A Histeria de Sense8 – Como os fãs pirracentos não entendem como a Netflix – Ou o mundo- funcionam

Essa imagem aí de cima é de powerless. É uma bobagem, uma série bestinha e engraçadinha, uma aposta leve no Universo DC Comics. Não deu certo. Não deu certo mesmo. A audiência estava tão baixa que ela foi mais que cancelada, foi retirada do ar com dois ou três episódios ainda inéditos.

Timeless, uma série que eu gosto por fazer mais do mesmo mas muito corretinho foi cancelada E descancelada depois de alguns dias. Agentes da SHIELD, depois de sabotada pela Marvel Cinema e levar uma facada nas costas com o anúncio de Inumanos, para surpresa de todo mundo foi renovada, foi a última série da ABC a ser anunciada. 

Chato? Com certeza, mas faz parte da vida, séries vem e vão, com muita sorte elas conseguem um final digno, não é a regra, não é a norma. Por isso me espantei tanto com o chilique histérico dos fãs de Sense8, uma série que fui um dos primeiros a resenhar e elogiar.




A Netflix decidiu não renovar Sense8 para uma terceira temporada. Chato? Com certeza, mas acontece. Faz parte. Quando o Sítio do Pica-Pau Amarelo acabou eu chorei horrores, me descabelei, mas eu tinha, sei lá, uns oito anos. Me admira ver essa mesma reação de gente com barba na cara e sovaco cabeludo.

Os “fãs” estão irados. A Netflix virou a Vilã da Hora, os proverbiais Homens Brancos Heteros que mandam no mundo aparentemente decidiram, DEPOIS DE GASTAR US$200 MILHÕES NA SÉRIE, que não querem promover paz amor igualdade e diversidade de gênero, bla bla bla.

Estão atacando Stranger Things, 13 Reasons Why e basicamente toda série da Netflix que foi renovada. É uma imensa perseguição à perseguida minoria LGBTTQQFAGPBDSM (acha que estou zoando?). Daí estão planejando protestos com Surubaços e boicotes, só tem um problema:

Se você não tinha relevância para a audiência da série como acha que vai ter relevância em um boicote?

Eu defendo sempre a tese de que quem chilica não consome, fato comprovado de forma mais que suficiente pelas evidências:

 

 

Yes, crianças, esse é o problema de Sense8. Audiência baixa. DESCULPE, eu sei que a Netflix brinca muito no Twitter e tchuns, mas ela não é uma ONG. Ela funciona assim: Você paga a assinatura, ela pega esse dinheiro e produz séries. As que você assiste ela faz mais episódios. As outras, cancela pois se ninguém assiste está jogando dinheiro fora, e corre o risco de você perder o interesse.

A militância está chilicando horrores acusando a Netflix de homofobia, mas eu pergunto, digníssimo militante FILHO DE UMA PUTA: Se a Netflix odeia tanto assim a comunidade pq ela tem uma categoria LGBT no menu e ORANGE IS THE NEW BLACK foi renovada pra quinta temporada antes da quarta ir ao ar?

Eu explico, usando o Google Trends, que mede a popularidade de um termo, e consegue inclusive fazer comparações. Vejamos nos últimos 5 anos, como fica a disputa entre Sense8 e OITNB:

Mesmo comparando com uma série que não tem uma temática exatamente leve, Sense8 perde no mundo todo, com exceção de dois países na África que não faço idéia qual sejam e você também não.

Vamos comparar com outra série da Netflix, que não tem dificuldades de renovação: House of Cards:

Curioso, né? No mundo inteiro House of Cards é imensamente mais popular, exceto no Brasil. Drama político pelo visto é complexo demais pro espectador médio brasileiro, perdemos até para o Marrocos e o Quênia (eu googlei).

Sense8 é, não se engane, uma ótima série, instigante, com algumas ótimas sacadas e personagens tridimensionais, mesmo o galã latino secretamente gay, que deveria ser alívio cômico, é tão real que a gente se preocupa genuinamente com ele, mas não é pra todo mundo.

Deuses Americanos é uma série FANTÁSTICA, uma versão excelente do magnífico livro de Neil Gaiman, e por isso mesmo não é pra todo mundo. Eu não aconselho que você veja com sua mãe ou sua avó, por mais que um sujeito com a juruponga entumecida explicitamente rígida flutuando no espaço sideral faça todo o sentido na história, não é pra todo mundo.

O problema de Sense8 não é nem que não seja pra pra mundo, o problema é que como sempre quem chilica não consome. Quanto mais militante e lacradora a série mais ela se afasta do público médio, mais ela é incensada na internet e MENOS ela é assistida, pois os militantes querem se divertir com séries comuns E caçar momentos problemáticos, para poder postar textões indignados, compartilhando em sua câmara de eco sua consciência social e virtude.

O Brasil é o país que mais assiste Sense8 no mundo, é uma espécie de Orkut Gay (eu sei). Mesmo assim se formos comparar com The Walking Dead, este é o resultado:

Sense8 é massacrado. é um produto de nicho, feito para um nicho que não consome, que pega a conta do amigo emprestada, usa o Netflix da família ou apenas pirateia. E pior, não comentam, não divulgam. Esses dados do Google não são de audiência, são de buzz, de quanto a série é comentada na Internet, em posts, artigos, comentários.

“Ah Cardoso você só comparou com série grande”

OK, vamos pegar aquela bosta, 3%, a distopia de um futuro pós-apocalíptico onde o mundo é controlado por gerentes de RH. Como Sense8 se sairia contra uma série brasileira feita com orçamento de conserto de geladeira e chata pra porra?

Isso mesmo. 3% em seu lançamento conseguiu gerar MAIS interesse online do que Sense8 em seu Especial de Natal, lançado quase 2 anos após o final da primeira temporada, com os fãs doidos atrás de conteúdo novo.

Como Sense8 se sai em escala mundial contra… Rick and Morty? Sim, um desenho meio cult, para adultos, sem piadas óbvias ou personagens fáceis?

No começo do ano, sem avisar eles lançaram o primeiro episódio da 3a temporada de Rick and Morty. Do nada, subiram pro YouTube e pronto. Você consegue identificar no gráfico? Pois é.

Ou seja: Sense8 é uma boa série, mas de nicho, com público restrito custa muito caro, é filmada em 13 países, a logística disso é insana. Estima-se fácil mais de US$100 milhões por temporada. Vamos fazer as contas:

US$100 milhões dá R$324.830.357,00.

A R$20,00 por assinatura para o Brasil bancar Sense8 (já que só a gente assiste essa merda) precisaríamos de 16.241.517 assinantes de Netflix. O Brasil tem 18 milhões de assinantes de TV a cabo.

