Tio Cardoso ensina aos jornaleiros que Deus existe

No episódio Tapestry, de Star Trek – A Nova Geração o Capitão Picard leva um tiro que danifica seu coração artificial. Ele é operado de emergência mas com a médica é a Dra Crusher, ele morre, para acordar em um cenário celestial de pura luz branca. Um vulto em um manto brilhante se aproxima, estende as mãos. Picard aceita o gesto, e o vulto se revela como… Q.

“Bem-vindo ao pós-vida, Jean-Luc, você está morto.”

“Q, o quê está acontecendo?”

“Eu te disse. Você está morto, este é o pós-vida, e eu sou Deus.”

“Você não é Deus!”

“Blasfêmia! Você tem sorte de eu não te expulsar ou destruir, ou algo assim. O fato é que sua vida acabou cinco minutos atrás, nas mãos ineptas da Dra Beverly Crusher.”

“Não. Eu não estou morto. Recuso a acreditar que você comanda o Pós-Vida. O Universo não pode ser tão mal-projetado!”

A cena toda é ótima, até o ponto em que você se lembra que o Q é uma entidade Onipotente, e que quando ele diz que é Deus, poderia perfeitamente estar dizendo a verdade. Toda a existência Humana poderia não passar de uma de suas brincadeiras.

Mas o assustador mesmo é que segundo o Mental Floss, essa cena não aconteceu.

Estamos vivendo uma crise de credibilidade no jornalismo, gente gritando FAKE NEWS para todos os lados, e em alguns casos isso é verdade. A Notícia está sendo distorcida para se adequar à Narrativa, seja a direita americana praticamente acusando Hillary Clinton de abrir as portas da Embaixada na Líbia para que rebeldes massacrassem o embaixador, seja a esquerda replicando vídeos do Trump “ignorando” um garotinho em uma cadeira de rodas, convenientemente cortando o começo da cena, quando ele entra na sala e vai direto falar com a criança.

As pessoas estão cansadas dessa manipulação, isso está se tornando evidente, e acaba contribuindo para o resultado desta pesquisa de credibilidade dos meios de comunicação, feita pela AdWeek.

Repare que os veículos mais confiáveis são da mídia tradicional, e os menos confiáveis são os mais lacradores, escandalosos, panfletários e adeptos de clickbait. Em penúltimo lugar em credibilidade, o Buzzfeed, que economicamente é um sucesso, com milhões de pageviews, mas é um sucesso que não se traduz em credibilidade. Eles são o jornalismo marrom-nutella da Internet.

As pessoas consomem o conteúdo mas não levam a sério. O motivo é simples: Dois minutos depois elas encontram alguém refutando aquele mesmo conteúdo, com argumentos em geral mais convincentes.

Se seu objetivo é audiência a curto prazo, o modelo do Buzzfeed e similares é excelente. Chamadas caça-cliques, listas, testes online e trivialidades tratadas como polêmicas, como a bobagem da Cleo Pires gostar de sexo ou o LançaPerfume da.. sei lá, de outra aí.

Só que na hora de denunciar um Watergate, ninguém vai te levar a sério.

Esse jornalismo de 100 metros rasos é fruto do ciclo de notícias de 24h, onde a máquina precisa ser constantemente alimentada. Morre o copidesque, morre a revisão, morre o editor, o importante é encher páginas, rápido. Aí morre o Menino Jornalista, que deixou de ser apuração de fatos e virou apenas replicação de boatos.

O Mental Floss é um ótimo exemplo dessa mentalidade. Nesta matéria aqui eles tentam forçar uma polêmica sobre Jornada nas Estrelas, dizendo que Gene Roddenberry proibiu o uso da palavra “Deus” na série.

Pra quê Deus precisa de uma nave estelar?

A matéria em si é deduzida de cinco parágrafos de uma matéria da Entertainment Weekly, onde a roteirista Kirsten Beyer, que escreveu alguns livros de Voyager mas obviamente nunca assistiu nada de Jornada nas Estrelas briga com um ator por ele ter inserido um caco no texto, colocando um “pelamordedeus”.

Ela explicou que no futuro de Gene Roddenberry religião não existia mais e ninguém poderia falar “Deus”.

Na matéria do Mental Floss ampliam a história falando que é proibido qualquer menção a religião em Star Trek, mas que a nova série lacradora irá desafiar essa regra.

Se você é trekker já deve estar rindo ou mordendo alguma coisa. Eu te entendo.

A matéria toda é baseada em uma premissa inexistente. NINGUÉM que assistiu qualquer série de Star Trek assinaria esse texto.

Sò na série clássica são 97 menções a “Deus”, 1.22 menções por episódio.

Essas menções vão de deuses gregos, quando encontram Apollo em “Who Mouns for Adonais?”

“KIRK If you want to play god and call yourself Apollo, that’s your business, but you’re no god to us, Mister.”

