Terroristas também sentem vergonha alheia

A região da Palestina[bb]sempre foi conturbada, mas só piorou, em 1947, com a criação pela ONU do Estado de Israel. A complicação parece ser meio hereditária já que a proposta inicial era criar DOIS Estados, um árabe e um judeu mas os árabes se opuseram. Isso deu início a décadas de violência, transformando o lugar em um barril de pólvora. Hoje Israel é apenas algumas várias vezes menos violento que o Rio de Janeiro.

Do lado Palestino a figura máxima foi Yasser Arafat[bb], líder terrorista da OLP e estrategista lendário, tendo sobrevivido a todas as tentativas do MOSSAD em matá-lo. Arafat morreu vendo seu povo se destruindo internamente, com lutas entre grupos e o HAMAS assumindo o poder, voltando a empregas as táticas de violência que ele mesmo havia renunciado, no fim da vida.

Felizmente para ele no Inferno só há Internet[bb]discada, assim não precisa ver mais este desgosto:

Imagine a situação: Você é um militante do Hamas, treina ou está treinando para ser um homem-bomba. Está disposto a dar sua vida por sua causa. Quer ver seus inimigos com medo, suas mulheres e crianças chorando à simples menção de seu grupo. Quer incutir o Temor de Alah em todos os judeus da face da Terra.

Agora imagine que você está em casa, vendo televisão quando descobre que um grupo de militantes da nova geração foi até uma região de fronteira, protestar diante de alguns soldados israelenses.

Está imaginando? Então pense que esses militantes da Nobre Causa Palestina, esses candidatos a mártir foram…

Vestidos de Na´Vi, os THunderSmurfs da Avatar.

Isso mesmo. Esse bando de bucha resolveu se apropriar da mensagem maniqueísta do filme de James Cameron e bagunçar um dos conflitos mais sérios e antigos da atualidade. Ao invés de despertar pena, solidariedade e outros sentimentos que sempre souberam explorar bem, esses zé-manés despertam apenas vergonha alheia.

Se serve de consolo, no filme acima eles tomam umas boas porradas, que é pra aprender a não enfrentar um exército de verdade com pelo menos uma esquadrilha de dragões do seu lado.

Talvez eu seja um saudosista, talvez eu seja um pessimista (ou otimista, depende do ponto de vista) mas quando militantes se interessam mais pela obra de James Cameron do que pela de Andrei Kalashnikov, posso dizer que sua causa está perdida.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Lucas

    Isso sim é terrorismo de verdade!

  • E só fizeram isso porque etava cheio de jornalista. Queria ver forçar a barreira e atirar pedras sem eles lá. Não seriam granadas de gás lacrimogênio que eles teriam levado na cabeça.

  • Eu não sei por mais idiota que possa ser um bando de revolucionário vestido de Na'vi. Eu acho que eles devem ter alcançado o objetivo deles de divulgar esse vídeo, e supostamente a causa palestina. Quem sabe agora no carnaval eles não apareçam na fronteira travestidos de passistas e acompanhado uma bateria de samba.

  • JoaoFPR

    Sinceramente, prefiro pensar em contra-espionagem.

    Imaginem, Israelenses se vestem de Na'vis do Inferno e dizem serem palestinos.

    Evidente que fica patético o que torna a manifestação e por consequência os palestinos uns perdedores aos olhos do mundo.

    Prefiro pensar nisso do que manifestantes de verdade terem feito.

    Ou não.

    • Para mim não eram manifestantes, era um bando de nerds. Lá também há tv a cabo e cinema.

  • Anônimo

    Se todos os "militantes" palestinos renunciassem a violência e fossem pacíficos como esse grupo de manifestantes que você ridiculariza, eles já teriam conquistado o direito a ter o seu próprio Estado.

    Enquanto forem um grupo de boçais violentos que não renunciam ao terrorismo (como Israel fez no passado) vão continuar vivendo na merda e Israel vai continuar aniquilando esses grupinhos terroristas como formigas.

    E queira Deus que o Irã seja o próximo a conhecer a ira divina dos filhos de Abrãao, Issac e Jacó.

    • E que você a conheça antes, nobre colega anônimo.

      • Anônimo

        Não sou terrorista e não apoio grupos terroristas, então não preciso me preocupar com as forças de dissuasão israelenses ou americanas, as quais, eu apoio.

        • "Forças de disuação"…?

          Não sabe do que fala.

          Não sabe o que eu vi quando estive lá.