O Brasil sozinho não bancaria Sense8, que dirá pirateando descaradamente.

Sense8 foi cancelada por ser cara demais e ter audiência de menos. Quer saber quem foi cancelada por esse exato mesmo motivo? Marco Polo. Quer ver Sense8 comparada com Marco Polo?

Ou seja: No mundo todo, menos na Terra da Jabuticaba, Marco Polo era bem mais popular que Sense8, e continuou acima da média mesmo tendo sido cancelada em Dezembro de 2016. Eu não via a série, mas só li coisas boas sobre Marco Polo, os únicos problemas foram a qualidade, que caiu na segunda temporada, e o custo, que era muito alto.

Nada pessoal, apenas negócios, coisas que os floquinhos pirracentos têm dificuldade em entender, e pelo visto até quem se diz profissional também tem. Daí este piti digno de criança merecedora de uma Avaiana de Pau:

Um sujeito do tal Ligado em Série,  que eu não acompanho mas imaginava cobrir cultura pop de forma profissional escreveu uma enorme pirraça, um textão INDIGNADO pois Sense8 ficará sem final. E “a Netflix tem dinheiro”.

Sério, Bruno, você vive de mesada? Você tem noção de como funciona o Mundo Real, onde dinheiro é trocado por produtos e serviços, e se o consumidor não comprar seu produto sua empresa fecha? Na boa, menos séries lacradoras, mais O Sócio, com o Marcus Lemonis.

O argumento dele é que Sense8 era “complicada” e a Netflix sabia disso. Sim, claro que sabia, a Netflix fez uma aposta, e não deu certo. Como a NBC apostou em Supergirl, a ABC CBS apostou em Agente Carter, e tantas outras séries canceladas ou desalojadas. Vamos a uma lista de séries legais que muita gente gostava, mas que foram canceladas:

  • Twin Peeks
  • V (de 1984)
  • V (a nova)
  • Túnel do Tempo
  • Deadwood
  • Space: Above and Beyond
  • Farscape
  • Firefly
  • Crusade
  • Pusing Daisies
  • Terminator: The Sarah Connor Chronicles
  • ALF
  • Sliders
  • Constantine
  • Kyle XY
  • Flash Forward
  • Terranova
  • Dead Like Me
  • Reaper
  • Mork and Mindy
  • My Name is Earl
  • Quantum Leap
  • Alphas
  • Stargate Universe

Já deu pra dar uma idéia né?

Vou te contar um segredo, Bruno: O mundo não é justo, mas se você tem um bar, faz um Mês do Karaokê e no segundo fim de semana percebe que as mesas estão vazias, você não continua com o evento até terminar o mês.

A Netflix não te deve nada. A Netflix deve aos assinantes conteúdo de qualidade, e eles votaram com seus olhos e seu tempo: Sense8 não é o que querem assistir. Seria no mínimo irresponsabilidade pegar US$50 milhões e fazer meia-dúzia de episódios pra “terminar a história”. Quer ver o final de Sense8? Faça como seus amigos do Facebook e escreva uma fanfic.

Aqui no mundo real episódios custam dinheiro, muito dinheiro e qual a lógica de gastar o dinheiro de meia temporada de House of Cards pra agradar meia-dúzia de chiliquentos que não tinham nem a decência de assinar o serviço?

Não estamos falando de TV aberta que depende do humor de anunciantes. Nós estamos DIRETAMENTE financiando essas produções. Quem investiu 23 horas de sua vida em Sense8 merece o fim da história, gostando ou não.

Desculpe Bruno, mas de onde você tirou isso? ASSUMINDO que você paga sua Netflix, quantos porcento da sua assinatura vão pra Sense8? Você só assistia Sense8? Seu dinheiro é pulverizado e distribuído entre vários centros de custo, produções originais é apenas um deles. Eu não quero que isso vire moda, ou daqui a pouco algum leitor vai reclamar que estou gastando o dinheiro das doações em mulheres rápidas e cavalos lentos.

Quando você crescer, Bruno, vai descobrir que séries canceladas sem final são a regra. Se um programa de TV custa mais dinheiro do que rende, ele é cancelado, THE END, do mesmo jeito que nenhum taxista cobra R$50 por uma corrida onde gastará R$60 de gasolina.

Eu amo TV, Bruno, muito mais do que você, a TV é minha amiga, minha babá, minha professora, mas eu sei que ela é uma empresa. Eu sei que um programa precisa de audiência, que as contas precisam bater no final do mês. Por isso Supergirl foi cancelada na NBC, foi para o CW e agora é o segundo programa mais visto do canal. Escala. No mundo dos pequenos canais a cabo ela consegue uma excelente audiência, mas uma fração do que conseguia no mundo das redes abertas.

Sense8 não foi cancelada por homofobia de homens brancos malvados, Bruno e milhares de outros chiliquentos. Sense8 foi cancelada por causa de VOCÊS, ditos fãs, que não promoveram a série, não falavam um “a” sobre ela e se achavam os espertões do Torrent, o fodão do roubei a senha de netflix da minha tia. A gente colhe o que planta, e você jogaram sementes de nada no deserto.

Parabéns aos lacradores, espero, sem esperança, que tenham aprendido a lição.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Leticia

    bem, eu pago a netflix.
    e não é o plano mais barato ñ.
    não vejo mal algum as pessoas que gostam de uma série pedir que ela volte. isso já aconteceu antes.
    chamar as pessoas de pirracentas é falta de respeito com os fãs da série.

  • jefa

    Eu tava concordando até chegar na parte onde a culpa é dos fãs q nao divulgam. Eu sou cliente, não sou funcionaria da netflix. Não me sinto na obrigação de divulgar nada! A empresa q deve se esforçar e atrair novos telespectadores.

  • Hugo Borges

    Cara, nem precisava fazer esse texto, isso era óbvio mas hoje em dia é moda reclamar de tudo, sem motivo. Também sou assinante da Netflix a anos e só por terem gravado “Sense8” já devem ser parabenizados pela coragem e pelas críticas ao preconceito que existem na trama.

    Eles ainda insistiram e fizeram uma segunda temporada, poxa, e ainda chamam eles de homofóbicos? Eles tentaram, gastaram grana e o investimento não está dando lucro, é a vida. Bola para frente.

  • Fernando Souza

    é , foi e sempre será uma falta de respeito não terminar algo, por um fim, nem que seja um especial gravado no quarteirão de casa. Mas enfim, bla bla bla nenhum vai fazer a série prosseguir , e se eles resolverem ter respeito e consideração pelos espectadores e fãs vai ser ótimo. Senão ces’t la vie….

