Setas, círculos e preconceito na blogosfera

A minha maior crítica à kibeficação da Internet é que assume-se que o leitor é um ser altamente retardado, e precisa ser levado pela mão a cada piada, tudo esmiuçado, explicado e não deixar NADA para esse leitor. A sacada final, que é a melhor parte de qualquer piada, não existe na internet kibeana (que está longe de ser exclusiva do kibe, infelizmente a maioria é assim).

Uma piada contada em um bar:

_Rapaz, fui demitido do frigorífico, me pegaram tentando enfiar o pinto na cortadeira de salame…

_Nossa, bem-feito, ainda bem que te impediram. Mas e aí, tudo bem?

_Mais ou menos, ela também foi demitida…

A mesma piada, contada na maioria dos sites de humor:

_Rapaz, fui demitido do frigorífico, me pegaram tentando enfiar o pinto na cortadeira de salame…

_Nossa, bem-feito, ainda bem que te impediram. Mas e aí, tudo bem?

_Mais ou menos, ela também foi demitida, e cortadeira, você entende, era a função dela, que obviamente era uma mulher, com a qual eu estava tentando manter relações sexuais…

Acha exagerado? É só a versão textual dos “auxílios gráficos” usados em algumas piadas visuais. Você sabe, textos de três linhas com a “parte engraçada” em destaque. Afinal, se o leitor não for encaminhado até onde o humor está, ele não achará sozinho, imaginam.

Quantas vezes você já viu imagens como a abaixo?

Ou estes horrendos círculos?

Isso é realmente necessário? Será que o leitor é tão debilitado mentalmente a ponto de ser incapaz de perceber a ironia nas imagens sem ajuda externa? E se for mesmo tão incapaz, faz sentido perder tempo escrevendo para esse tipo de gente?

Entretanto atacar a ferramenta é errado. Eu insisto que não gosto de círculos e setas explicativas, mas acabei percebendo que a culpa NÃO é dos círculos ou das setas, a culpa é dos humoristas paternalistas que assumem seus leitores como idiotas, ou escrevem para idiotas e acabam explicando suas piadas até o último detalhe.

A setas podem ser SIM um recurso de humor, mas para isso é preciso talento, não ser paternalista e deixar algo para seu leitor. Vejam por exemplo este post do Judão, onde falam sobre a possível (ok, improvável) aparição da Ninel Conde, do RBD (ou RDB? Nunca lembro) na Playboy americana.

Digamos que o uso da “seta explicativa” na imagem foi, em minha opinião, GENIAL.

A lição aqui é que não devemos descartar um recurso apenas por ele ser MUITO mal-utilizado. É como decretar o blogspot como um lixo ser tamanho, só por 90% dos blogs miguchos de lá fazerem parte da categoria “lixo”. Alguns dos melhores blogs do mundo estão no blogspot. Não visitar alguém por “estar no blogspot” é puro pré-conceito e no final vai prejudicar muito mais quem deixa de ler do que quem lá escreve.


Tá ruim pra todo mundo, mas especialmente para sites como o Contraditorium, que vivem de doações. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, mas com essa bactéria dos infernos as doações minguaram.

Prestigie o Contraditorium, faça uma doação via PicPay ou PayPal, ou melhor ainda, mande um Pix para [email protected] Toda contribuição é bem-vinda.

Se quiser, assine meu crowdfunding, torne-se um colaborador mensal e ajude a combater a mediocridade e o mais do mesmo! É mais barato do que você pensa.