    • Anônimo

      Os povos devem responder pelas consequencias de seus atos e suas escolhas. Se escolheram eleger um grupo terrorista na Faixa de Gaza, que prega a destruição de Israel, que assuam o ônus de Israel se defender e não permitir ser destruído. Da mesma forma que o Irã em breve vai conhecer as consequencias de violar tratados internacionais contra proliferação de armas nucleares.

      • Imagino que você entregou suas armas para o governo, em obediência a Não Proliferação de Armas de Fogo no Brasil.

        Não precisamos nos defender, estamos no paraíso. Ontem um vagabundo desdentado e sem camisa NÂO apontou um revòlver na cabeça de minha filha e NÂO a obrigou a descer do carro, estragando o feriadão dela na praia.

        Eu devo ter sonhado quando ela me ligou: "pai, roubaram meu carro!"

        Devo ter sonhado, o país de Lula é um paraíso após o desarmamento, não se assalta, não se roubam carros nem de matam pessoas… Assim como o Mundo é após a Não proliferação de armas nucleares. O Afeganistão e o Iraque NÂO foram invadidos, assim como a guerra do Viet-Nam NÂO aconteceu…

        Se não souber do que falo procure no google.

        • Anônimo

          Em que tudo isso se relaciona com o ponto em questão? Mas respondendo um a um: Primeiro, o problema no Brasil não são as armas LEGAIS, mas as ILEGAIS. Não tenho armas em casa, mas se quisesse, a lei me autoriza a tê-las respeitando todas as exigências legais. Porte de arma é um direito de cidadãos em dia com suas obrigações legais. Segundo: o Brasil é mais violento que o Iraque, e a culpa é do governo e ninguem mais. Mais armas por ai nas mãos de uma população analfabeta não vai reduzir o problema. Terceiro: supondo que o mundo não seja o paraíso, ele seria então melhor sem um Tratado de Não-Proliferação Nuclear? Com qualquer republiqueta podendo ter seu arsenal? Acho que não. Quarto: apoiei a guerra do Afeganistão, a do Iraque, a do Vietnam e irei apoiar a contra o Irã. Democracias não se agridem. Então levando as mãos aos céus sempre que tiranos, ditadores e teocracias hostis são obliterados. O pacifismo causa muitas mais mortes que o realismo político, como a história prova com Chamberlain e Deladier entregando tudo que Hitler queria, por covardia, como se o lunático não quisesse a guerra. Os lunáticos sempre querem a guerra, e graças a deus ainda existem grandes nações para enfrentá-los.

  • gabi

    Mas um cosplayer de Na'vi vale mais do que mil homens-bomba :)

    Dá vergonha alheia? Sim. Mas que bom que ainda existem pessoas dispostas a fazer esse tipo de protesto ao invés de partir pra baixaria da guerra.

    • Concordo com você.

      Infelizmente ainda existem "brasileiros(?)" "anônimos", que sentados confortavelmente neste berço esplêndido, apoiam anonimamente aos que partem para a baixaria da guerra, vide o Big Brother do norte e seus comparsas da nato.

      *******

      Um dia vai ser aqui, e quero ver se esses apoiadores de assassinos vão defender este pais, como aqueles povos ditos "atrasados" fazem, morrendo pela pátria.

      Eu me respondo: Não. Vao receber as hordas do mal de braços e pernas abertos, com carnaval e cachaça, porque é isso mesmo que o inimigo da raça humana espera de nós, daqui do Brasil.

      • Anônimo

        Novamente e para ser redundante: apoiadores de assassinos são aqueles que apoiam grupos terroristas que explodem igrejas, escolas, restaurantes, prédios públicos… Adoro os "humanistas" e "pacifistas" que comemoraram o 11 de setembro. E quanto à possibilidade de "invasão" do Brasil, faz-me rir, afinal, democracias não se agridem, estude um pouquinho de história do século 20. Mas se um dia, o Brasil se tornar uma teocracia islâmica, ou neopentecostal, ou se tornar mais uma ditadura bolivariana, eu irei saudar de braços abertos sim qualquer grande nação que venha nos bombardear para restaurar a democracia e a plena vigência do Estado de Direito. Deus salve a América e seus valores "eurocêntricos".

        • Provavelmente você será o governador da província do Brasil, empossado pelos americanos para manter os brasileiros na linha, enviando os dissidentes para as cámaras de gás.