  • Renan Rebeque Martins

    Cardoso, te acompanho há anos e li todos os comentários desse post e não te reconheci. Será o peso da idade batendo? Que remédio vc está tomando pra se dar ao trabalho de responder tanto chilique? Cara, me passa teu fornecedor. ;)

    • Ele está certo. Ao responder, gera mais Buzz, mais replicas, treplicas, compartilham e trazem mais views para o site. Já deve ser um dos artigos mais comentados do site.

      Business Kid, just business.

      • Renan Rebeque Martins

        Ai que está! O modelo de negócio do Cardoso não costuma cobrar um preço tão alto da paciência dele, por isso meu espanto. Eu estava apostando ou num milagre de Pentencostes ou no abuso de psicotrópicos relaxantes. Já vi blocks dele por menos de 1% do que li aqui.

        Mas concordo que o blog ganhou uma visibilidade e tanta. Com publicidade negativa dá até para virar presidente do EUA.

  • Liinnkk

    “A R$20,00 por assinatura para o Brasil bancar Sense8 (já que só a gente assiste essa merda) precisaríamos de 16.241.517 assinantes de Netflix. O Brasil tem 18 milhões de assinantes de TV a cabo.”
    Esse trecho ficou meio mal escrito e tem um calculo meio tendencioso. Nessa lógica, você considera mais como a “compra” de um produto do que o modelo de assinaturas. Na verdade, você não precisa de 16 milhões de assinantes pra bancar Sense8, mas sim de 16 milhões de meses assinados, o que é bem diferente, principalmente quando você considera o tempo de intervalo entre uma temporada e outra (2 anos, no caso? Não sei exatamente porque não assisto). Mas se você considerar isso, você precisa de basicamente 670 mil assinaturas mensais sendo pagas exclusivamente pra bancar Sense8 — e nós sabemos que o calculo é bem mais profundo, porque ninguém paga Netflix apenas pra ver uma série.
    Enfim, tanto faz a conta, a verdade é que Sense8 não valia a pena financeiramente, caso contrário não seria cancelada. Eu acho até bonito essa falta de discriminação com o conteúdo dos produtos. O publico puramente decide o que vai pra frente e o que não vai, acho que poucas coisas no mundo conseguem ser tão democráticas quanto isso.

    • Claro que é tendencioso, se eu colocar todos os custos da Netflix 16M assinantes não dão nem pro cheiro.

  • Orion

    É um texto interessante, Cardoso. Devido ao buzz na internet, eu não tinha noção de que o interesse pela série era tão baixo. Só discordo de você tentar passar a ideia que os fãs em geral não pagavam pela série, apresentando tweets como “evidências”.
    Na real, se você for pesquisar, vai encontrar pessoas baixando torrents de todas as séries, ou fazendo comentários sobre como burlar o pagamento. Game of Thrones, por exemplo, é campeã de downloads ilegais e é um sucesso de audiência. E, se fosse cancelada, existiria chilique tanto de quem assina HBO, como de quem baixa no site do Zé.
    Há pessoas que não consomem e não chilicam e pessoas que consomem e chilicam. Sua generalização enfraquece seu texto.

  • Accelerator Vrum Vrum

    parece obvio, mas parece que o pessoal n entendeu que empresas visão lucro.

  • Pedro Silva

    Quem acompanha os lançamentos de animes já tá mais que acostumado com a crueldade que é assistir algo ótimo com quase certeza de que não verá outra temporada. Acho que o público casual de séries está mal acostumado com isso, eles querem que suas obras prediletas sejam eternas, mesmo que isso signifique acabar com a qualidade das mesmas. Um exemplo claro é a série Supernatural.

  • PaulinhosmBR

    O cara mostra fatos e dados, é totalmente coerente nas colocações e ainda tem gente com a capacidade de vir com choro dizendo que ele foi “muito agressivo nas palavras” e desconsideram todo texto por causa disso, CRESÇAM.

    Única coisa que o texto faz é apontar logicamente os motivos que fizeram a serie acabar, por mais curto e grosso que tenha sido. E ainda há quem compare o fato dele ter sido agressivo nas palavras com essa indignação dos fãs, argumento forçado e superficial de querer comparar a indignação dos amantes da serie com a “indignação” de alguém falando verdades, não passa de um non-sequitur extremamente tosco e uma tentativa falha de querer descaracterizar os argumentos dele, pura e simples desonestidade intelectual, ou só burrice mesmo.

    Os pirralhos que choram porque a serie acabou não sabem usar o lado racional do cérebro pra compreenderem a razão por trás do motivo que levou tal fato a acontecer. Tem que ser muito imaturo e não entender como as coisas funcionam pra reclamar disso. Parem de chorar e saiam de suas respectivas bolhas, pior é ver gente que nem ao PAGAVA a mensalidade reclamando porque a serie acabou, PORQUE SERÁ? Só mesmo no Brasil com esse zé povinho bizarro que uma serie aleatória como Sense 8 consegue ser mais popular que House of Cards.

  • Luis Mitzco

    Eu achei ruim que parou, mas fazer o quê né? Esperar que um dia eles continuem ou façam tipo o animatrix pra finalizar a história… de resto, pena, mas não vou escrever textão.

  • Estela Monteiro

    Mais pirraça que esse texto seu? Vc pode ter razão quanto ao motivo do cancelamento, ok. Mas tu escreve da maneira mais embuste que já vi. Seu texto sim foi um tremendo chilique.

    • PaulinhosmBR

      Só quem é muito normie ou quem tem uma noção de mundo bem genérica e dificuldade pra processar sagacidade e sarcasmo, não tem nada demais.

      • Estela Monteiro

        Ele embasou muito bem o motivo do cancelamento, mas foi muito chiliquentinho em relação aos fãs e à comunidade LGBTQ. Não adianta estar certo e dar um piti desses.

        • PaulinhosmBR

          É só uma conotação usada pra chamar atenção, não tem nada demais e muito menos descaracteriza o argumento dele, que é verdadeiro.

    • Vanderlei_UDR

      Inception da pirraça:

      Comentário pirraça reclamando que o post é pirraça sobre a pirraça do cancelamento de sense8 que, no fim das contas, foi um pirraça da senhora Netflix!

      tá dificil a vida nesse disqus hoje

      • Estela Monteiro

        HHAHAHA MORTA

      • Estela Monteiro

        HAHAHA MORTA

      • PugOfWar

        faça pirraça vc tbem huehuehue

  • Iroquois P.

