comentários de amigos que foram assistir e de pessoas em geral e li críticas positivas sobre o filme, e prêmios que estavam programados para a obra. Confesso, com um certo preconceito e já com uma impressão pré-definida de que não iria me agradar, e também pelo fato de a maioria tê-lo elogiado, que fui assisti-lo, mesmo assim, para ter uma melhor impressão e não me precipitar em uma opinião sem conceito e vazia. Resumo da ópera: Não gostei do que vi e não acho que deva ter uma opinião formada sobre tudo. Prefiro ser uma metamorfose ambulante. Acho que a discussão a respeito dos assuntos que chegam até nós pode ser uma soma ou uma arma e, feita com discernimento, democraticamente e sem empecilhos só expandirá as mentes. Gostar de algo ou não é realmente algo bem individual, peculiar e particular. O importante é conhecermos bem a nossa pessoa, o nosso espelho, os nossos gostos, porque aí economizamos tempo, dinheiro e gastamos menos saliva.

  • Pingback: Você Tem o Direito de Concordar Comigo | O Fim da Várzea()

  • O final da série revoltou, isso sim!

  • primeiro acesso e talvez o ultimo ou não? gostei do post antes de tê-lo lido, ou não.

  • Sou da Zona Norte de Porto Alegre

    Parabéns pelo blog.

    Sempre quando eu posso eu volto aqui.

    Abraços

    zonanortepoa.com.br

  • Alex Rattes

    Mensagem para Alex Popst:

    Em primeiro lugar, desculpem estar usando este site para um contato pessoal e indireto.

    Em segundo, não encontrei outro meio de conseguir comunicação com o Sr. Gerson Popst

    Sr. Alex Popst,

    Se você é filho de Gerson Popst,por favor, passe meu e-mail para êle.

    rattesconex@click21.com.br

    Motivo: -Reatar contatos profissionais.

    Desde já, obrigado e desculpe novamente utilizar esta forma de contato.

  • Jamal

    Tudo o que se trasmite pela TV é uma merda. Toda a mídia é tendenciosa com interesses escusos. Todo o comentário "especializado" é decorrente de uma mente presa a preconceitos de gostos e sabores alheios, pois nada se cria neste mundo medíocre, tudo se copia. Assim, se uma "autoridade" diz que algo é bom isso se torna uma verdade absoluta e quem discorda é execrado. Isso vale, por exemplo, à bossa nova, uma merda sem tamanho, uma porcaria que dá vontade de se matar quando se ouve e todos os intelectualóides dizem que é umam maravilha, que o maestro Tom Jobim era uma sumidade, que o Joao Gilberto é um deus-vivo, que o Caetano é isso e aquilo… tudo uma bosta. NO caso dos programas citados, isso também vale, pois os mesmos são ridículos ao extremo. Parem de recriar o comentário de quem tem compromisso com o lixo e sejam libertos de suas mentes entorpecidas pelos que controlam o mundo e fazem das pessoas marionetes de suas experiências.