Até referências DIRETAS a cristianismo, como em “Bread and Circuses”

“UHURA: I’m afraid you have it all wrong, Mister Spock, all of you. I’ve been monitoring some of their old-style radio waves, the empire spokesman trying to ridicule their religion. But he couldn’t. Don’t you understand? It’s not the sun up in the sky. It’s the Son of God.

KIRK: Caesar and Christ. They had them both. And the word is spreading only now.

MCCOY: A philosophy of total love and total brotherhood.”

No total, somando todos os episódios e filmes da franquia, “Deus” aparece 375 vezes. Como eu sei? Ao contrário da jornaleira do Mental Floss, que replicou a matéria sem apurar, eu usei 5s de Google e achei um motor de buscas para scripts de Star Trek.

Isso desmentiu a afirmação inicial. Se a jornaleira fizesse seu trabalho, a matéria cairia e ela teria que catar outra pauta, mas quem tem tempo pra isso?

A Verdade é apenas um detalhe, assim como o fato de que Deep Space Nine foi uma série INTEIRA girando em torno de religião, com discussões extremamente interessantes até com debates sobre criacionismo. Jornada nas Estrelas está lotada de religião e espiritualidade, mas para saber disso a jornaleira teria que conhecer a série, ou em último caso, pesquisar.

A regra, na Internet e na Vida é confiar desconfiando, mas é natural que a gente leve a sério fontes com histórico de credibilidade. É o chamado Benefício da Dúvida. Ignorar totalmente uma notícia por causa da fonte é errado, mas também é errado dar à BBC a mesma credibilidade do National Enquirer.

A Internet como um todo tem péssima credibilidade, mídias sociais mais ainda. Se você quiser um mínimo de reconhecimento nesses meios, precisa o tempo todo se diferenciar. Pesquisa, confira, faça checagem de fatos. Não repasse nada, por mais suculento que seja, se não confiar plenamente na fonte, e na dúvida, verifique antes.

E não, não estou reclamando por bobagem. Essa postura de jornaleiros que preferem reescrever a História a ter que pesquisar é MUITO perigosa. Qualquer dia vão apagar dos livros algo realmente importante.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Esse texto me fez lembrar de um texto do Morozov chamando o BuzzFeed de “site de fofoca”. E o VICE, aquele portal de notícia que ensina a como chupar o próprio pinto, não presta nem para estar nessa lista.

    • O Datilógrafo da AEB

      Pior que a Vice ainda tem material bom, o foda são as matérias apelativas.

      • Veritas46

        Principalmente os docs e aquele programa deles na HBO. Aquele doc sobre Isis é mt bom

        • O Datilógrafo da AEB

          Exato, tava vendo aqui que a Vice Brasil é bem ruinzinha, mas a gringa tem ótimos docs.

          • A gringa tem um trabalho de jornalismo de conflito MUITO BOM e também a parte da lacração. A nacional só tem a lacração.

          • Brasileiro, como sempre, favelizando a Internet por onde passa.

    • Zeb Uceta

      Cara, eu vi isso aqui no BuzzFeed uma vez. Era uma “matéria” sobre o que a molecada de hoje nunca vai saber como era. Escrita aparentemente por algum moleque de hoje que não faz a menor ideia de como era. https://uploads.disquscdn.com/images/e3f811a327ffb29fb533ccb5990eb61e13527801f86025abec2b9655287097b8.jpg

      • Petrus Augusto

        PQP, hahahaha Que (falta de) capacidade!! hahahahahahhahaha

  • Claudionor Buzzo Raymundo

    Cardoso, como poderíamos fazer uma versão deste seu artigo em inglês, em um nível aceitável (sem Google Translate ou congêneres) para passarmos sua mensagem adiante para os amigos angloparlantes?

    • se matriculando no CCAA?

      • Claudionor Buzzo Raymundo

        Seria algo para que pingassem visitors no Contraditorium e mantivesse o mesmo nível de escrita.

    • NestorBendo

      Eu me candidato a tradutor. Cobro um preço módico!

      • Pobretano

        Se a tradução não vier em negrito, já tá ótemo!

        • NestorBendo

          Deixe de ser fresco, seu fresco!

  • Artur Ferreira

    ontem um conhecido mudou o nome e a imagem de perfil imitando o twitter oficial do Bahia, e “anunciou” a contratação do novo técnico, com a velha estratégia de usar um link real pra esquentar a história

    https://uploads.disquscdn.com/images/5bfba801a73a905e9601c6137f8c8860f3d0942231cd95ef04bd8f6b77dba322.png

    minutos depois, um portal local já conhecido pela sua “alta credibilidade” replicou a notícia,

    https://uploads.disquscdn.com/images/f6daa3d6ab45254f012d2bb8127a4258e7be2cd036486bfe379cf7029abd7da8.png

    e como eles fazem parte de uma rádio daqui, provocaram um transtorno colossal, e fazendo com que o clube, através do programa oficial, negasse a informação. depois disso, eles tiveram a pachorra de postar que “Bahia desmente a contratação”.

    https://uploads.disquscdn.com/images/084be12dec48c51b8644eb2ce7fc87c11ead902fc250ebc64583441052e1b34a.png