    Os choramingos específicos de fãs que não entendem como negócios funcionam realmente precisam de uma lição de capitalismo, porém ainda acho válido os fãs se bandearem pra tentar salvar uma série que amam.
    Diferentemente de canais de TV, o Netflix não lança seus números de audiência. Logo, todo mundo foi pego um pouquinho de surpresa por esse cancelamento, até porque não é do feitio da Netflix.
    Mas assim como “séries canceladas sem final são a regra”, fãs tentarem desesperadamente salvar sua história predileta também são regra:

    – Firefly foi cancelada e foi salva pelos fãs que conseguiram até mesmo um filme de alto orçamento pra fechar a história.
    – Family Guy foi cancelada depois da segunda temporada, renasceu das cinzas e tá passando até hoje.
    – Community cansou de ser salva pelos fãs, que trouxeram ela de volta de cada temporada até ser comprada pelo Yahoo pra temporada final.
    – O Bryan Fuller falou esses dias que Hannibal pode voltar depois do cancelamento e que ele já tem planos pra próxima temporada.
    – Twin Peaks voltou pro Showtime VINTE E CINCO F0D3ND0 ANOS depois de ser cancelada na ABC!
    -E os fãs de Sherlock Holmes ficaram tão infelizes com a morte do personagem em 1893 que conseguiram que Sir Arthur Conan Doyle trouxesse ele de volta pra mais aventuras.

    Existem muitos outros exemplos. Todas essas decisões foram acertadas? Talvez não, mas isso não quer dizer que a “tenteada” não seja livre. No final a decisão final sempre será do Netflix, e ela vai fazer o que bem entender, mas custa bem pouco do tempo dos fãs mostrar à companhia que eles amavam sim a série e adorariam um final pra história.

    • Kin Jordan

      Perfeito o seu comentário! O pessoal reclamando pelo fim da série que curte está bem longe de ser exclusividade de Sense 8, ainda que esta talvez tenha feito mais barulho que outras (ok, e gerado mais comentários exagerados e desnecessários, como o autor do post talvez te mostre daqui a pouco). Não deixa der válida a tentativa.

      • Mateus

        Fringe tinha uma base de fãs xiitas também que praticamente todo ano salvavam a série. Na raça ela durou 5 temporadas. Isso sem esquecer de Jericho que depois do cancelamento a emissora recebeu centenas de amendoins dos fãs e fez a série voltar para a 2ª temporada.

        Ficar puto é normal, o errado querer jogar a culpa do fracasso em questões de preconceitos e etc.

        • Kin Jordan

          Sim, também não concordo com esses comentários feitos à flor da emoção. Mas o problema do post ao meu ver foi generalizar como se todos que reclamassem de um cancelamento fossem “chiliquentos”, e criticar algo que existe a muito tempo, como se tivesse sido criado pela “geração Netflix”.

        • Reinaldo Matos

          Eu gostava bastante de Fringe, mas o final tenho que confessar… Achei uma bosta…

  • Meh

    Depois de 5 anos, Justiça Jovem foi renovada. Reclamei firmemente quando o canal passou a exibir os episódios fora da ordem e sem um horário certo, xinguei mto no twitter. Quando começaram os rumores, a glr suplicou pra todo mundo ver “oficialmente”, tive q comprar o episódio no iTunes pra contribuir com os números, gastei 40 FUCKING REAIS numa bosta de ovo da Páscoa só pq era do desenho. Adiantou? Não. Fiquei triste, fiz minhas fanfics e sobrevivi. Netflix n tem obrigação nenhuma com você assim como o Cartoon Network n tinha obrigação nenhuma com a minha estabilidade emocional.

  • Lara Rodrigues

    concordo bastante, mas achei muito engraçado você reclamar da birra alheia e escrever igual, feito criança birrenta.
    no mais, parabéns!

  • Bruno Ligiéro

    Gostava de Dead Like Me… era meio chatinha a série, mas tinha umas cenas e textos que te fazia “firosofar” sobre a vida.

  • Paquiderme

    Alguém sabe dizer onde que esse post foi aparecer para essa legião de leitores e comentários aparecer aqui?

    https://uploads.disquscdn.com/images/f363b5dd716bb3d569db6d336230908564a6efa3e2b19b094e8a355ec77d821f.jpg

    • Viralizou no Facebook.

      • Reinaldo Matos

        Pior que já apareceu umas tantas vezes na minha TL do facebook alguém compartilhando o artigo…

        • Juliotenorio

          Vou até ver na minha, apesar de ser bem parada.

      • Edmilson Figueiredo

        talvez eu tenha uma parcela de culpa ai….vários compartilharam do meu perfil. Mas eu tenho um álibi: vc mesmo pediu q, ao invés de doarmos, que compartilhassemos…segui o mestre :)

      • Gabriel Nunes

        DSCLP :P :D

    • NestorBendo

      CRENDEUSPAI!

  • Metroid

    Foda-Se isso Doctor Who ta a 53 anos na ativa pau no cu das outras series HAUAHAUAHUAHAUAHA

    • PugOfWar

      só coitado do Capaldi, deram umas histórias meio ruins pra ele

      • Metroid

        Sim cara, fiquei meio dividido, mas essa 10 temporada tá bem interessante, Bil é uma companion muito boa
        Espero que agr que o Moffat saio os Eps voltem a ter aquele feeling da 7 temporada -q

        • PugOfWar

          o foda é que na série nova já tivemos 5 doutores(inclui o war doctor), a gente se apega ao personagem aí trocam o ator

  • Alexandre Cardoso

    Eu nunca li algo tao genial, quer seja pela explicação ou por detonar o Bruno do ligado em série.

  • PugOfWar

    bateu até uma bad com essa lista de cancelados que o Cardoso passou

  • João Paulo Jucá

    De onde que Twin Peaks foi cancelada? kkk Nada disso!

  • Cell

    O loco vou ter que adicionar esse site nos meus favoritos. Adoro ver “lacrador” se fodendo.

  • Leonardo Mendes

    Vou nem zoar, vai que resolvem cancelar Chicago P.D. e Hawaii-Five-0

    Mas, devo dizer, adorei seu texto… parabéns pela lucidez e redação.

  • Felippe Martins

    Seu texto não merece Palmas, merece o Tocantins inteiro meu querido. Lindo, verdadeiro e um tapa na cara de quem só quer problematizar a vida. Toma meu respeito aqui.
    PS: Só conserta aquele TWIN PEAKS.

  • Onde estava esse povo todo para reclamar quando TV Colosso foi cancelada???? Cadê o povo indo as ruas quando a Fátima Bernardes ROUBOU o horário da TV Globinho???? E que dava ibope!!!!
    Vocês não tem ideia do que é algo que você não vive sem ser cancelado!!! Sense8. Pffff. Cresçam!!! (rs.)