        • Anônimo

          Não existem "governadores-gerais" ou qualquer cargo que o valha em democracias regidas pelo Estado de Direito. E NENHUMA democracia na face da terra envia dissidentes para câmaras de gás. Os "dissidentes" são chamados opositores e eles sequer são presos. Um sistema verdadeiramente bárbaro não é? Humanista é a teocracia do Hamas que torturou e executou os opositores do Fatah após as eleições de 2006 e sepultou as eleições democráticas em Gaza. Quem parece não ter muita tolerância com divergência é você. Parece ser algum crime expor uma idéia que contrarie sua visão de mundo. Ademais se existe algum problema em postar "anônimo", não devia haver essa opção de postagem no site. Que eu saiba, desde que "anônimos" não abusem de sua prerrogativa, difamando, mentindo ou promovendo algum tipo de crime em suas observações, são ponderações válidas. Se não gosta exija cadastro e CPF dos comentadores como o portal Globo. See ya!

  • Pessoalmente estou me lixando para os palestinos e seus inimigos.

    O que me preocupa é aqui.

    Estamos confortaveis demais vendo na TV, o que acontece do outro lado do mundo, e pensamos: "O Brasil é um paraíso", sem pensar nos assaltos, assassinatos, sequestros, trafico de drogas e o crime em geral, até que nos toca.

    Minha mulher foi assaltada no fim do ano, minha filha foi assaltada no dia 13 e levaram seu carro com tudo dentro, minha neta estava dentro do carro e escapou por pouco. A polícia não fez nada, mobilizei alguns vizinhos e o carro apareceu quatro horas depois. Um exemplo de "acontece com os outros, não comigo".

    Ninguém rouba onde não têm o que roubar.

    As "democracias" vão roubar onde há o que roubar. Petróleo no oriente médio, agua… e onde têm muita agua?

    Aqui.

    No passado havia a África para roubar.

    Inglaterra, França, Bélgica, Portugal… diamantes, ouro, escravos…

    Não consigo mais pensar: "acontece com os outros, não comigo"

    Mais tarde mais cedo, os poderosos com sede (de agua e outras coisas) vão olhar para cá.

    E então…

    • Anônimo

      O Brasil é o paraíso para esse governo segundo o qual o país foi criado em 2003 pelo Nosso Guia. 50 mil homicídios por ano mais 35 mil mortes violentas no trânsito criam um caldo de violência bem interessante. Entre os analfabetos e analfabetos funcionais somam 50% da população nos índices, na minha opinião, modestos do IBGE. A parcela da população que possui plano de saúde não chega a 10%, enquanto os outros 90% morrem esperando atendimento nas filas do SUS. Se boa parte da imprensa e da Academia são tentáculos do petismo que preferem cantar o Brasil Grande em vez de mostrar o Brasil real, eu não sou um dos que fazem parte disso. E digo tudo isso, desnecessariamente, em um post que não trata desse assunto.

      Quanto ao que você afirma que "democracias vão roubar onde há o que roubar", você cita contextos do colonialismo e do neocolonialismo como se fossem realidades históricas que pudessem voltar a se repetir sem maiores consequências. Houve duas grandes guerras, houve o plano Marshall, criaram a ONU, acabou a Guerra Fria, não precisa mais temer caravelas e seus espelhinhos. A invasão do Iraque vai muito além da mera busca de petróleo. Petróleo não é um dividendo que pode ser simplesmente embarcado ou guardado em uma carteira. Precisa-se estabilizar um país, criar uma infra-estrutura de extraçao, processamento e exportação, pagar impostos, cobrir os custos de manutenção da máquina, e ainda que se fique com todos os lucros, esperar pelo menos 20 anos para recuperar o trilhão de dólares que foi gasto na guerra e na reconstrução. E até lá as tropas aliadas já terão saído, e se houver algum contrato que seja danoso ao tesouro, cabe ao país de forma soberana rever os contratos. Como o índio de araque da Bolívia fez. Afugentando todos os investidores externos é bom que se diga. Teoria Política é bem mais complexa do que o terrorismo petista tupiniquim e anti-americanismo bocó que é vendido nas universidades. Sequer a Amazônia pode ser "invadida" porque a selva em si em um obstáculo natural a qualquer exército. É o principal motivo pelo qual mesmo com apoio americano a Colombia não consequem aniquilar as FARC. E só gasto meu tempo com esses comentários, primeiro porque me diverte, e segundo porque pode ser útil para alguem que por acaso vier a ler.

  • Robson

    Só faltou terem pintado um alvo no peito e logo abaixo dizendo:

    Atire Aqui!

  • Parabéns webmaster

    É bom encontrar algo inteligente na NET. Ótimo post e o também blog que está excelente.