    • UHAUHAUHAAUHAUHAUHAUHUHAUHAUHA

    • Reinaldo Matos

      Cara… Que Zuera épica… hahahaha…

      Fizeram algo parecido aqui em Porto Alegre… Um cara qualquer postou que o Gremio teria contratado um lateral uruguaio chamado Enrico Cabrito… A notícia ganhou tal proporção que passou até no Jornal local da TV…

      OBS: O Jogador Enrico Cabrito NÃO EXISTE, o cara inventou…

      https://uolesportevetv.blogosfera.uol.com.br/2013/02/06/apresentador-da-globo-admite-erro-por-anunciar-falso-reforco-do-gremio/

      https://www.youtube.com/watch?v=NbusTySlY54

      • ElGloriosoRangerRojo™

        Enrico Cabrito! aiuehuiaehiuaheiuh

      • Artur Ferreira

        só pelo nome do jogador já valia uma verificação mais criteriosa auahauhauahuauahauahahau

  • João Santana

    A parte mais legal (não) é que esses sites nem área de comentários têm.

  • Ed. Blake

    Jamais esquecerei de quando acompanhei ao vivo o Cid Não Salvo mostrar como era fácil criar um boato, ‘matou’ o Edgar Vivar (Sr Barriga) ao vivo com pouco mais que uma edição na wikipedia e uma hashtag no twitter, todos os sites ‘confiáveis’ da mídia tradicional noticioaram prontamente sem checar somente para no dia seguinte noticiar que ‘blogueiro hackeou a wikipedia’.

    • Caipiroto, o Capeta Caipira ?

      O Cid é mestre nisso, quase um guru do fake news. Lembro até hoje a treta que deu a parada do Lulu pra homens, onde o Cid (e sua legião de desocupados seguidores) conseguiu que uma juíza proibisse a publicação de um app que nunca exisitiu.

      • Malcan

        E quando ele criou o vídeo do jornal norte coreano onde aparece que a melhor coreia ganhou a copa do mundo no Brasil?? Esse deu até manchete internacional.

      • SiouxBR

        Eita! Não sabia que aquele negócio do Lulu para homens era fake. O cara é bom mesmo… :)

        • Pobretano

          Sim, o Tubby era fake grosso!

          • SiouxBR

            Cara, valeu mesmo pelo link. Não sabia dessa história toda e ri horrores depois de ler… :)

          • Pobretano

            Eu racho de umas feministas que foram nos comentários dizer que “os caras na verdade arregaram de fazer o app e preferiram dizer que tudo não passava de uma imensa trollagem”.

            Só tem três problemas com essa teoria: a primeira é que a ação judicial foi tomada ANTES MESMO de o app sequer ter sido feito, a segunda é que ao se clicar na tradução do Google (e não na legenda hard-subada) se vê o coreano falando que aquilo tudo é uma merda, e a terceira é que o domínio antigo do aplicativo tinha sido registrado muito rápido.

          • SiouxBR

            Isso sim é ser troll de respeito e não aqueles babacas que só ficam enchendo o saco nos comentários do G1…

  • Fábio Peres

    Se a vida em outros planetas fosse descoberta, e os contatos imediatos se tornassem realidade, provavelmente a religião se reinventaria – mas Deus não deixaria de ser cultuado, nem as pessoas deixariam de procurá-lo.
    A esse respeito, escrevi algo um bom tempo atrás (peço desculpas, aliás, pela propaganda involuntária): http://trashetc.blogspot.com.br/2011/07/prosa-nao-sei-se-repetida.html

    • ElGloriosoRangerRojo™

      Não te desculpo não!

  • elielcezar

    Por isso sempre achei que o cocadaboa jamais deveria ter terminado.

  • isso lembrou a treta lá do MBL que eles responderam com a imagem de uma piroca gigante quando tentaram refutar os dados deles

    • Vai esperar o que de moleques?

    • Rodrigo Primon Savazzi

      Movimento Boquinha Livre? Aqueles millennials desruptivos que inventaram a organização suprapartidária financiada por partidos políticos?

  • Uber
    • NestorBendo

      Considerando que não é mais necessário cursar Jornalismo para ser jornalista no Brasil, tá valendo bagaraio!

      • Pobretano

        Tipo, acho isso super válido digase de pasage.

  • Oberaldo Gilmentoo

    A respeito dessas coisas… embora o ELPAIS seja clickbait, achei ali uma entrevista interessante com um escritor espanhol:

    https://brasil.elpais.com/brasil/2015/09/24/cultura/1443105759_175114.html

    a Internet tem coisas maravilhosas, mas há algo que é novidade: pela primeira vez a imbecilidade está organizada. Sempre houve imbecilidade; imbecis iam ao bar, tornavam públicas as suas imbecilidades, mas é agora que se organizam, com grande capacidade de contágio. E há um problema agregado: as pessoas se intimidam diante de internautas exaltados e se desculpam sem motivos. E as pessoas sofrem represálias. É truculência. E não há melhor forma de a truculência triunfar do que se intimidando e se amedrontando.