  • rjr

    Excelente artigo, falou tudo o que penso dos torrenteiros que pensam que seu negócio não atrapalha a indústria e a criação de conteúdo. Porém uma retificação: creio que Twin Peaks não foi cancelada. Ela foi concluída, teve final. É bem diferente.

  • Avelino De Almeida Bego

    Parabéns, excelente texto

  • Guilherme Natal

    Seriados super produções da HBO (mais sério que isso impossível) já forma cancelados por não estarem sendo rentávei o suficiente ou então ganharam um final meia-boca.. Vc citou deawood, outro ótimo exemplo é roma, cujo a produção era tão cara que teve de ser cancelada msm tendo planejamento par mais diverdas temporadas..

    Brasil é um país estranho, msm sem tocar no ponto que vc citou de pirataria, é difícil entender o público brasileiro. Qualquer seriado meia boca que vira moda é consumido pela grande maioria num numero assustador.

  • Ulisses

    Concordo com todos os argumentos sobre estarmos num mundo capitalista e só rende o que dá dinheiro e coisa de nicho não rende. Porque será então que financiaram uma coisa caríssima sabendo que era de nicho? Algum doido. mas achei que a critica foi até um pouco maldosa com os mimizentos.

    • Pq Orange Is The New Black é a maior audiência da PORRA da Netflix e é “de nicho”.

  • Alexandre Salau

    Eu ainda espero a S3 de Stargate Universe.

  • Tibo

    Caro Cardoso

    Continue sempre escrevendo os textos sagazes e irônicos a que seu público, categoria a qual eu humildemente pertenço, estão acostumados. Deixo também um recado à escumalha de ofendidos profissionais que infestaram a página hoje: Agradeceria se os senhores fossem morder seus respectivos progenitores nas nádegas.

    Grato

    • Daniel Plainview

      Eu nunca tinha visto tanto floquinho junto assim, credo. Vários deles reclamando da “agressividade do texto”. Deus me livre.

  • Marina Costa S Lima

    Qual a intenção desse texto? Atacar o colega que está chateado com o cancelamento de sense8? Bem desnecessário. Vai me desculpar, não é pirraça se a galera tá puta pq uma das poucas séries que explora a pauta de opressoes e tem uma diversidade de personagens riquíssima é cancelada do nada. As pessoas tem o direito de não gostar, de reclamar. Sinceramente, podia ter dormido sem essa.

    • As pessoas tem todo o direito de ficar tristes pq a série foi cancelada. Eu fiquei, antes de ser modinha eu já elogiava abertamente Sense8. O que as pessoas NÃO TEM DIREITO é acusar a Netflix de homofobia e racismo por cancelar uma série que não deu audiência.

      • Marina Costa S Lima

        Cara, não concordo. A própria Netflix usa vários critérios para decidir que série sai que seria fica. Não só audiência. E pensando por esse lado (estamos gastando muito dinheiro com essa série), pq já não finalizaram na 2 temporada? Pra que deixar a história inacabada?
        Sobre as acusações de racismo e homofobia, não me cabe jugar a realidade que eu não vivencio. Quem sou eu (branca/hetero) pra dizer que é ou não homofobia ou racismo. O que eu sei é que essa é essa é uma das poucas séries com protagonismo trans, lgbt, feminino, negro. Ela ter baixa audiência e ainda por cima ser cancelada, nos diz algo muito importante sobre a mídia que consumimos.

        • Petrus Augusto

          pq já não finalizaram na 2 temporada? Pra que deixar a história inacabada?
          Pq, ao contrário dos pirracentos, o grupo Netflix não é composto pela supremacia-branca odiadores de Gays, eles viram que a 1ª foi +/-, arriscaram mais uma vez na segunda e não deu certo.

          Eu pensava que tinha feito tudo de uma vez, mas, o próprio Cardoso teorizou isso e faz total sentido.

          • Marina Costa S Lima

            Gastaram mais não sei quantos milhões para fazer uma segunda temporada de uma série que já não dava lucro?
            Para mim não tem sentido nenhum. Nem discutir com a galera que defende a Netflix como se fosse uma instituição religiosa. No fim das contas é uma empresa como qualquer outra… Nada do que ela a princípio se propunha a ser, criando séries diferentes do majoritário protagonismo masculino, hetero, branco. Hoje, nos mostra que o investimento vai ser no mesmo conteúdo que qualquer outra empresa (cw, cbs, AMC e afins).
            Mas ok. Isso já deu o que tinha que dar.

          • Petrus Augusto

            Tipo assim, pelo que eu entendi
            A primeiro foi bem aceita, não cobriu os gastos, mas foi de uma boa adesão.

            Dai, tentaram mais uma temporada para ver se com esse novo a coisa deslancha de vez e gerava lucro. Como não deu… :(

            E isso é mais comum que você imagina, exemplo: Twitter, Uber, Whatsapp (no inicio), Youtube (ainda é bem problemático para a Google).

            P/ mim, foi burrice continuar a 2ª, e mais burrice ainda foram os produtores fazerem ela crente que iria continuar (deixando tudo em aberto), mas… Aconteceu.

  • André Luiz

    Negócio tá agitado hoje

    Vou chamar o pessoal que comenta no MDM pra dar uma força aqui, pra contrabalançar com os comentaristas do jovem nerd, omelete e G1.

  • Eu tô vindo aqui só pra ler os comentários. É muito divertido. Não é sempre que dá pra ver esse povo que se diz forte e lacrador não aguentar meia dúzia de parágrafos do Cardoso porque é “agressivo”.

  • Vítor Ramires

    E qual foi o incentivo da produção pro público compartilhar e “hypar” o seriado? O Stranger Things tinha aquele vídeo ou gif (nao recordo) com a parede com as luzinhas indicando as letras e tal. Imagino que devesse ter mais ações desse tipo com as séries “que vingam”.
    Esculachar gratuitamente o público colocando a responsabilidade nele é meio juvenil, fica parecendo a pirraça que criticas.

  • Anderson Alves

    Meu, esse texto é perfeito. Nunca comentei em nenhum blog, mas parabéns ao autor

  • Eduardo Scharf

    Eu gostava de Sense8, mas a pior parte dessa história é que, nesse rolo todo, eu fiquei sabendo do ocorrido com Marco Polo (que eu imaginava ser lançada no final desse ano… Ingênuo).

    Netflix deve ter mais know how do que nós aqui, mas já que tá todo mundo comentando, aqui vão meus dois centavos:

    Ninguém gosta de começar a assistir uma série que já foi cancelada, não faz sentido perder tempo com algo sem desfecho. E daqui alguns anos a Netflix terá dezenas de séries canceladas – e provavelmente elas continuarão disponíveis no catálogo. Eu acho que seria mais lógico a empresa tentar finalizar algumas dessas séries (um filme com menos de 2 horas), pois assim essas minisséries ainda terão algum peso na hora do cliente decidir contratar o serviço. Pelo menos elas serviriam a um propósito de longo prazo, atualmente são só um peso morto.

    Mas eles tem os dados e devem saber analisar melhor o cenário. Então que venham as próximas..

    • Não funciona assim. Séries sem final são reprisadas o tempo todo, a própria Netflix tem um monte no catálogo. A Globo não parou de passar Caverna do Dragão pq não tinha final. Fãs não deixam de assistir Firefly ´qq não teve desfecho. Isso equivale e você dizer que uma sex tape da Emma Watson sem money shot não seria assistida.

      • Eduardo Scharf

        Provavelmente a Emma Watson teria publico mesmo que fosse só ela narrando como seria uma sex tape dela…

  • Gabriel Maciel Campanini

    Mas ao que parece, Cardoso, dar chilique por não entender como o mundo funciona não é privilégio só de millennials: https://contraditorium.com/2015/11/05/tirem-suas-maos-nojentas-da-princesa-da-minha-infancia/

  • Bruno

    Eu vi dois episódios de Sense8 e achei muito boa. É uma das poucas séries que além do entretenimento, possuem relevância política e estética, com uma ótima direção. Não continuei a ver por assistir a outras dezenas de série. Achei que ia vingar pelo sucesso de público e crítica e poderia ver depois. Não sei dos meandros da produção e da relação dos realizadores com o Netflix, mas Sense8 padece do mesmo mal que ótimas séries como Roma e Marco Polo padeceram: o alto orçamento. Do contrário, apesar do mercado ditar produtos enlatados, o texto com o prognóstico pessimista e quase naturalizante da indústria cultural e sua implacabilidade em relação aos produtos de nicho, ao meu ver é equivocado. Todas as séries citadas pelo texto, canceladas sem final ou com poucas temporadas são séries ruins. Algumas com ótimos argumentos, mas com um time de roteiristas ruins que não conseguiram explorar devidamente a trama e os personagens. Sense8 foi cancelada por ser muito cara pra pouco público. Pouco público porque não é um GoT cheio de ação dramática e efeitos. Possui um texto mais complexo, que ao meu ver resistiria se fosse mais barato e se não tivesse esses arrogantes dos Wachowski por trás. Há séries como Fargo, que não é pro grande público e está aí na terceira temporada. A própria House of Cards, que apesar do estrondoso sucesso de crítica, não é uma série acessível e cheia de ação, catártica, como o grande público gosta. As séries de TV se aproximaram da linguagem cinematográfica e expandiram as possibilidades dramatúrgicas, mas ainda precisam custar menos.

  • Dan Ferreira

    Então… achei um tremendo desrespeito com os fãs. OK é assim que o mundo funciona, blá, blá, blá…. Se todos que estavam curtindo a serie não fazem diferença para netfix, se Sense8 era só mais um produto que não deu certo financeiramente porque EU tenho que me importar com os OUTROS PRODUTOS da netfix? É só um negocio baby,

    • Petrus Augusto

      Parabéns!! Você está começando a entender como funciona o mercado de TV (séries inclusive).]
      Por isso que EU, NUNCA me importo com séries, as vejo quando dá e me interessa, mas se acabar.. Deal with it, faz parte, a vantagem de você não se importar é isso, você não liga se acabou ou não.

  • Aline Katherine

    Caralho que texto. Parabéns!
    Eu estou impressionada… Triste pelo fim da série é claro, mas impressionada!!!

  • Pablo

    Muito boa análise. Vc poderia fazer uma análise do pq o Brasil se destaca dos demais países do mundo em algumas séries?

  • Gustavo Lima Souza

    Que merda de artigo é essa? Deixa as pessoas reclamarem! Quanto incômodo com os militantes, cara! A série tem fãs. Toda série quando acaba tem as reclamações, nenhum dos “lacradores” como vc diz, de forma bastante pejorativa, está saindo do normal, estão usando suas redes sociais como tem que ser usadas. A série acabou, foi uma escolha do Netflix, ok ué. Que feio xingar tanto as pessoas só pq estão expondo suas vontades. A série é cara, agora falar que não tem audiência é demais né, o mesmo perfil que assiste sense8, assiste Orange is TNB, por exemplo…o problema são custos! Só isso.

  • Madu

    Outro bom exemplo é Breaking Bad.

    A série não é do Netflix. Antes passava apenas na TV (não lembro se só na por assinatura nos EUA).
    É uma série ótima e quase foi cancelada pq a audiência era baixa, mas quando foi lançada no Netflix, a visibilidade aumentou e no boca a boca viram que a série era boa e a audiência subiu, logo resolveram seguir com a série.

    Pois bem, em vez de choro e protesto besta e sem fundamento, pq não fazer campanha de assistir?
    Ou o grupo que diz que assiste começa a pagar assinatura e não compartilhar a mesma assinatura com 300 pessoas.

  • Helder Savietto

    “com exceção de dois países na África que não faço idéia qual sejam e você também não.”
    Marrocos e Quênia.
    De nada.

  • Bruno Aveiro

    Mais de 500 comentários nesse post! Quinhentos!
    Nem no MeioBit lembro de ter visto isso em um texto do @ccardoso:disqus
    Se o DISQUS te desse comissão por cada usuário novo criado só pra comentar esse post…

  • cquintela

    Sou viúva do Stargate Universe até hoje, cada dia uma batalha… aiai

  • Daniel Abreu

    O mundo de verdade é assim: nada é de graça.

    Você não pode ter o bolo e comer o bolo ao mesmo tempo.

    Cancelar a série economiza de um lado, mas também tem o seu preço. Vai prejudicar um grupo (que a Netflix considerou menos importante) e claro que esse grupo vai ficar insatisfeito. Chamar isso de “pirraça” é muito coisa de de gente tentando chamar atenção de “diferentão”, sem capacidade pra dominar nem o ponto de vista do lugar comum.

    Se você chegar onde tem um monte de gente afetada por uma enchente e explicar como acontece uma enchente, você não pode chamar os alagados de “pirracentos” só porque eles continuaram tristes depois da sua explicação.

    Está tão claro que histérico e pirracento é o tom do próprio autor dessa notícia, que nem acho importante explicar mais.

    • Petrus Augusto

      Se você chegar onde tem um monte de gente afetada por uma enchente e explicar como acontece uma enchente, você não pode chamar os alagados de “pirracentos” só porque eles continuaram tristes depois da sua explicação.

      Sim, posso dizer que são pirracentos sim se eles ficaram gritando que a enchente é culpa do machismo, do preconceito contra os gays e etc e etc. (que é o que aconteceu no caso da série)

      Sim, posso dizer que são pirracentos se continuarem a dizer que a culpa é de TODOS menos deles, deles que jogaram lixo nos rios e canaletas entupindo tudo. (que é o que aconteceu, com a alta pirataria e os “jeitinhos” de usar a NetFlix grátis)

      • Daniel Abreu

        Olha só: EU estou chateado porque a série foi cancelada e eu não estou falando nada sobre machismo. Você que está, sobre alguém que não sou eu. Então se isso aconteceu (eu nem sei) ainda não representa a todos que estão chateados com o cancelamento e que gostariam que a Netflix voltasse atrás para concluir a história com mais uma temporada.

        Você é quem está fazendo pirraça, ao sugerir que um exemplo que te desagradou representa ao problema em sua totalidade.

        Quanto a falar que a culpa é dos fãs, porque alguns usaram de pirataria você já está abertamente dando chilique, né? Você já está mandando um Janaína Pascoal, né?

        Como se pirataria fosse algo exclusivo ao contexto de sense 8 e tivesse alguma relação com o cancelamento específico da série. Como se agora o fracasso de uma produção fosse culpa dos fãs, por causa de pirataria.

        Isso que dá sair da piscina de jade que é a minha mente e comentar coisas na internet. A gente é obrigado a interagir com Petrus Augusto e companhia.

        • Petrus Augusto

          Isso que dá sair da piscina de jade que é a minha mente
          Escorreu até uma lágrima aqui… Que fofo!! ¬¬

          EU estou chateado porque a série foi cancelada e eu não estou falando nada sobre machismo. Você que está, sobre alguém que não sou eu. Então se isso aconteceu (eu nem sei) ainda não representa a todos que estão chateados com o cancelamento e que gostariam que a Netflix voltasse atrás para concluir a história com mais uma temporada.

          O texto se refere a esse pessoal, que você diz não fazer parte, o texto é direcionado a esse pessoal.

          Se você (diz que) não se enquadra, ótimo, o texto não é para você(e não deveria se incomodar com ele).

          Não é pq um texto critica a reação de um grupo X ao cancelamento de Y, e você não gostou do cancelamento de Y, isso não faz que você espenicadamente faz parte do grupo X. Como falei, você não é o centro do universo, pode ser no seu “mundo de jade”, no mundo real não. Existem mais tipo de pessoas no mundo, com reações e “mundos de jades” diferentes. Deal with it ;)

          PS: Para quem não é o alvo da crítica, você se incomodou muito hein… Tem certeza que você não chegou nem a pensa que o motivo é pq ‘os héteros cis-generos opressores’ odeiam a “representatividade”?

  • Darth D. Anderson

    Virei fã, mais um seguidor ávido.

  • Thiago Lopes

    É só fingir que no final das contas o Will era um drogado e ouvia vozes e estava internado tudo na série era sobre ele e fim… Múltiplas personalidades de um viciado em heroína que é também um policial DJ gay trans que atua enquanto dirige ônibus para grandes empresas sendo devoto de Ganesha e enfim… cria seu próprio final.

    Cardoso levantou as séries canceladas, mas é só lembrar gente… Quantas séries não foram canceladas e tiveram finais BLEH… Eu amava Sense8, mas a série tava entrando num tunel sem volta… eles podiam ter juntado mais personagens (pelo menos num mesmo continente), colocado efeitos de tela verde pra parecer que estava proximos…sei la… formas de reduzir o custo. Mas fico feliz por eles terem priorizado a qualidade e apesar de não ter final. O ultimo episodio foi super foda. Espero que daqui a alguns anos a gente possa ler o script de seria a continuidade da série (estilo lendo o final do caverna do dragão milenios depois).

    Ótimo texto mesmo Cardoso! ^^

  • Daniel Silva

    vou explicar de um jeito fácil, imagine que a serie seja um carro. se o valor de manutenção de um carro é superior a metade do valor de mercado dele, o destino dele é o desmanche. com esta serie é a mesma coisa mante-la no ar é muito mais caro que perder os assinantes que PAGAM parta assisti-la. quem esta falando é uma pessoa que jogou uma maquina de 75 mil reais escada abaixo e não foi demitido.

  • Mateus Gott

    Caramba, que ownada O.O

  • Marco Sobrinho

    Vamos cancelar GOT pra ver seu mimimi não surge com força total.

    • Petrus Augusto

      Game of Thrones?
      Aquela série que vive de Plot-Twist mais clichês que tudo (Deus, eles mataram o principal, como isso é possível??
      Meu Deus, que genial!! ¬¬ blá… Shakespeare fazia isso, no século 16), ou de mostrar cena de sexo para agradar os punheteiros de plantão?

  • Esdras Petrus

    Complementando o fato: “quem chilica não consome”
    Um ótimo exemplo esta acontecendo atualmente na Marvel, que em vez de ouvir seu publico fiel a anos, decidiu dar margem pra essa galera insuportável do politicamente correto, e saiu trocando personagens que eram favoritos por muitos, por novas versões femininas, negras, LGBT e etc, como consequência disso, aonde eles esperavam um aumento de vendas, afinal o “novo publico” passaria a comprar a revista, resultou somente numa queda drástica de vendas!! E eu, apesar de gostar muito da Marvel e da DC, A Marvel sempre foi preferencia pra mim, mas infelizmente eu parei de ler seu conteúdo atual por conta dessa palhaçada, agora leio muito mais a DC, e a Marvel eu somente releio as HQ’s antigas!! É triste viu!

  • Thays Cabral

    Uma pena. Eu adorava.

  • Luciano Angelotti

    Eu não entendo esses caras… Tão dando um puta chilique porque os fãs da série estão dando chilique e agora o cara leva a discussão pra um discurso esquerda x direita…

    Me lembra um poema de Paulo de Tarso:
    Me dá um revolver com uma bala dentro e eu te mostro como se faz um poema.

    Parece até o público da série dando chilique com o Netflix pelo fim dela quando, na verdade, a série tinha problemas de produção e desde a metade da temporada uma das irmãs produtoras já tinha se afastado e esse é, pelo visto, o principal motivo do cancelamento da série.

    Sério, qual é a dificuldade dos caras de entenderem que o Netflix é um serviço, pessoas contratam o serviço… Pessoas não se sentiram atendidas pelo serviço contratado… Pessoas agora estão reclamando da prestação do serviço.
    Pelo sua lógica eu preciso agradecer à NET pela bosta de serviço que ela me oferece só porque “é o que tem pra hoje”?

    Daí o cara mete um monte de gráfico como se a Netflix vendesse anúncio e questiona se os fãs usam de pirataria? Sério?

    Audiência? Cara.. Audiência é relevante pra televisão, pro Netflix que é On-Demand audiência significa menos do que ter opções na grade. Quanto mais séries na grade, mais assinaturas. Quanto menos séries na grade, menos assinaturas. Quanto mais séries canceladas do nada, mais pessoas cancelando assinaturas. A lógica é simples.

    Ah mas o orçamento.. “Faz de conta que você tem um bar”… Meu amigo… Cada episódio custava estimadamente 9 milhões. Não dá pra comparar a nossa lógica, de orçamentos caseiros ou pequenas empresas, com uma empresa desse porte. Se a plataforma aceitou produzir a série é porque estava dentro do orçamento dela, não é a mesma coisa que o teu bar, onde você paga as contas no nível diário, ficar sem cliente por duas semanas…

    • Paulo Bernardi

      Sério que existem pessoas acham que um serviço de streaming não precisa de audiência?

      E claro, como bônus a Netflix não entende do serviço dela, mas tem sempre um expert que sempre sabe como tocar as empresas dos outros.

      • Luciano Angelotti

        Lê tudo de novo.
        A forma como você mede audiência serviços de streaming não é igual à da televisão.

        Sobre audiência: O Netflix não “deixa de passar” um programa porque está passando outro. Ele pode deixar de PRODUZIR um programa por causa de outro, mas REPRODUZIR não. Por isso o cálculo de audiência se dá antes da série ir ao ar.
        Como o próprio Reed Hastings, CEO da Netflix já disse, o principal medidor pro Netflix é a taxa de assinaturas. Audiência é importante mas não da mesma forma que é importante pra televisão, que precisa segmentar seus programas o máximo possível pra criar um perfil de público à ser vendido para publicidade.
        E como o Netflix não divulga dados sobre audiência é duma puta especulação afirmar que a série não era assistida.

        Sobre como gerir empresa: Quando alguém aprovou 9mi por episódio sabia exatamente o público alvo, taxa de retorno, tempo médio de exibição, trending etc… Tanto que aprovaram um longa de natal, uma temporada caríssima, um puta monte de publicidade…
        Eu sei que isso é dificil de entender pra algumas pessoas, principalmente aqui no Brasil que a gente trata empresa tudo nas coxas, mas em terra de cachorro grande que é a produção de conteúdo audio-visual, ninguem dá ponto sem nó e as empresas fazem uma coisinha mágica chamada planejamento estratégico. Existe no mercado desde os anos 50, vale à pena conhecer. ;)

        • Paulo Bernardi

          Não entendi o seu ponto: afinal os caras da Netflix são bons ou não? Porquê parece que eles têm dados mágicos que podem prever o futuro, mas ainda sim cancelaram várias séries…

          A taxa de assinaturas não é uma consequência direta da audiência? Ou existe algum cenário em que as pessoas assinam o produto mas não usam? Isso seria ótimo para qualquer empresa, conseguir captar dinheiro do vácuo!

          Sobre a especulação sobre audiência: sério, nada é especulação na era do big data. Existe o dado, você só precisa procurar no lugar correto.

  • Paulo Halliwell

    “reclama que os outros não sabem como o mundo comercial funciona”
    “pede doações no final do textão cheio de tiradas homofóbicas”

    Detalhe, nunca assisti, Sense8 e pouco me importo com esse cancelamento. Estou de acordo com a decisão da Netflix, mas, por favor, mantenha sua homofobia entre você e seu grupo de amigos, obrigado.

    • Homof…?? O CARDOSO??? DUDE, você realmente LEU o texto? :D

      • Paulo Halliwell

        Li e fiquei horrorizado com a quantidade de “tiradas” que ele achou necessário incluir no texto para ficar mais “chocante”.

    • O Datilógrafo da AEB

      Cardoso homofóbico? Se duvidar ele faz mais pela causa LGBT que os próprios militantes.

      • Paulo Halliwell

        com certeza, zombar da inclusão de minorias na sigla LGBT é total sinal de saber mais sobre a causa do que quem precisa militar para continuar sobrevivendo.
        Já que faz tanto pela comunidade, que use menos termos da mesma ao falar de um assunto que não tem relação com a discussão que fez (de que o cancelamento foi questão comercial).

        • O Datilógrafo da AEB

          Não, cara, o problema são pessoas como você. O texto deixa isso bem explícito, e isso não tem nada a ver com homofobia.

  • Camila del castro

    Texto bacana. Apenas uma correção, Supergirl era da CBS.

  • Euler Andrade

    Parei de ler quando colocou a pesquisa pra comparar em 5 anos. Sense8 tem 5 anos? Coloca em dois… ou dois e meio e olha os resultados ;)

  • Omar Monteiro

    Eu acho um erro a Netflix se posicionar dessa maneira, se igualando assim aos grandes estúdios e canais. Uma empresa que se diz inovadora precisa repensar sua maneira de produzir conteúdo. Eles que sempre buscam uma relação diferenciada com o consumidor, com produção de conteúdo inovadora, não pode cometer esse erro de irritar uma base de fãs, mesmo que seja pequena, pois gera discussão e afeta a imagem da empresa. O mínimo é oferecer um conteúdo de qualidade com um final ao menos satisfatório para os principais dramas.

  • Backwards tech guy

    Na boa, acho que faltou marketing para Sense8. Orange is the new black e House of cards (pessoalmente prefiro Sense8 MUITO mais que OITNB) tiveram campanhas de marketing grande e ficaram populares. Sense8, por outro lado, eu achei sem querer um dia, entediado e passando pelos menus da netflix. A minha indignacao vem disso, nada a ver com esse povo louco ai que ta berrando. Achei uma otima serie. Uma das poucas na qual a sexualidade dos personagens nao me pareceu simplesmenta como uma adicao de ultima hora. A direcao de fotografia eh incrivel tb, personagens interessantes, atacando temas dificeis e com sensibilidade. Se fala muito, obviamente, da questao LGBT, porem tem temas muito mais interessantes, como a mafia da industria farmaceutica, por exemplo. Ate mesmo a situacao geopolitica em paises africanos. Achei uma grande pena ela ser cancelada da maneira que foi, especialmente tendo em vista a falta de marketing e o comentario do CEO que, efetivamente, tacou gasolina na fogueira.